The critically acclaimed Prince of Persia® franchise returns for the first time on next-generation platforms with an all-new epic journey. Built by the same award-winning Ubisoft Montreal studio that created Assassin's Creed™, Prince of Persia has been in development for over three years to deliver a whole new action-adventure...
Data de lançamento: 10 Dez 2008
Assistir a todos os 2 trailers

Comprar Prince of Persia®

$9.99

Sobre o jogo

The critically acclaimed Prince of Persia® franchise returns for the first time on next-generation platforms with an all-new epic journey.

Built by the same award-winning Ubisoft Montreal studio that created Assassin's Creed™, Prince of Persia has been in development for over three years to deliver a whole new action-adventure gaming experience to consumers.

With a whole new Prince, storyline, open world environments, combat style, signature illustrative graphical style and the addition of Elika, a deadly new ally, Prince of Persia brings the franchise to new heights of deadly acrobatic artistry and is set to become the #1 action-adventure game of 2008 this holiday season.

  • A new hero emerges: Master the acrobatics, strategy and fighting tactics of the most agile warrior of all time. Grip fall down the face of a building, perform perfectly timed acrobatic combinations, and swing over canyons, buildings and anything that is reachable. This new rogue warrior must utilize all of his new skills, along with a whole new combat system, to battle Ahriman's corrupted lieutenants to heal the land from the dark Corruption and restore the light.
  • A new epic journey begins: Escape to experience the new fantasy world of ancient Persia. Masterful storytelling and sprawling environments will deliver to action-adventure fans an experience that rivals even the best Hollywood movies.
  • A new open world structure: A first for the Prince of Persia franchise — now you have the freedom to determine how the game evolves in this non-linear adventure. Players will decide how they unfold the storyline by choosing their path in the open-ended world.
  • Emergence of a deadly new ally: History's greatest ally is revealed in the form of Elika, a dynamic AI companion who joins the Prince in his fight to save the world. Gifted with magical powers, she interacts with the player in combat, acrobatics and puzzle-solving, enabling the Prince to reach new heights of deadly high-flying artistry through special duo acrobatic moves or devastating fighting combo attacks.

Requisitos de sistema

    • OS: Windows® XP/Windows Vista® (only)
    • Processor: Dual core processor 2.6 GHz Intel® Pentium® D or AMD Athlon™ 64 X2 3800+ (Intel Core® 2 Duo 2.2 GHz or AMD Athlon 64 X2 4400+ or better recommended)
    • Memory: 1 GB Windows XP/2 GB Windows Vista
    • Graphics: 256 MB DirectX® 10.0–compliant video card or DirectX 9.0–compliant card with Shader Model 3.0 or higher (see supported list)*
    • DirectX Version: DirectX 9.0 or 10.0 libraries
    • Hard Drive: 9 GB
    • Sound Card: DirectX 9.0 or 10.0–compliant sound card (5.1 sound card recommended)
    • Input: Windows-compliant keyboard, mouse, optional controller (Xbox 360® Controller for Windows recommended)

    *Supported Video Cards at Time of Release:
    ATI® RADEON® X1600*/1650*-1950/HD 2000–4000 series
    NVIDIA GeForce® 6800*/7/8/9/GTX 260–280 series
    *PCI Express only supported

    Laptop versions of these cards may work but are NOT supported. These chipsets are the only ones that will run this game. For the most up-to-date minimum requirement listings, please visit the FAQ for this game on our support website at: http://support.ubi.com.

    NVIDIA® nForce™ or other motherboards/soundcards containing the Dolby® Digital Interactive Content Encoder required for Dolby Digital audio.

Análises úteis de usuários
10 de 10 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1,210 produtos na conta
15 análises
17.7 hrs registradas
Eu recomendo esse jogo, apesar de não ser nem de perto melhor q a trilogia lançada na geração PS2/GC/XBOX, ele é agradável de ser jogado. Os esquemas de parkour aliado aos poderes ficaram mto bons; o único problema é q é basicamente isso o jogo inteiro, mta repetição, isso acaba enjoando um pouco.
Entretanto o diálogo entre os dois personagens, na minha opinião ficou mto bom, descontraído, engraçado e carismático!!!
Bom e quanto ao final, eu pelo menos gostei, axei q fugiu um poko do q era previsto.
Se não fosse tão repetitivo teria uma nota maior, os gráficos são um show a parte, o design em cel-shaded ficou excelente.

8,5/10
Publicada: 12 maio 2014
Você achou esta análise útil? Sim Não
5 de 5 pessoas (100%) acharam esta análise útil
45 produtos na conta
13 análises
13.2 hrs registradas
Analise feita por alguém que jogou apenas Sands of Times e este:


Se você é daqueles que considera o grande diferencial de Prince of Persia, os puzzles, os saltos e acrobacias, as salas que mais parecem labirintos e a jogabilidade mais estrategica. Este jogo é um prato cheio para você.

Agora, se você é daqueles que acha que o ponto forte da série são os combates, e que o Prince deve ser um Kratos para o jogo ser bom, lutando com 84923842983652874 criaturas ao mesmo tempo, sinto-lhe informar mas este jogo não serve para você.

O combate nesta versão de PoP é individual, como um duelo estrategico onde vc precisa encontrar o momento certo para implicar seu combo, bloquear e contra-atacar.

Comparando com o Sands of Times, é como a ultima batalha daquele jogo, um contra um. Porém, em Sands of Times, apesar de o personagem possuir uma mecanica muito mais voltada para duelos tbm, os desenvolvedores tiveram a ideia de te colocar em situações de Hack'n Slash, com multiplos inimigos, boss e escolta tudo ao mesmo tempo, tornando algumas lutas quase impossiveis e extremamente frustrante (Na minha humilde opinião, hack n slash onde todos os inimigos bloqueiam, se teleportam, contra-atacam, te atacam caido e REVIVEM não é hack n slash)

Se vc ja jogou Sands of Times, fique tranquilo, aqui vc possui as mesmas ferramentas de luta, porém utiliza muito mais da estrategia nos combates.

O foco do jogo é a exploração do cenário.

Os principais ponto fracos pra mim ficam por conta dos controles extremamente simplificados. Por exemplo penas com o Pulo, você faz quase tudo (pula, anda na parede e até o exageiro de um aperto valer por dois, para alcançar distancias maiores nas paredes) O que torna o jogo meio idiota em relação ao SoT.

Você não morre durante o jogo, nem mesmo nas batalhas, o que por um lado pode parecer interessante, pois acaba sendo uma experiencia frustrante morrer em um lugar distante e ter que fazer 10 minutos de jogo para alcançar tal ponto varias vezes, acaba tirando a sua atenção e tornando a jogatina tranquila e monotona até demais.

Poderia ter sido substituido por save points, o que não tiraria aquela sensação de "não posso morrer" ao se deparar com um cenário de dificil acesso.


Resumindo: É um bom jogo? Sim. Um ótimo passa tempo, um jogo bastante tranquilo e visivelmente voltado para um publico mais novo e que nao conhece a série. Porém, não vale os 19,99, a menos que vc já possua outros Prince of Persia (O sands of times por exemplo, vale)
Publicada: 29 março 2014
Você achou esta análise útil? Sim Não
2 de 2 pessoas (100%) acharam esta análise útil
27 produtos na conta
3 análises
11.7 hrs registradas
Achei o game muito bom, a mecânica de combate é boa e os controles decentes.
Esse PoP é muitas vezes melhor que o seu sucessor Forgotten Sands, que é horrível, não existe bloqueio nem contra ataque, o sistema de combos era apenas ficar apertando um botão, etc... Já este game tem bloqueio, contra ataque e eu achei o sistema de combos incrível!
O único defeito, se é que pode ser chamado de defeito deste game é que você nunca lutará contra hordas de inimigos como nos outros títulos de PoP. Os inimigos aqui são todos fortes, e até os "soldadinhos" normais são enfrentados da mesma forma que bosses, portanto aquela antiga mecânica de atacar com o direcional para trocar de alvo no meio da batalha não existe.
Resumindo, esse jogo é bem melhor que forgotten sands, mas ainda não chega ao nível da trilogia sands of time.
Publicada: 1 maio 2014
Você achou esta análise útil? Sim Não
2 de 3 pessoas (67%) acharam esta análise útil
244 produtos na conta
5 análises
10.4 hrs registradas
Boa história,bom jogo +1
Publicada: 21 maio 2014
Você achou esta análise útil? Sim Não
1 de 2 pessoas (50%) acharam esta análise útil
39 produtos na conta
12 análises
27.3 hrs registradas
O melhor jogo da série desde "The Sands of Time", na minha opinião...

Antes de ser um fã de Prince of Persia, eu sou um fã dos jogos de Jordan Mechner. Este jogo não foi criado por ele, mas é o que mais se aproxima de seus jogos. Prince of Persia, antes é, antes de um jogo repleto de ação, é um jogo que traz um mito e esse mito havia sido perdido e corrompido em Warrior Within.

A Ubisoft traz de volta neste jogo esse mito perdido inspirando-se no zoroastrismo, antiga religião persa que veio a influenciar as religiões monoteístas que existem hoje, para compor a históra.

Mas vamos por partes nesta análise:

CRÍTICAS:
Vou tentar começar pelas críticas porque, na verdade, eu não tenho crítica nenhuma a fazer. Sendo assim vou tentar fazer uma listagem sobre coisas que possivelmente podem desagradar aos que são fãs da trilogia Sands of Time.

A arte gráfica utiliza o estilo cel-shading, deixando um ar ligeiramente cômico, ao invés de ter um ar mais sério.

As batalhas ficaram reduzidíssimas. Você não vai lutar contra dezenas de inimigos de uma só vez, sair pulando de um para o outro e sair os cortando ao meio e lhes decepando a cabeça, nas vai enforcar, assassinar pelas costas, não vai roubar espada de bicho nenhum e nem lutar no estilo dual hand.

Já que falei das batalhas: você luta apenas com uma espada e sempre contra apenas um inimigo de cada vez. Na verdade, quando você entra no ritmo do jogo mesmo, serão apenas 4 inimigos que você vai enfrentar - antes do chefão - e você enfrenta cerca de 5 vezes, o que pode se tornar enjoativo.

Falando em chefão: bastante gente ficou decepcionada com o chefão. Também ficaram dececionados com o final aberto.

Enjoativo também pode se tornar a exploração do jogo, que em geral se resume em ficar coletando umas luzinhas (o que toma boa parte do jogo, na verdade).

Outro detalhe importante é que não se pode morrer. Toda vez que você cometer um erro crítico Elika, a personagem que acompanha o príncipe, o salva.

Por fim: não suporta Steam Overlay. Não sei o motivo. Lembrando que o Overlay funciona mesmo em alguns jogos não-Steam e não funciona em outros imagino que o problema está mais no sistema do Steam Overlay do que no jogo em si, mas seja onde for o prpblema o faot é que você não vai poder acessar a comunidade ou tirar um snapshot direto pro Steam enquanto joga.

ELOGIOS:
Inicialmente tem que ter uma coisa em mente: Este é um novo jogo do POP, uma tentativa de criar uma nova série, ele definitivamente não pertence ao Sands of Time.

Dito isso:

Meu primeiro elogio vai para a trilha sonora. Composta em um trabalho conjunto de Inon Zur e Stuart Chatwood ela é perfeita. Extremamente imersiva, possui um carater épico nas batalhas e em momentos e maior tensão, mas sem perder o toque de música médio-oriental.

A arte gráfica também é perfeita e imersiva. Para ser sincero, foi o primeiro jogo a usar o estilo cel-shading sem ficar ridiculo. As ruínas lembram bastante o estilo de construção do oriente médio. Deixou o jogo com um tom ligeiramente cômico e leve que me agradou bastante.

Como eu disse nas críticas, as batalhas são todas contra um inimigo de cada vez. Isso é um ponto positivo ao se ter conciência que na gênese da série (lá em 1989) era assim. Cada inimigo tem um jeito diferente de se derrotar e cada hora que o enfrente, será de uma forma variada. É talvez a maior ruptura que tem com o The Sands of Time, mas é bom - gostei.

Se o jogo carece as excessivas batalhas contra vários oponentes ao mesmo tempo, ele compensa pelas outras características básicas do jogo: exploração e puzzles. Vai estar sempre tentando descobrir como atravessar do ponto A ao ponto B, tentando pegar o ritmo de certos obstáculos e desvendar quebra cabeças.

Sem dar spoilers, elementos que critiquei lá em cima, defendo-os cá em baixo:

1º o final:
A forma com o chefão é enfretado foi muito importante para humanizar o Príncipe e valorizar a personagem secundária. Em geral não acho o final aberto seja um grande problema: problema é quando o final é aberto, mas não conclui o jogo. Neste caso o final conclui bem o jogo. A história do jogo é bem construida e é redonda, a forma como vem o final aberto dá espaço suficiente para o mítico, para a imaginação do jogador, para fan-fictions e etc. Gostei muito do final, mas muito mesmo.

Agora a grande sacada do jogo: Elika, a princesa. Se desde o The Sands of Time nos acostumamos em ver princesas de personalidades forte e boas guerreiras/arqueiras, aqui tem a uma das melhores personagens femininas da história dos jogos. Elika tem uma personalidade forte, faz acrobacias tão boas quanto as do Príncipe, usa magia, ajuda o príncipe nas batalhas e nas acrobacias.

Se por um lado graças a ela não se pode morrer, há coisas que balanceiam a situação toda: normalmente é preciso fazer longos combos acrobáticos e se você fizer um erro sequer e a Elika precisar te salvar, você voltará lá no início do combo (particularmente considero isto uma forma de morrer e voltar no último checkpoint). Se a Elika precisar de te salvar durante uma batalha haverá uma boa chance que todo o sangue que você tirou do inimigo encha novamente.

VEREDITO:
Em termos de jogabilidade a ruptura com a série anterior é muito grande. Se você for muito apegado aos The Sands of Time, Warrior Within e The Two Thrones, vai ter uma decepção muito grandoe com este.

Mas a série estava precisando dar mesmo uma renovada e ela foi renovada de uma forma brilhante. Traz de volta a tonalidade mítica que tinha nos POPs de Jordan Mechner e mantém certos aspectos cômicos que tinha em "The Sands of Time".

Como afirmei na primeira linha deste review: O melhor jogo da série desde "The Sands of Time".
Publicada: 4 abril 2014
Você achou esta análise útil? Sim Não