Aurora, a young girl from 1895 Austria, awakens on the lost fairytale continent of Lemuria. To return home she must fight against the dark creatures of the Queen of the Night, who have stolen the sun, the moon and the stars. At stake is not only Lemuria, but Aurora’s true destiny.
Análises de usuários:
Últimas:
Muito positivas (94 análises) - 91% das 94 análises de usuários dos últimos 30 dias são positivas.
Todas:
Muito positivas (7,816 análises) - 92% das 7,816 análises de usuários deste jogo são positivas.
Data de lançamento: 29/abr/2014

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

 

Sobre este jogo

Aurora, a young girl from 1895 Austria, awakens on the lost fairytale continent of Lemuria. To return home she must fight against the dark creatures of the Queen of the Night, who have stolen the sun, the moon and the stars. At stake is not only Lemuria, but Aurora’s true destiny.

Key Features



An Adventure Waits!
Created by a talented team at Ubisoft Montreal using the UbiArt Framework, Child of Light is an RPG inspired by fairy tales complemented with a story carefully crafted in verse and rhyme. Step into a living painting, the breathtaking scenery of Lemuria is an invitation to explore a long lost world.

Enter the World of Lemuria
Across your journey through Lemuria you will encounter many eccentric creatures, from spirits of the forest to talking mice to wicked witches and evil sea serpents. Discover a vast land with iconic locations and exciting dungeons that will evolve as Aurora regains the stolen lights.

Fight the Dark
Battle enemies using an Active-Time Battle System alongside the firefly Igniculus and other members of Aurora’s party on their quest to recover the sun, the moon and the stars. Beat your enemies using a deep party system and the varied skill trees of your party. Play with a friend as both Aurora and Igniculus using the seamless drop-in drop-out cooperative multiplayer.

Requisitos de sistema

    Mínimos:
    • SO: Windows Vista, Windows 7 SP1, Windows 8/8.1 (32/64bit versions)
    • Processador: Intel Core2Duo E8200 @ 2.6 GHz or AMD Athlon II X2 240 @ 2.8 GHz
    • Memória: 2 GB de RAM
    • Placa de vídeo: nVidia GeForce 8800 GT or AMD Radeon HD2900 XT (512MB VRAM with Shader Model 4.0 or higher)
    • DirectX: Versão 9.0c
    • Rede: Conexão de internet banda larga
    • Armazenamento: 3 GB de espaço disponível
    • Placa de som: DirectX Compatible Sound Card with latest drivers
    • Outras observações: Windows-compatible keyboard and mouse required, optional Microsoft XBOX360 controller or compatible
    Recomendados:
    • SO: Windows Vista, Windows 7 SP1, Windows 8/8.1 (32/64bit versions)
    • Processador: Intel Core2Quad Q8400 @ 2.6 GHz or AMD Athlon II X4 620 @ 2.6 GHz
    • Memória: 4 GB de RAM
    • Placa de vídeo: nVidia GeForce GTX260 or AMD Radeon HD4870 (512MB VRAM with Shader Model 4.0 or higher)
    • DirectX: Versão 9.0c
    • Armazenamento: 3 GB de espaço disponível
    • Placa de som: DirectX Compatible Sound Card with latest drivers
    • Outras observações: Windows-compatible keyboard and mouse required, optional Microsoft XBOX360 controller or compatible
Análises de usuários
Sistema de análises de usuários atualizado em setembro de 2016! Saiba mais
Últimas:
Muito positivas (94 análises)
Todas:
Muito positivas (7,816 análises)
Tipo de análise


Forma de aquisição


Idioma


Exibir como:


(o que é isso?)
621 análises correspondem aos filtros acima ( Extremamente positivas)
Análises mais úteis  No geral
113 de 124 pessoas (91%) acharam esta análise útil
Recomendado
13.6 horas registradas
Publicada: 30 de abril de 2014
"Um JRPG indie Ocidental que não é indie e que se passa no séc. XIX entre Áustria e Lemúria". Essa definição monstro por aí esconde toda a simplicidade do jogo.
Child of Light começa com um título: o jogo mais bonito que já joguei: Os detalhes pelo cenários são praticamente pinturas, a trilha sonora é muito leve, o jogo é todo em rima e dublado em português(há pouquíssimas falas,é um jogo em texto) , tornando-o acessível a qualquer um.

Um começo típico: Aurora dorme e é transportada para Lemúria, ainda criança e se desenvolve com o passar do tempo/lutas. Nisso encontra companheiros e as surpresas começam aqui:

- Igniculus será sua assistência, controlada em coop ou por um dos analógicos, podendo lhe curar ou tornar o tempo de recarga dos inimigos mais lentos, o que é vital. Cada ataque tem um tempo de execução diferente, evitar ataques pode facilitar muito a sua vida. Igniculus é algo muito mais vital que o Murfy de Rayman Legends, tornando o Coop mais interessante.
- Os outros personagens, cada um com sua história(ajudar, encontrar, recuperar, etc, típicas de contos de fadas), tem suas particularidades, como uma palhaça que não rima(e os outros personagens o corrigindo);
- A troca de personagens durante a batalha também é vital, maximizar só um será uma perda de tempo;
- A árvore de habilidades é bem simples, basicamente se divide em 3 caminhos e cada personagem começa em pontos diferentes(e a árvore é diferente para cada um). Não há set/gear/equipamentos, os Oculis(gemas) são usadas no lugar, e a combinação(baseada em cores) deles os refina, lhe dando uma resistência ou ataque melhor, novamente: simplicidade;
- Poções e Oculis são dropados em batalhas, ou coletados pelo caminho, então fique atento a lugares escondidos e não corre de várias batalhas. Também há poemas escondidos, então se gosta de extras, mais um motivo para explorar;
- Os puzzles não irão lhe queimar neurônios, mas lhe dão alguma recompensa(abrem um caminho, resgatam algo, lhe dão alguma habilidade), não estão simplesmente emperrando sua passagem;

Até por ser curto(10~13 horas), CoL não é um JRPG típico, mas não quer dizer que sua experiência seja ruim. Os detalhes de Lemúria, o texto em rimas e as batalhas que lhe exigem timing são suficientes para lhe dar uma grande imersão.

Child of Light é como se mostra: Uma poesia jogável, digna de qualquer conto de fadas clássico.

Sobre DLCs e Saves
Não os comprei. Ignore-os: Oculis são facilmente encontrados e você encontrará companheiros pela história, o jogo já dá conteúdo suficiente. A não ser que esteja muito ansioso por uma nova quest em Lemúria, os DLCs são dispensáveis.

Edit: Na atualização de 11/06/2014 incluíram save slots no jogo, então é possível curtir Lemuria mais tranquilamente :D
Só há um slot para save, não sei o que acontece após zerar o new game plus, mas se estiver na campanha e quiser voltar por alguma razão, terá que limpar o jogo salvo no menu de opções.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
71 de 75 pessoas (95%) acharam esta análise útil
3 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
37.1 horas registradas
Publicada: 2 de dezembro de 2014
Poesia, Luz, contos de fada e beleza: Child of Light.


(Review na formatação correta está no meu blog, http://Sonhos, Teorias e Palavras )


Sabe aquela coisa que você vê e pensa "Eu tenho que ter isto", e imediatamente entra num hype colossal para tê-la?

Eu não tenho muito isso. E, aliás, se alguma coisa, o Steam me fez repensar o conceito de promoções. Comprar algo numa pré-venda é raríssimo para mim. O último tinha sido justamente Contrast, aquele meu amor S2.
Child of Light mandou e ainda manda uma reação incrível de desejo, paixão e carinho pelo jogo, que é, sob todas as análises, uma verdadeira obra de arte.

Tudo me encantava. Desde a voz da dubladora original ao estilo gráfico pintado à mão com aquarela, passando pelo cabelo belíssimo de Aurora, a premissa e os personagens ligeiramente estereotipados, típicos de contos de fada, e isto me fez forçar meu dinheiro na tela do computador e comprar na pré.

Eu me lembro de dizer que queria literalmente dar um abraço naquele jogo. E eu ainda quero.


Nunca gostei de jogos em turno. Os últimos que tinha jogado antes dele era Sonny (um joguinho de navegador) e Shining Force. A versão de Mega Drive.
Child of Light foi absolutamente tudo o que eu esperava (e olha que eu esperava muitíssimo) e ainda mais. A trilha sonora é linda, a ambientação e os gráficos foram ainda mais.

Cada única linha de diálogo foi feita com bastante atenção. Antes que eu fale mais sobre isso, assistam o trailer.

https://www.youtube.com/watch?v=ev5TdyaTGuw

Notaram algo? Sim, é dublado em português. O jogo todo é assim, na verdade. Tanto a dublagem quanto o texto (pode ser assim, na verdade, já que você pode escolher outros idiomas. A tradução para o português foi excelente. Prefiro a dubladora original, mas o voice tone pairing e a tradução per se foi excelente.).
Mas não é isso o que estou perguntando. Sim, aquela outra coisa. As rimas.
Absolutamente todas as linhas de diálogo são escritas em verso, e isto já valeria o valor do jogo.
Mas CoL não fica apenas em um jogo lindo, aquarelado e rimado. O roteiro é interessante, e deixa espaço para continuações, tanto para lore, quanto para personagens.
O trailer acima dá uma boa ideia sobre o tema.

A jogabilidade é incrível (embora seja muito melhor se você tiver um controle) e o combate é bem interativo e intuitivo.
Dificilmente alguém conseguirá todas as skills no primeiro jogo, já que a partir do nível 45 é necessário muito XP para upar. No entanto, CoL conta com New Game +, e aí sim dá pra dar master.
Os combates são nivelados e intuitivos, e as animações de batalha são condizentes com o estilo do jogo: simples, belas e bem trabalhadas para cada personagem.
Durante os combates, quando a HP cai abaixo de 30 ou 40% (não lembro de cabeça), dá para notar que o personagem está abatido, cansado, cada um do seu jeito. Aurora fica cabisbaixa, e com a espada mais frouxa, Finn abaixa um pouco o cajado etc... As animações de dodge e ataque são exclusivas de cada classe também.
A animação do cabelo de Aurora, que tem uma importância simbólica moderada, é a melhor e mais linda que já vi, e roubou o primeiro lugar de Alice, de Alice: Madness Returns. O terceiro é da Lara do último Tomb Raider.
Crafting de itens trabalha de forma similar ao de Diablo 2, embora muito mais enxuto, e as gemas muuuuuuuuuito mais comuns.
A física per se também é simples, imaginativa e bela. Voar perto de água é fantástico.

Chega de tecnicalidades, vamos voltar ao que interessa!!! Beleza, poesia e intertextualidades!

Os diálogos dos personagens são espirituosos, em rima, e a construção de cada personagem é redonda, embora muitos sejam arquétipos comuns na literatura, como a dialogia palhaço triste/palhaço bufão.
Há referências a diversos contos de fada e obras da literatura fantástica. Para dizer apenas os mais conhecidos, temos Branca de Neve, Cinderella, a própria Bela Adormecida (qual era o nome da Bela Adormecida mesmo?) e, para minha eterna alegria, O Mágico de Oz (hint hint este personagem reclama que lhe falta uma parte de si, e que não consegue sentir como deveria).


O simbolismo é bonito e inteligente. A coroa foi uma das sacadas mais bonitinhas que já vi. Sob última instância, para um jogo 2D, tem tantos caminhos que eu me perdi mais de uma vez.


Um detalhe que não comentei: apenas a narradora tem voz. Todos os outros personagens falam por meio de texto, o que foi uma mudança agradável no mar de jogos por aí.

Raramente compro qualquer coisa na pré-venda, e muito menos com o preço completo. Paguei em Child of Light e não me arrependi.

Tenho uma implicância considerável com a Ubisoft (distribuidora do jogo), e CoL foi a primeira vez que disso: espero que a Ubi faça uma franquia de CoL. Eu compraria.

A Ubi se redimiu novamente da série de cagadas besteiras que tem feito com Valiant Hearts, mas por mais belo e emotivo que VH tenha sido, não chega ao par que é Child of Light.

E tem mais uma coisa que me fez amar esta lindeza: Aurora, a Filha da Luz, teve na sua edição de colecionador um poster exclusivo de Yoshitaka Amano, desenhista da versão original de Sandman: Caçadores de Sonhos. De novo, como não amar?


Aurora é a protagonista que eu tanto queria num jogo, viva. Ela mexe com tudo o que eu sempre gostei, e isto inclui, mas não se limita a beleza, poesia, contos de fada, releituras, dragões, referências a diversas obras, metamorfoses, simbolismo e arte.

Baum disse sobre O Mágico de Oz "Ele aspira a ser um conto de fadas moderno, em que o espanto e alegria são mantidos e os sofrimentos e pesadelos são deixados de fora", e Chesterton que "Contos de fada não dizem às crianças que dragões existem. Crianças já sabem que dragões existem. Contos de fada dizem às crianças que dragões podem ser mortos".

Child of Light foi uma mescla de ambos os anteriores: é a criação de um conto de fadas moderno, com espanto e alegria, e que mostra seus dragões, e nos mostra como eles podem ser derrotados.

Child of Light é amor em forma de jogo, e sob última análise, escolheu o caminho menos viajado. E isto fez toda a diferença.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
58 de 63 pessoas (92%) acharam esta análise útil
5 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
1.5 horas registradas
Publicada: 31 de março
Esse jogo é uma arte!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
49 de 53 pessoas (92%) acharam esta análise útil
6 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
6.4 horas registradas
Publicada: 6 de julho de 2015
Jogo muito bonito!

Ah como da gosto de jogar jogos (desculpe a redundância) assim.
Esse jogo é daqueles onde você que a empresa realmente pensa nos jogadores.
Principalmente nós Brasileiros, onde o mercado tem crescido cada vez mais.
O jogo está totalmente localizado, e as rimas, elas rimam (desculpe novamente) mesmo!
Incrível.
Espero que a UbiSoft traga mais jogos assim. Pensados, Criativos e Divertidos.

Mas vamos lá para o jogo.

O game é um RPG por turnos.
Não conheço muito os estilos de RPG q temos hoje em dia. Mas este me fascinou.
Sempre gostei do RPG que você escolhe se quer lutar com o monstro, ou se você pode passar sem ser obrigado a lutar com ele.
O jogo permite a mecânica de jogar com 2 jogadores, mas você pode trocar os personagens a qualquer hora da batalha, e você não perderá o turno!

Os gráficos são lindos. Parece uma pintura mesmo! As vezes eu fico só passeando pelos locais para apreciar as pinturas. E eu que gosto de vasculhar tudo, consigo unir as duas coisas. Hehehe

O jogo vale ser comprado fora de época de Sale com certeza! Vale todo o dinheiro pedido!
Se você é um grande fã de RPG, essa com certeza é um bom game pra você!

Análise feita ao som de:
Kokoro no Chizu (From "One Piece") - Instrumental Mix
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
56 de 67 pessoas (84%) acharam esta análise útil
Recomendado
30.2 horas registradas
Publicada: 28 de agosto de 2014
Child of Light, é outro para lista de jogos que comecei a jogar, parei um pouco, durante um tempo, peguei pra continuar e fui até o fim do mesmo quase sem descanso, já havia citado que RPG por turnos não é dos meus favoritos [ assim também, como foi com South park ] mas, o meu interesse no Game ao decorrer do mesmo foi aumentando, a jornada da nossa protagonista Aurora não tem uma outra forma de definir a não ser, referindo-se a mesma como FANTÁSTICA.
diálogos, amigos que se juntam ao decorrer da jornada, batalhas épicas e muito envolventes, julgando o quanto damos um duro danado para vencer as mesmas, tudo isso cercado de cenários lindos e muito bem trabalhados, uma narrativa feita em forma de rimas muito diferente e interessante do habitual..

não deixando de citar as músicas, a trilha sonora é demais, muito perfeita e se encaixou perfeitamente, sem deixar nada a desejar.
as inúmeras possibilidades de combinações de itens encontrados ao decorrer/durante as fases,
implementa no game uma porcentagem de estratégia, para chegarmos a bons resultados nas batalhas, vide que ganhamos experiencia a cada batalha e vamos upando não só nossa personagem principal, como seus companheiros.
poderia ter mais Quest ao terminar o game ficam algumas pra fazer mas, são tão poucas que não chega a ser nenhum desafio.
por outro lado o jogo em si se torna mais desafiador ao seu decorrer, porém não sendo nada muito difícil, sendo as últimas batalhas as mais intensas, inclusive necessitando de uma evolução para nossa personagem, nos últimos capítulos, com uma história que nos prende do inicio ao fim, com um Final, no minimo ÉPICO e muito recompensador, digno de fim de jornada.

Campanha: 10/10
Trilha sonora: 10/10
Gráficos/visual: 10/10

impossível dar menas nota pra qualquer coisa no Jogo, ao menos as minhas expectativas foram superadas, e fizeram de Child of Light um dos melhores Games que tive oportunidade de jogar esse ano.

Vale cada centavo mesmo sem estar promoção!!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
44 de 52 pessoas (85%) acharam esta análise útil
Recomendado
17.5 horas registradas
Publicada: 11 de julho de 2014
Um jogo absolutamente incrível, também um ótimo RPG com uma historia muito legal e cheia de aventuras, Aurora e todos os seus amigos são personagens encantadores *-*,amei esse jogo, parabéns Ubisoft! <3
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
25 de 25 pessoas (100%) acharam esta análise útil
14 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
17.0 horas registradas
Publicada: 2 de junho
Quem diria que encontraria tal surpresa
e um jogo com tanta beleza.

Um 2D de surpreender
a vós faço saber.

Defeito pode encontrar
nas rimas da nossa língua devo avisar.

Mas com certeza tu deves aproveitar
se um jogo de plataforma tu gostar.

kkkkk

Já fazia um tempo que nenhum jogo me empolgava ainda mais um de plataforma e com certeza Child of Light foi uma surpresa não espera tanto dele quando começei a jogar. Uma mistura de RPG e exploração, só achei que a história na parte final poderia ter sido um pouco mais desenvolvida.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
27 de 29 pessoas (93%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Recomendado
12.5 horas registradas
Publicada: 16 de março de 2015
Child of Light é um RPG 2D de turno, onde você jogará com no máximo 2 personagens em seu grupo, podendo trocar pelos reservas a qualquer momento da luta sem ser prejudicado em batalha.

Ah mais num é aquele modelo de RPG com 3 ou 4 na party? Não !!!

A primeira surpresa desse jogo começa logo na introdução fantástica, toda narrada em forma de poesia, com um vitrais coloridos de fundo.

A história é sensacional digna de uma aventura espetacular igual é o game. O que ajuda demais na história são as interações dos personagens uns com os outros, a cada novo personagem depois de 1 luta, eles entram em dialogo curto, uns com os outros, fazendo o jogo não ficar frio em nenhum momento, sem contar o vagalume fofo que fica conversando com você e te auxiliando nas quests, um vagalume sensacional que vai te ajudar muito durante as batalhas e no mapa.

Os cenários foram desenhados minuciosamente, não vi uma imperfeição grafica no jogo, há uma enorme riquesa de detalhes graficas deixando o jogo graficamente maravilhoso.

A jogabilidade ficou perfeita, você irá correr de um lado a outro, pular, subir em plataformas, descer de plataformas, abrir baus (o mais legal do jogo, fala sério quem que joga RPG e não é fissurado em abrir baus pra pegar coisas?), vai iluminar locais com o vagalume fofo que será controlado pelo analógico direito do controle (recomendo controle para esse game), vai atrazar inimigos com o vagalume fofo durante as batalhas, vai cegar inimigos com o mesmo para pega-los pelas costas e começar atacando na batalha, vai abrir baus com ele, vai abrir caminho, etc. Sinta-se livre para voar e isso é só um pouco do que está por vir na aventura.

O sistema de Skills está fantástico são 3 arvores de skill para cada personagem, cada uma focada em determinadas habilidade, mas todas tendo um caminho extenso para ir dando uma melhoria nos atributos basicos, força, ataque mágico, defesa, defesa mágica, esquiva, acerto critico %, velocidade, etc. No level máximo você terá todas as skills e será praticamente um God no jogo, ou não?

Os itens são basicamentes poções de uso no mapa e de uso apenas em batalhas, itens de quest, brilhos (para aumentar os atributos permanentes dos personagens), etc.

Há quests paralelas com a principal que você vai abrindo no decorrer do jogo.
Há alguns colecionáveis, bem poucos, são umas cartinhas que você encontra flutuando pelo jogo.

O jogo não possui sistema de equipamentos o que o diferencia de um RPG comum, ele tem sim um sistema de Oculis, os Oculis são pedras que você pode equipar junto com a espada, armadura ou acessório, dando um efeito especial em cada lugar que você coloca, são varios tipos de Oculis para dropar nas batalhas, pegar em baus e ganhar em quest, eles começam em pedacinhos e a cada 3 do mesmo tamanho você faz um de nivel superior, podem serem iguais ou mesclados para nascer Oculis com atributos diferentes aos normais que são o Vermelho, Verde e Azul (os mais comuns).

O jogo tem apelo emocional no decorrer da história, não tão forte quanto outros jogos que já joguei mas tem, meus olhos se encheram de agua em alguns momento.

As batalhas são muito legais 2 heróis x 3 vilões, está é a combinação maxima que vi de luta, recem comecei o New Game+ no mais dificil, não sei se pode vir mais que 3 vilões juntos, mas enfim. A batalha rola com uma barra em baixo da tela que mostra a vez de quem atacar com um tempo no fim, quem toma ataque dentro desse tempo final retrocede a barra para o começo, isso deixou o jogo muito interessante, tem boss que da para você matar sem ele atacar 1 vez, já outros entram em efeito especial quando são atrazados na barra, o sistema de troca de personagens durante a luta é muito show, você usa o personagem que quiser de acordo com sua estratégia, e pode trocar durante a luta tranquilamente e mudar o ritmo da batalha.

Os personagens são fantásticos, muito bem desenhados, marcantes, e cada um com sua personalidade e história, literalmente inesqueciveis.

O jogo tem New Game + depois que você zera, você começa do zero denovo, mas com seu level, itens, oculis e cartas todas salvas e com inimigos mais dificeis, assim você pode pegar level maximo e até jogar no mais dificil que é uma boa pedida para o new game +.

O unico defeito do jogo é ser ministrado pela Uplay, realmente isso me deixou muito triste, já que o meu da erro logo no menu de entrada, a solução pra isso está no forum da Steam, jogar com o Uplay offline isso foi sugerido pelos próprios moderadores da Ubisoft lá no forum Steam, desde 2014, estamos em 2015 até agora nada de resolver o problema. O lado negativo de jogar offline é que não podemos pegar as conquistas na Uplay que dão aqueles pontos para comprar alguma coisa extra do jogo, igual eu comprei com pontos acumulados e por jogar só offline eu não ganhei, gastei 260 pontos atoa era tudo o que eu tinha, mais um fator ruim do jogo.

Eu achei o jogo perfeito, não vi defeitos, nem bugs, nem nada de anormal tirando o fator Uplay por sinal um serviço que não funciona corretamente.

Zerei, mandei New Game + agora no mais dificil...

Jogo inesquecivel !!!

10/10
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
23 de 24 pessoas (96%) acharam esta análise útil
Recomendado
18.4 horas registradas
Publicada: 22 de dezembro de 2014
Uma palavra que define Child of Light : Encantador.

- Arte que é uma pintura sensacional.
- Trilha Sonora épica.
- História que não é mais um conto de fadas.
- O jogo é escrito todo cheio de rima, parece uma grande poesia.
- Personagens Carismáticos.
- RPG de turno, porém com uma mecânica muito diferenciada

Com certeza melhor jogo do ano e se tornou meu jogo favorito :)
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
21 de 22 pessoas (95%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Recomendado
14.1 horas registradas
Publicada: 25 de julho de 2015
Terminei o jogo em 14hs. Näo saberia por onde começar! Acho que o jogo mais bonito que já joguei. Gráfico, Arte, Música. Ou seja, uma obra de arte. O sistema de batalha embora por turnos possui uma característica única que faz o combate ficar bem mais interessante e desafiador. O jogo é 100% em PT-BR. Embora diz que é parcialmente compatível com controle, eu joguei ele 100% com o controle deitado na cama. Para o jogo ser perfeito, faltou conquistas e cards, mas isso é culpa da Ubisfot. rs
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Últimas análises
Eagle = Locutor
13.7 h
Publicada: 27 de setembro
Excelente game, não sou muito fã de batalhas em turnos, mas este jogo me surpreendeu!!! Recomendo tê-lo na biblioteca.
Wishbone Ash
27.1 h
Publicada: 24 de setembro
Uma obra de arte em forma de jogo.
Absolutamente tudo nesse jogo é incrivelmente lindo e bem trabalhado, desde a trilha sonora, os gráficos, as falas dos personagens e os diálogos. O combate é extremamente simples e divertido.
Apesar de não oferecer grandes desafios, o jogo conta uma história super interessante e desenvolve o enredo de forma que realmente envolve o jogador.

Não tenho absolutamente nenhuma crítica.
Viny
9.9 h
Publicada: 17 de setembro
Envolvente
Fafiniel
10.8 h
Publicada: 12 de setembro
resumindo Child of Light em poucas palavras....Lindo
que jogo lindo...que dublagem linda,que mundo lindo.recomendo para quem gosta de uma bela historia.
pepusacapepe
17.3 h
Publicada: 11 de setembro
Um jogo simples, com visual bem projetado e história bem pensada, algo que me surpreendeu muito. Um de meus favoritos, em estilo RPG de turnos é divertido e contém uma leveza, por assim dizer. Recomendo muito.
hASTA
140.5 h
Publicada: 8 de setembro
Child of Light é um jogo marvilhoso. Desde o enredo, bem colocado para um RPG, assim como toda a arte do game e sua jogabilidade. Grande acerto da Ubiart. Recomendado!
Ninja_Trickster
17.0 h
Publicada: 6 de setembro
Apesar de ser um jogo ocidental, é exatamente como RPGs japoneses com batalha por turno(lembra o sistema de batalhas de Grandia). Arte e trilha sonora perfeitas, um dos melhores jogos do gênero com certeza. E todas as falas do jogo são rimando, como se fosse uma poesia, ficou muito legal isso.
Martines
2.5 h
Publicada: 3 de setembro
Melhor RPG de Turno da Minha Vidaaaa !! Serio, a trilha sonora, a historia, a tradução está tudo perfeito. Sinceramente não cheguei a conhecer outro RPG 2D com um jogabilidade tão incrivel e surpreendente !!

Valeu cade centavo, o que você está esperando? Vá logo comprar e saborear esta historia incrivel !!
Odda
0.2 h
Publicada: 20 de agosto
Duas considerações muito pesadas:
  • Lindo
  • Triste.

NADA nesse jogo parece tão depressivo quanto realmente é
Se vc acha que não, leia toda a trama toda do jogo (após zerar)

Como eu costumo falar pros meus amigos que jogam:
"- LEIA agora, leia somente a plot do jogo, fecha o jogo, fecha os porns e leia a história do jogo."
É profundamente triste, a senhorita Aurora já está morta desde o começo do jogo e tudo não passa de um limbo, um limbo LINDO e depressivo, porém em nenhum momento do jogo vcs (a maioria) percebem.

Impressionado como conseguiram retratar de forma tão linda um assunto tão delicado.

E digo de novo: Se vc acha que não, dessa vez leia toda a trama toda do jogo (após zerar), faça suas associações (como o modo dela de voar por exemplo) e assim entenderá
Lolo
24.4 h
Publicada: 20 de agosto
Lindo não apenas na aparência, mas também na história que é surpreendente. <3