Caminhe sobre a tênue linha entre a esperança e o desespero em Actual Sunlight: Uma história interativa sobre o amor, a depressão e o trabalho.
Análises de usuários:
Todas:
Muito positivas (322 análises) - 81% das 322 análises de usuários deste jogo são positivas.
Data de lançamento: 3/abr/2014

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Comprar Actual Sunlight

 

Análises

“The Biggest Challenge In This Game Is Preventing Your Character From Committing Suicide”
Kotaku

“Actual Sunlight Is The Hardest Hitting Game About Depression I’ve Ever Played”
Indiestatik

“Actual Sunlight is a brutal depiction of a man’s life self-destructing, and it’s a game whose central character can only find hope in his own death.”
Rock, Paper, Shotgun

Sobre este jogo

"Sei o que você está pensando: Por que seguir em frente, dia após dia, mesmo que a sua vida não esteja indo a lugar nenhum?"

Notório: Considerado como uma das experiências mais sombrias e bem escritas em jogos indie, Actual Sunlight desafia você a enfrentar a vida de Evan Winter: Um jovem profissional, acima do peso, depressivo e com vários problemas pessoais.

Leitura Valiosa: Apresentado quase que inteiramente em texto, possui uma mistura de observação aguda e um toque de humor negro que captam o seu interesse desde o início provocante até a grande conclusão.

Prepare-se: Actual Sunlight é único, uma aventura que permanecerá como uma das experiências mais difíceis , pertubadoras e belas que você já teve como jogador.

Características Principais


  • Uma história intensa e comovente, com temas sobre vício em videogames, infelicidade, trabalho insatisfatório e solidão.
  • Uma bela arte original em CG que traz com detalhes as ruas, escritórios e vários lugares de Toronto, no Canadá.
  • Uma trilha sonora original com uma pegada mais obscura. O que dá um tom adequado ao horror psicológico da vida real.

Aviso Importante


Devido à linguagem explícita, Actual Sunlight não é apropriado para menores de 18 anos.

O jogo lida com temas extremamente maduros, incluindo depressão e pensamentos suicidas. Semelhante a outras formas de arte que abordam estas questões, Actual Sunlight pode ser uma experiência emocional extremamente poderosa. Antes de baixá-lo, por favor, em primeiro lugar considere que a sua reação possa ser similar a um livro, filme ou música.


Para obter atualizações imediatas sobre o jogo, siga Will O'Neill no Twitter: http://www.twitter.com/willoneill

Requisitos de sistema

    Mínimos:
    • SO: Windows 98, XP, Vista, 7
    • Processador: Intel Pentium III 800 MHz
    • Memória: 512 MB de RAM
    • Placa de vídeo: 1024x768 High Color +
    • DirectX: Versão 9.0
    • Armazenamento: 100 MB de espaço disponível
Análises de usuários
Sistema de análises de usuários atualizado! Saiba mais
Todas:
Muito positivas (322 análises)
Últimas análises
Skywalkerpg
( 2.8 horas registradas )
Publicada: 9 de maio
Um daqueles jogos artísticos, com um clima extremamente tristonho e que você rapidamente vê que foi inspirado pela própria tristeza. Uma experiência rápida mas que obviamente não se pode dizer que é recomendado pra todo mundo. Pessoas que realmente sofrem de depressão podem ter uma experiência bastante ruim, mas para quem apenas quer algo artístico pode apenas dar aquele aperto no coração de um jeito "bom", análise detalhada aqui:

http://www.nerdmaldito.com/2014/04/actual-sunlight-um-jogo-com-um-forte.html
Felipe Vieira
( 2.1 horas registradas )
Publicada: 23 de maio de 2015
Uma boa historia mas só gostei mesmo nas partes finais.
Cianci
( 2.7 horas registradas )
Publicada: 30 de abril de 2015
Actual Sunlight é um grito.
Um simples jogo de RPG Maker que não vai te surpreender com nenhuma mecânica incrível, nem gráficos de última linha. O jogo conta a história de um homem lidando com sua depressão, e seja lá quem o escreveu, sabia do que estava falando. Apesar de ser curto, consegue prender o jogador com sua narrativa, deixá-lo ansioso para saber o que vai acontecer e com verdadeira pena de um protagonista tão trágico.

Ele é exatamente o que parece: Uma visual novel numa engine de RPG. Pra quem se interessa no assunto da depressão e não se importa de ler bastante, é uma compra super válida, principalmente quando está em promoção.
Sgt. Killdrax
( 1.7 horas registradas )
Publicada: 14 de março de 2015
Versão curta: Actual Sunlight é uma narrativa sobre depressão. Recomendado somente para pessoas que conseguem lidar com este tema sem problema algum.

O "jogo" (na verdade uma narrativa) Actual Sunlight é uma narrativa feita no RPGmaker que tem como foco a vida do personagem Evan Winter. Evan está à beira da depressão por conta de tudo o que há de errado em sua vida: uma empresa que não respeita seus empregados, ele está acima do peso, etc.

Apesar de todas as pessoas o dizerem que ele deve mudar seu estilo de vida, Evan não consegue sair do seu estado mental de que tudo está errado e nada vai dar certo, o que o leva a continuar afundando cada vez mais.

A narrativa é brutalmente honesta e consegue mergulhar o jogador em um verdadeiro diário pessoal de um suicida em potencial. Todos os problemas retratados no trabalho, na vida pessoal do personagem, na família do personagem e nas suas relações sociais são problemas que muitas pessoas têm. Ainda assim, creio que Actual Sunlight contenha uma história que retratam muito bem quem já teve problemas de depressão ou conhece quem tenha.
Janinha
( 1.7 horas registradas )
Publicada: 22 de dezembro de 2014
Retirado do meu blog: janinha.wordpress.com

(Grau de spoilers: moderado)

Há controvérsias sobre a qualidade dos jogos indies em geral. Resumidamente, são games produzidos por poucas pessoas (ou apenas uma) independentes, de baixo orçamento e que são lançados em plataformas virtuais como a Steam, sem comercialização em lojas físicas. Sem a obsessão pelo lucro, que controla as decisões das grandes publishers atualmente, geralmente possuem mais liberdade criativa e não necessariamente seguem o padrão de finais felizes. Gosto da comparação que estão para os filmes europeus assim como os grandes games AAA estão para a indústria de Hollywood.

No intuito de explorar um pouco minha modesta biblioteca da Steam, peguei o primeiro pela ordem alfabética. Actual Sunlight foi desenvolvido por Will O’Neill, um adulto de meia idade que nasceu em Toronto e teve que lidar com um transtorno depressivo. Usando a simpática ferramenta RPG Maker, O’Neill iniciou a saga de contar uma história de uma maneira bastante peculiar e pouco utilizada pelos escritores tradicionais: através de um game.

Assim, de uma maneira quase autobiográfica, explora a vida fictícia de Evan Winter, um empregado substituível em uma empresa burocrática, obeso, sem amigos ou perspectiva de vida. Com uma jogabilidade bastante simples, você é capaz de interagir com o ambiente e provocar reflexões densas mesmo ao utilizar objetos comuns, como um espelho.

“Afinal de contas, o mundo está vivo! Vivo e com pessoas gordas, superficiais e pobres, como você. Vivo como foram as mulheres nos ônibus em que teve pensamentos pornográficos.

Vivo como a tristeza efervescente de todos os nossos sonhos interrompidos.

E espero que leia estas simples palavras e perceba que ainda existe muito dentro de você, apenas esperando para sair.

Espero que prometa a si mesmo viver, para presenciar o dia em que realmente se apaixone à primeira vista, fechar seus olhos e viver algo que esperou por toda a vida. Aperte o botão de ‘pausa’, respire fundo e sinta o momento da maneira que sempre quis – mesmo que não seja pelas razões corretas – por qualquer pessoa“.

Enquanto você controla o personagem no seu cotidiano repetitivo, trechos do diálogo com seu psiquiatra surgem à medida que vivências diárias são discutidas. Temas como amor, infância, amizade, decepção e morte são discutidos sem preconceito ou censura (aliás, logo no início do game, você é avisado que trata-se de um jogo maduro e com cenas impactantes, confirmando se realmente quer ir em frente).

O’Neill explorou, de maneira emocionante, a empatia com colegas explorados no ambiente de trabalho do personagem, seus vícios da modernidade, amores não correspondidos, sonhos não realizados e, o mais importante: a solidão. Inicialmente, o protagonista reflete que, apesar de todo o seu sofrimento, deveria ser grato pela vida que possui:

“Ninguém aprecia ir ao dentista, mas você preferiria que seus dentes fossem arrancados a cacetadas por um policial infeliz? Tenho sorte de não ser um mendigo e morrer esfaqueado“.

Ao longo da história, os conflitos do personagem são explorados de maneira muito intensa e sempre remetendo à possibilidade do suicídio (isso também logo no início do jogo). Os diálogos com o psiquiatra, que inicialmente parece compreendê-lo e fazê-lo mostrar uma outra face da realidade não percebida pelo paciente, fracassam ao longo dos anos. Isso é explicado pelo protagonista devido à sua incapacidade modificar a própria existência, como é exemplificado com seu grande incômodo por ser obeso.

“Paciente: é engraçado como eu gosto disso, e ainda assim fica pior ao mesmo tempo, sabe? Você vive a bosta de um estilo de vida desses, e se afunda cada vez mais nele. Até que toda a sua vida se torna uma estranha e paradoxal mistura da sobrevivência desesperada e um vagaroso suicídio, ao mesmo tempo.

Doutor: pra falar a verdade, concordo plenamente com você. Acho que você deveria acabar com isso.

Paciente: você acha?

Doutor: ou é isso, ou você vive essa vida horrível e fodida”.

O final do jogo demonstra, de forma impactante, as consequências de uma depressão não reconhecida pela sociedade e pelo próprio paciente, além do esvaziamento emocional entre as relações humanas e a mecanização dos “ideais”.

Finalmente, considero um jogo provocativo e intrigante, conseguindo causar mais emoções que muitos filmes ou livros, quebrando paradigmas e a ideia equivocada que todos os games seguem roteiro hollywoodiano. É curtinho (1:30 – 2:00 de jogatina) e barato na Steam, porém totalmente contra-indicado caso você não esteja de bom humor.
Gusral
( 1.6 horas registradas )
Publicada: 24 de junho de 2014
Que experiência... Diferente e denso... Irônico, ácido, mordaz... Não sei bem o que falar. Trata-se de uma experiência psicológica. Não é bem um game. Recomendado para quem NÃO SOFRE com depressão e NEM POSSUI AUTOESTIMA BAIXA.
Hiokito Durkheim
( 1.7 horas registradas )
Publicada: 31 de maio de 2014
De todos os jogos na minha lista ,tenho orgulho de dizer que esse é o melhor deles, pra ser mais sincero,foi o unico jogo na vida que me prendeu tanto assim, apesar de ser curtissimo é aquele tipo de jogo que faz vc refletir sobre tudo na sua vida.
Quem criou ele esta de parabens, eu estava caçando um jogo que me fizesse sintir assim a anos,nota 10 >.<.
Análises mais úteis  No geral
4 de 4 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
1.7 horas registradas
Publicada: 14 de março de 2015
Versão curta: Actual Sunlight é uma narrativa sobre depressão. Recomendado somente para pessoas que conseguem lidar com este tema sem problema algum.

O "jogo" (na verdade uma narrativa) Actual Sunlight é uma narrativa feita no RPGmaker que tem como foco a vida do personagem Evan Winter. Evan está à beira da depressão por conta de tudo o que há de errado em sua vida: uma empresa que não respeita seus empregados, ele está acima do peso, etc.

Apesar de todas as pessoas o dizerem que ele deve mudar seu estilo de vida, Evan não consegue sair do seu estado mental de que tudo está errado e nada vai dar certo, o que o leva a continuar afundando cada vez mais.

A narrativa é brutalmente honesta e consegue mergulhar o jogador em um verdadeiro diário pessoal de um suicida em potencial. Todos os problemas retratados no trabalho, na vida pessoal do personagem, na família do personagem e nas suas relações sociais são problemas que muitas pessoas têm. Ainda assim, creio que Actual Sunlight contenha uma história que retratam muito bem quem já teve problemas de depressão ou conhece quem tenha.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
0 de 1 pessoas (0%) acharam esta análise útil
Recomendado
1.7 horas registradas
Publicada: 31 de maio de 2014
De todos os jogos na minha lista ,tenho orgulho de dizer que esse é o melhor deles, pra ser mais sincero,foi o unico jogo na vida que me prendeu tanto assim, apesar de ser curtissimo é aquele tipo de jogo que faz vc refletir sobre tudo na sua vida.
Quem criou ele esta de parabens, eu estava caçando um jogo que me fizesse sintir assim a anos,nota 10 >.<.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
1.7 horas registradas
Publicada: 22 de dezembro de 2014
Retirado do meu blog: janinha.wordpress.com

(Grau de spoilers: moderado)

Há controvérsias sobre a qualidade dos jogos indies em geral. Resumidamente, são games produzidos por poucas pessoas (ou apenas uma) independentes, de baixo orçamento e que são lançados em plataformas virtuais como a Steam, sem comercialização em lojas físicas. Sem a obsessão pelo lucro, que controla as decisões das grandes publishers atualmente, geralmente possuem mais liberdade criativa e não necessariamente seguem o padrão de finais felizes. Gosto da comparação que estão para os filmes europeus assim como os grandes games AAA estão para a indústria de Hollywood.

No intuito de explorar um pouco minha modesta biblioteca da Steam, peguei o primeiro pela ordem alfabética. Actual Sunlight foi desenvolvido por Will O’Neill, um adulto de meia idade que nasceu em Toronto e teve que lidar com um transtorno depressivo. Usando a simpática ferramenta RPG Maker, O’Neill iniciou a saga de contar uma história de uma maneira bastante peculiar e pouco utilizada pelos escritores tradicionais: através de um game.

Assim, de uma maneira quase autobiográfica, explora a vida fictícia de Evan Winter, um empregado substituível em uma empresa burocrática, obeso, sem amigos ou perspectiva de vida. Com uma jogabilidade bastante simples, você é capaz de interagir com o ambiente e provocar reflexões densas mesmo ao utilizar objetos comuns, como um espelho.

“Afinal de contas, o mundo está vivo! Vivo e com pessoas gordas, superficiais e pobres, como você. Vivo como foram as mulheres nos ônibus em que teve pensamentos pornográficos.

Vivo como a tristeza efervescente de todos os nossos sonhos interrompidos.

E espero que leia estas simples palavras e perceba que ainda existe muito dentro de você, apenas esperando para sair.

Espero que prometa a si mesmo viver, para presenciar o dia em que realmente se apaixone à primeira vista, fechar seus olhos e viver algo que esperou por toda a vida. Aperte o botão de ‘pausa’, respire fundo e sinta o momento da maneira que sempre quis – mesmo que não seja pelas razões corretas – por qualquer pessoa“.

Enquanto você controla o personagem no seu cotidiano repetitivo, trechos do diálogo com seu psiquiatra surgem à medida que vivências diárias são discutidas. Temas como amor, infância, amizade, decepção e morte são discutidos sem preconceito ou censura (aliás, logo no início do game, você é avisado que trata-se de um jogo maduro e com cenas impactantes, confirmando se realmente quer ir em frente).

O’Neill explorou, de maneira emocionante, a empatia com colegas explorados no ambiente de trabalho do personagem, seus vícios da modernidade, amores não correspondidos, sonhos não realizados e, o mais importante: a solidão. Inicialmente, o protagonista reflete que, apesar de todo o seu sofrimento, deveria ser grato pela vida que possui:

“Ninguém aprecia ir ao dentista, mas você preferiria que seus dentes fossem arrancados a cacetadas por um policial infeliz? Tenho sorte de não ser um mendigo e morrer esfaqueado“.

Ao longo da história, os conflitos do personagem são explorados de maneira muito intensa e sempre remetendo à possibilidade do suicídio (isso também logo no início do jogo). Os diálogos com o psiquiatra, que inicialmente parece compreendê-lo e fazê-lo mostrar uma outra face da realidade não percebida pelo paciente, fracassam ao longo dos anos. Isso é explicado pelo protagonista devido à sua incapacidade modificar a própria existência, como é exemplificado com seu grande incômodo por ser obeso.

“Paciente: é engraçado como eu gosto disso, e ainda assim fica pior ao mesmo tempo, sabe? Você vive a bosta de um estilo de vida desses, e se afunda cada vez mais nele. Até que toda a sua vida se torna uma estranha e paradoxal mistura da sobrevivência desesperada e um vagaroso suicídio, ao mesmo tempo.

Doutor: pra falar a verdade, concordo plenamente com você. Acho que você deveria acabar com isso.

Paciente: você acha?

Doutor: ou é isso, ou você vive essa vida horrível e fodida”.

O final do jogo demonstra, de forma impactante, as consequências de uma depressão não reconhecida pela sociedade e pelo próprio paciente, além do esvaziamento emocional entre as relações humanas e a mecanização dos “ideais”.

Finalmente, considero um jogo provocativo e intrigante, conseguindo causar mais emoções que muitos filmes ou livros, quebrando paradigmas e a ideia equivocada que todos os games seguem roteiro hollywoodiano. É curtinho (1:30 – 2:00 de jogatina) e barato na Steam, porém totalmente contra-indicado caso você não esteja de bom humor.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
1.6 horas registradas
Publicada: 24 de junho de 2014
Que experiência... Diferente e denso... Irônico, ácido, mordaz... Não sei bem o que falar. Trata-se de uma experiência psicológica. Não é bem um game. Recomendado para quem NÃO SOFRE com depressão e NEM POSSUI AUTOESTIMA BAIXA.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
2.1 horas registradas
Publicada: 23 de maio de 2015
Uma boa historia mas só gostei mesmo nas partes finais.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
2.7 horas registradas
Publicada: 30 de abril de 2015
Actual Sunlight é um grito.
Um simples jogo de RPG Maker que não vai te surpreender com nenhuma mecânica incrível, nem gráficos de última linha. O jogo conta a história de um homem lidando com sua depressão, e seja lá quem o escreveu, sabia do que estava falando. Apesar de ser curto, consegue prender o jogador com sua narrativa, deixá-lo ansioso para saber o que vai acontecer e com verdadeira pena de um protagonista tão trágico.

Ele é exatamente o que parece: Uma visual novel numa engine de RPG. Pra quem se interessa no assunto da depressão e não se importa de ler bastante, é uma compra super válida, principalmente quando está em promoção.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
2.8 horas registradas
Publicada: 9 de maio
Um daqueles jogos artísticos, com um clima extremamente tristonho e que você rapidamente vê que foi inspirado pela própria tristeza. Uma experiência rápida mas que obviamente não se pode dizer que é recomendado pra todo mundo. Pessoas que realmente sofrem de depressão podem ter uma experiência bastante ruim, mas para quem apenas quer algo artístico pode apenas dar aquele aperto no coração de um jeito "bom", análise detalhada aqui:

http://www.nerdmaldito.com/2014/04/actual-sunlight-um-jogo-com-um-forte.html
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada