* OBS. ESTE JOGO EXIGE UM CONTROLE PARA SER JOGADO * Guia dois irmãos numa viagem épica ao estilo de conto de fadas, da autoria do visionário realizador sueco, Josef Fares, e do famoso estúdio de desenvolvimento, Starbreeze Studios. Controla os dois irmãos em simultâneo, ao experimentares o inédito jogo cooperativo no modo individual.
Análises de usuários: Extremamente positivas (19,705 análises) - 95% das 19,705 análises de usuários deste jogo são positivas.
Data de lançamento: 3/set/2013

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Observação: Brothers - A Tale of Two Sons requires a controller to play

Comprar Brothers - A Tale of Two Sons

 

Análises

“"Brothers: A Tale of Two Sons is an exquisitely told story set in a world overflowing with personality. It’s an immersive, emotional gem that’s not to be missed."”
4.5/5 – Adventure Gamers

Steam Big Picture

Sobre este jogo

* OBS. ESTE JOGO EXIGE UM CONTROLE PARA SER JOGADO *

Guia dois irmãos numa viagem épica ao estilo de conto de fadas, da autoria do visionário realizador sueco, Josef Fares, e do famoso estúdio de desenvolvimento, Starbreeze Studios.

Controla os dois irmãos em simultâneo, ao experimentares o inédito jogo cooperativo no modo individual.

Resolve quebra-cabeças, explora vários locais e luta contra chefões, controlando cada irmão com um manípulo analógico.

Um homem que luta pela vida. Desesperados para curarem o seu pai doente, dois filhos só têm uma opção: têm de embarcar numa viagem para encontrar e trazer a ""Água da Vida"". Para sobreviverem, terão de confiar um no outro.
Um tem de ser forte quando o outro é fraco, corajoso quando o outro é temeroso, têm de ser… irmãos.

Esta é uma aventura que jamais irás esquecer!

Requisitos de sistema

    Mínimos:
    • SO: Windows XP SP3
    • Processador: 2.4 GHz Dual Core Processor
    • Memória: 2 GB de RAM
    • Placa de vídeo: NVIDIA GeForce 8600 /ATI Radeon HD 2600
    • DirectX: Versão 9.0
    • Armazenamento: 2 GB de espaço disponível
    • Outras observações: Initial installation requires one-time internet connection for Steam authentication; software installations required (included with the game) include Steam Client, DirectX 9, Microsoft .NET 4 Framework, Visual C++ Redistributable 2010, and AMD CPU Drivers (XP Only/AMD Only)
Análises úteis de usuários
72 de 74 pessoas (97%) acharam esta análise útil
3 pessoas acharam esta análise engraçada
4.8 hrs registradas
Publicada: 10 de outubro de 2015
Belo e marcante

Brothers - A Tale of Two Sons é um indie de aventura, com visão em terceira pessoa, que mostra a jornada de dois irmãos em busca de uma cura para seu pai doente. Desenvolvido pelo estúdio Starbreeze Studios AB e distribuído pela 505 Games, lançado em agosto de 2013 para as plataformas PC, Xbox 360 e PS3, ganhando uma versão para a nova geração em agosto de 2015.

Brothers é um game ímpar, sua primeira particularidade, que o torna quase que único, é a sua jogabilidade, nele você deve controlar de forma simultânea os dois protagonistas, cada um deles através de um dos analógicos do controle, tornando indispensável o uso de um joystick, cada irmão deve realizar uma ação, na maioria das vezes de forma cooperativa, para poder resolver os pequenos puzzles e avançar na campanha. O interessante é que ao movimentar os dois personagens simultaneamente com os dois analógicos, causa uma imensa estranheza e desorientação, testando de forma constante a destreza e coordenação do jogador. Algo que foi feito de forma proposital, uma vez que isso reafirma uma das principais mensagens que o game busca passar, o cooperativismo, mesmo que de forma solo, é impossível avançar sozinho, os dois garotos irão, juntos, passar por cada desafio proposto.

O segundo aspecto em que o game se destaca é a sua ambientação e visual. O game apresenta gráficos cartunescos, que impressionam e encanta por serem preenchidos por uma bela arte. O jogador percorrerá, pequenas vilas, montanhas, cavernas, florestas e ruínas, cenários belos e detalhados que encantam ao serem explorados, principalmente por apresentar uma serie de criaturas que contribuem com o tom de fabula que a aventura apresenta. Prepare-se para encontrar trolls, aranhas, gigantes e outras criaturas mitológicas que dão um toque todo especial e cativante ao game.

Mas o aspecto mais cativante e marcante de Brothers é sem sombra de dúvida, sua belíssima história. Já no início da trama somos apresentados a dois importantes dramas dos protagonistas, o primeiro é o fato da mãe dos garotos ter morrido em um trágico acidente e o segundo, para deixar tudo ainda mais trágico, é que o seu pai está gravemente doente. O interessante é que tudo é narrado de forma visual, não há diálogos, os personagens até conversam, mas em uma língua incompressível, no melhor estilo The Sims, fazendo com que o jogador preste bastante atenção no que está sendo mostrado na tela. Com isso a trama gira em torna da forma que os protagonistas lidam com seus sentimentos em relação a tudo que viveram e enfrentam em sua jornada. Os últimos momentos do game são extremamente marcantes, passando ao jogador uma serie de emoções, de acordo com a sua percepção das mensagens que o jogo passa ao ser finalizado.

O game ainda garante algumas surpresas, como as interações dos dois personagens com o ambiente, que são executadas através de um único botão, que não se resumem a resolução dos puzzles, mas também a pequenas e engraçadas interações com o cenário, como por exemplo balançar uma velinha sentada em uma cadeira, ou observar as belas paisagens do game, acomodados em bancos. O interessante é que as conquistas do game são relacionadas justamente sobre tais interações, fazendo com que a exploração se torne indispensável.

O game é curto, podendo ser finalizado entre três a quatro horas, porem o tempo de duração da campanha está na medida certa, uma vez que não deixa o game cansativo e contribui com a excelente narrativa.

Brothers - A Tale of Two Sons é um excelente game, com uma jogabilidade peculiar, que desafia a coordenação do jogador, uma ambientação belíssima e uma história marcante. Uma belíssima fabula, que fala sobre companheirismo, amor, culpa, perda e amadurecimento. Um game que sem sombra de dúvida merece ser jogado, ou melhor, ser sentido.

Informações adicionais:
Nota geral: 10.
Tempo para finalizar a campanha: 04 horas.
Conquistas desbloqueadas: 12 de 12.
Dificuldade: Fácil, extremamente fácil.
Fica a dica: Busque joga-lo do início ao fim, em uma única partida, isso pode deixar a experiência mais tocante.
Vale o preço? Sim! Vale o preço full.
Modo de jogo: Exclusivamente Singleplay.
Imagens durante a jogatina: Clique Aqui.
Idioma: Português.

Análise publicada originalmente no Blog PortoHQ .
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
28 de 28 pessoas (100%) acharam esta análise útil
6.0 hrs registradas
Publicada: 24 de agosto de 2015
O mundo é mágico.

O mundo é brutal.

Duas lições simples e inesquecíveis que o jogo Brothers - A Tale of Two Sons consegue atingir em um espaço de tempo em que outras obras estariam preenchendo com repetições das mesmas jogabilidades ou ainda apresentando seus personagens.

O mundo é um lugar mágico, com personagens inesquecíveis e paisagens deslumbrantes e que esconde maravilhas atrás da próxima curva da estrada. É um lugar que fica mais belo quando você para para sentar e apreciar o que está ao seu redor. Mesmo diante das maiores dificuldades ou pressionado pela mais intensa das necessidades, há tempo de sentar e refletir, de ver o caminho à frente, de colocar as ideias no lugar. Há de haver tempo para brincar com gatos ou galopar em bodes ladeira acima. Esse é o convite que o jogo nos faz.

Mas o mundo também é um lugar brutal. Há maldade em todas as formas, em todas as classes, contra todos os sujeitos, com ou sem motivos. Não se deve confiar nas aparências, nem se descuidar das armadilhas. Em cada momento, há uma lição a ser aprendida, assim como em todas as fábulas. Este conto agridoce é habilmente contado pela Starbreeze Studios (a mesma do sombrio, taciturno e igualmente favorito The Chronicles of Riddick: Escape from Butcher Bay). Aqui, a desenvolvedora constrói, de forma econômica, mas não menos poética, um universo que convida à exploração mas também alerta de seus perigos.

Este mundo mágico e brutal é uma experiência para ser jogada à dois, nem que esses dois sejam sua mão esquerda e direita ao mesmo tempo. Provando que é possível casar jogabilidade com narrativa, a Starbreeze inova ao nos permitir, aliás, a nos obrigar, a controlar dois personagens simultâneos. Cada um é comandado pelo direcional de um controle. Ou por um diferente grupo de teclas no teclado (não se engane com quem diz que não é possível, eu digo que é).

No meu caso, iniciei o jogo sozinho. Cada mão controlava os irmãos no início de sua jornada. Não fui muito longe antes de meu filho decidir que não seria mais espectador e sim um participante. Dei a ele o comando do irmão menor e fiquei com a guarda do irmão mais velho. Foi a melhor decisão que já tomei em toda minha história de jogos ao lado do meu filho. A camaradagem que brotou dentro e fora da tela não pode ser mensurada. As piadas, as instruções de um para o outro, o roleplay dos irmãos (que, na verdade, se comunicam em uma língua intraduzível, mas perfeitamente clara), tudo entrou em sintonia com o feitiço imersivo engendrado pela desenvolvedora. Tudo culminou para um dos finais mais devastadores já vistos por mim ou pelo garoto. É uma experiência que não tinha tido antes. Nem ele.

Brothers - A Tale of Two Sons é cheio de momentos assim. Únicos. Em que a jogabilidade simultânea cria situações que nenhum jogo foi capaz de criar. Apenas por esta funcionalidade, esse truque de salão, a Starbreeze já mereceria ganhar os prêmios que ganhou pelo título. Mas esta jogabilidade não está ali por acaso: a narrativa parte dela e para ela converge novamente em seu epílogo, em que o simples apertar de um botão específico é capaz de evocar tantas memórias e emoções ao mesmo tempo.

O mundo é mágico e brutal. Uma travessia para ser feita a dois. Ou a três. Ou a quatro. Porque nunca estamos totalmente sozinhos. Assim como esse jogo.

Originalmente publicado em: http://blog.retinadesgastada.com.br/2015/08/conta-comigo.html
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
9 de 9 pessoas (100%) acharam esta análise útil
5.7 hrs registradas
Publicada: 11 de setembro de 2015
Esse jogo e simplesmente fantastico desde historia, trilha sonora e ambientação
outra coisa e muito nesse necessario um controle para vc ter uma experiencia melhor porque no teclado não foi feito para jogar esse jogo
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
8 de 8 pessoas (100%) acharam esta análise útil
2.9 hrs registradas
Publicada: 28 de dezembro de 2015
Valeu cada centavo ;D
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
7 de 7 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1.0 hrs registradas
Publicada: 23 de janeiro
Começo por dizer que não zerei o jogo ainda, portanto não pretendo passar a impressão de "conhecimento absoluto" sobre ele, mas joguei o bastante para poder avaliar o jogo de forma geral.

Os controles são simples e fluidos, no entanto leva certo tempo para se acostumar com eles, pois você controla os dois irmãos ao mesmo tempo com teclas / botões diferentes (ex: no controle de xbox, o analógico esquerdo controla um irmão e o direito o outro).

A história é cativante, assim como a trilha sonora. Uma coisa interessante e bem diferente sobre o jogo, é que não existe uma língua real nele. Os personagens se comunicam em um "dialeto" fictício, portanto você não vai entender nenhuma das "falas". Mas uma das características mais marcantes do jogo é justamente que você não precisa entender o que é falado - as expressões corporais e o "clima" te dizem absolutamente tudo que você precisa saber.

Em resumo achei um jogo bem diferente e "artístico" em todos os aspectos - história, trilha sonora, arte, interação, mecânica, etc - o que torna o jogo quase uma poesia (sei q isso soa brega, mas é exatamente a sensação que você tem ao jogar). Se você curte jogos indies e diferentes, provavelmente irá gostar deste.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada