Congratulações. A loteria de outubro foi concluída. Seu nome foi selecionado. Compareça ao Ministério da Admissão no Posto da Fronteira de Grestin para relocação imediata. Um apartamento será providenciado para você e sua família em Grestin Leste. Glória à Arstotzka.
Análises de usuários:
Últimas:
Muito positivas (340 análises) - 94% das 340 análises de usuários dos últimos 30 dias são positivas.
Todas:
Extremamente positivas (16,060 análises) - 96% das 16,060 análises de usuários deste jogo são positivas.
Data de lançamento: 8/ago/2013

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Comprar Papers, Please

 

Análises

“Buy, study, and share this game as an example of video games as true art.”
BUY – Ars Technica

“..it is absorbing, brilliantly written and causes you to question your every instinct and reaction - both in the game and in real life.”
9/10 – Eurogamer

“Papers Please is a fantastic idea, beautifully executed.”
8.7/10 – IGN

Sobre este jogo

Congratulações.
A loteria de outubro foi concluída. Seu nome foi selecionado.
Compareça ao Ministério da Admissão no Posto da Fronteira de Grestin para relocação imediata.
Um apartamento será providenciado para você e sua família em Grestin Leste.
Glória à Arstotzka.



O país comunista Arstotzka terminou uma guerra de seis anos com o vizinho Kolechia e reclamou sua metade da cidade de fronteira Grestin.

Seu trabalho como inspetor de imigração é controlar o fluxo de pessoas que entram na parte de Arstotzka da cidade. Em meio à multidão de imigrantes e visitantes buscando por trabalho estão contrabandistas, espiões e terroristas.

Usando apenas os documentos fornecidos pelos viajantes e os sistemas primitivos de inspeção, busca e verificação de digitais do Ministério de Admissão, você deve decidir quem pode entrar em Arstotzka e quem será recusado ou preso.

Requisitos de sistema

Windows
Mac OS X
SteamOS + Linux
    Mínimos:
    • SO: Windows XP or later
    • Processador: 1.5 GHz Core2Duo
    • Memória: 2 GB de RAM
    • Placa de vídeo: OpenGL 1.4 or better
    • Armazenamento: 100 MB de espaço disponível
    • Outras observações: Minimum 1280x720 screen resolution
    Mínimos:
    • SO: OSX Mountain Lion (10.8)
    • Processador: 1.5 GHz Core2Duo
    • Memória: 2 GB de RAM
    • Placa de vídeo: OpenGL 1.4 or better
    • Armazenamento: 100 MB de espaço disponível
    • Outras observações: Minimum 1280x720 screen resolution
    Mínimos:
    • Processador: 1.5 GHz Core2Duo
    • Memória: 2 GB de RAM
    • Armazenamento: 100 MB de espaço disponível
    • Outras observações: Minimum 1280x720 screen resolution
Análises de usuários
Sistema de análises de usuários atualizado! Saiba mais
Últimas:
Muito positivas (340 análises)
Todas:
Extremamente positivas (16,060 análises)
Últimas análises
NinjaGamerShow
2.6 hrs
Publicada: 30 de julho
Muito bom
Pepita de Frango do BK
17.8 hrs
Publicada: 27 de julho
Valar morghulis.... n pera
n.
5.8 hrs
Publicada: 11 de julho
Não sinta pena nesse jogo, apenas faça seu trabalho.
Leandro81
15.3 hrs
Publicada: 10 de julho
Da mesa de um posto de fronteira, com o poder dos meus carimbos, iniciei a revolução de um país.

Acredite! Esse jogo desafia a sua mente, a sua percepção e as suas convicções morais e éticas.
Uma grande idéia executada de forma bem simples.

Um dos melhores indies da Steam.
10/10.
MADEINBRAZIL123
2.2 hrs
Publicada: 8 de julho
Esse jogo é super bem feito, tem um clima de tensão muito grande, e você se sente pressionado a trabalhar mais rápido para ganhar mais dinheiro, e é aí que os erros começam. Só não recomendo para pessoas que se frustram muito, pois o game tem vários game over.
Yukinho
6.5 hrs
Publicada: 6 de julho
Ótimo
-Necessita um pouco de Habilidade
-Modo Histórie e modo Extra
-PT-BR
-Diversas Situações
-20 finais diferentes!
-Suas escolhas afetama história
-Se for preso (um dos finais) Não precisa jogar tudo de novo é so jogar o dia em que fez uma escolha ruim e mudar!
-Não seja um cara muito bonzinho
)I Am(
1.4 hrs
Publicada: 5 de julho
divertido, mas temporario
VegamGamer
10.5 hrs
Publicada: 5 de julho
Jogo sensacional! Fiquei viciado.
O jogo tem umas sacadas muito boa e algumas escolhas mexem com você. Você realmente sente que está em uma trabalho burocrático e o jogo tem 20 finais.

E os kolechianos são cuzões
C4RLO5
5.0 hrs
Publicada: 4 de julho
Glória a Arstotzka kkkkkkkk

Jogo pequeno (cerca de 40mb) porém muito divertido. Vale o investimento!
Nostalgia pura. Me faz lembrar meu antigo AMD K6II, 64mb RAM...
Gabycho
9.3 hrs
Publicada: 1 de julho
"Documentos, por favor."

Pega documento, verifica, questiona, carimba, PRÓXIMO!
Não tem visto, recusado, volta. Pulou o muro, terrorista!
Um monte de pixels, um monte de texto, atividade repetitiva.

Mesmo assim, Papers, Please, consegue prender graças à uma narrativa da sua sobrevivência versus a moral de como lidar com centenas de imigrantes. Vale a pena salvar um casal que vai morrer se não passar e deixar sua família com fome por isso? A lei deve ser seguida à risca? Você vai orgulhar sua pátria e ser um bom Arstotzkano?

Bom, não importa. Seus documentos parecem estar em dia.
Glória a Arstotzka.
Análises mais úteis  Nos últimos 30 dias
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
2.6 horas registradas
Publicada: 30 de julho
Muito bom
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Análises mais úteis  No geral
88 de 92 pessoas (96%) acharam esta análise útil
13 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
11.3 horas registradas
Publicada: 9 de agosto de 2014
O próprio "gênero" de Papers, Please - um simulador de burocracia - cria imediatamente uma impressão negativa do jogo. Mas, na verdade, isso tudo não passa de uma mentira criada por conspiradores Kolechianos que querem derrubar a gloriosa Artstotzka. A verdade é que não há trabalho mais honroso do que servir no posto de controle da fronteira deste grande país, cercado por tantas nações de inferior grandeza. Especialmente Kolechia. Nunca confie nos porcos Kolechianos.

Papers, Please, o único jogo onde imigrantes obesas de 70 anos carregam granadas e dinamites na calcinha.

Glória a Arstotzka!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
63 de 63 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
12.5 horas registradas
Publicada: 25 de novembro de 2013
Este review tinha intenção de ser o texto de um vídeo, porém o mesmo unca foi feito então decidi posta-lo aqui pra ajudar quem quer conhecer um pouco do jogo antes de comprar

Papers, Please é um jogo de aventura gráfica lançado em agosto de 2013 e desenvolvido por um único cara. Mas o jogo não é simplesmente uma aventura gráfica, ele também podde ser considerado um simulador de agente da alfandega ou um micro-management da vida de uma pessoa em país durante a guerra fria ou um simples puzzle game. Vivenciado no fictício país de Artorzta, um misto de união soviética com contos Distópicos como Brasil (filme que recomendo), você controla um
personagem sem nome que tem a função de cuidar de um posto de imigração recém aberto na fronteira do país, depois de 6 anos de guerra. Parece sem graça, mas depois de 10 minutos jogando você não consegue mais parar de verificar papeis, olhar o tempo e chamar mais pessoas ao seu guichê. O esquema de jogo é simples, você recebe um livro de regras, mapas dos países da região e informações para comparação de de veracidade de documentos, ao receber um novo cidadão algumas perguntas são feitas e você deve tentar dar o veredito se aquela pessoa está limpa ou não pra entrar no seu país, Glory to Artostka. Durante seu trabalho você vai se deparar com pessoas desde diplomatas à ladrões estampados na foto dos jornais, pessoas com todos os documentos ou desesperados que esqueceram seu passaporte antes de tentar a entrada, Você vai ter que aprender a lidar com diversas situações extras, como favores de amigos, tentativas de compra de favores ou de uma entrada fácil no país, escolhas morais são feitas o tempo todo no game e Ao final de cada dia você tem que controlar seus gastos e manter sua família bem e segura, caso contrário... você descobrirá em um dos 20 finais disponíveis do jogo. Seus ganhos são baseados no números de rejeições ou permissões dadas de forma correta e permissões ou negações erradas custam créditos então é necessário tomar cuidado pra não ter um dia difícil escolhendo entre os medicamentos do seu filho, o presente da sua esposa, a comida da sua casa ou o aquecimento. Falando em finais, suas escolhas interferem em como você vai acabar sua jogatina e variam de maneira brilhante. E dentre estes finais caso você consiga ser um bom trabalhador integro e honesto você consegue desbloquear o modo endless.
A música é quase inexistente no jogo e isto deixa um ambiente monótono e parado como deve ser um local de trabalho de um agente de imigração nas condições do game, criando uma atmosfera introspectiva e pesada no game, mas ist não é nem de longe um incomodo e a recompensa pessoal é tão grande quando você acerta um traficante, ladrão ou um dos três mais procurados dos jornais que você se imerge dentro do game e caso o jogo te pegue você não conseguir parar de jogar, mesmo que você seja dos mais chatos e amantes da modernidade nos games.
O único ponto negativo do game é que eventos lineares acontecem de maneira muito fixa e recomeçar um jogo é extressante e cansativo e saiba que você vai recomeçar várias vezes!

Paper, Please é mais um daqueles jogos que no papel não funcionaria, mas na prática é uma obra esplêndida e que dá mais
um folego à monotona indústria dos games.

Segundo este que vos fala a nota deste jogo é 9,0, ou seja, COMPRE ESTA PORCARIA AGORA E COMECER A FAZER SEU TRABALHO.

PRÓXIMO!

PAPERS, PLEASE!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
61 de 62 pessoas (98%) acharam esta análise útil
6 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
11.4 horas registradas
Publicada: 16 de julho de 2015
Glória a Arstotzka!
Paper's Please é um jogo indie do gênero de simulação, e aborda temas políticos. Você joga como um homem que acabou de ser sorteado para trabalhar na fronteira de Grestin Leste do país Arstotzka, que acabou de sair de uma guerra contra o país vizinho Kolechia. Seu objetivo no jogo é analisar os documentos dos viajantes que pretendem atravessar a fronteira, e só permitir o acesso ao país para aqueles que possuem todos os documentos, sem nenhuma discrepância entre eles. O problema é que você ganha créditos (a moeda de Arstotzka) por pessoa que você deixa passar ou não corretamente, portanto você tem que prestar atenção para checar se a pessoa atende todos os requisitos para entrar no país, mas você também tem que fazer isso em menor tempo possível para que sua família não morra de fome, frio ou doença. Enfim, é uma mecânica complexa em um jogo bem simples, na maioria do tempo Point and Click.
Ao decorrer do enredo (que por sinal é fantástico), você entra em contato com grupos rebeldes, oficiais de justiça, e pessoas importantes das quais você pode oferecer favores em troca de pouco dinheiro e eterna gratidão (e um tolkien que rende uma conquista na Steam). Por causa desses contatos, e do enredo bem elaborado, o jogo possui 20 (isso mesmo, 20, não é erro de digitação, são 20) finais, a depender de suas escolhas entre os 31 dias de trabalho (ou menos, você pode morrer, ser preso ou falir antes).
Enfim, para entusiastas indies como eu, o jogo é pré-requisito. Para quem não é entusiasta, vale a pena checar esse maravilhoso jogo.
Recomendado uma cadeira confortável e uma xícara de café para jogar esse jogo. Sente-se, relaxe, e PRÓXIMO!
10/10, Glória a Arstotzka!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
49 de 49 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
16.6 horas registradas
Publicada: 8 de julho de 2014
Ser um fiscal de imigração não é brincadeira. Em um dos meus primeiros dias tive que determinar se um casal conseguiria passar pela fronteira juntos, ou se a mulher ficaria para trás por ter um documento vencido. Devolvi o passaporte dela com um grande carimbo vermelho escrito NEGADO. "A lei é a lei", eu pensava.

Quanta inocência. Logo vi que servir à Grande Arstotzka tem seu preço. Todo dia o Ministério de Imigração inventa um novo documento a ser analisado, uma nova exigência. Eu tenho que conferir se o que a pessoa fala bate com o que está escrito, se o número de identidade dela é o mesmo em vários documentos, se ela está mais pesada do que diz o passaporte (sinal de que carrega contrabando), se já foi vacinada, se o carimbo do passaporte é legítimo...

Isso sem falar nas políticas que vivem mudando. Hoje todo cidadão de Arstotzka pode entrar, amanhã eu terei que confiscar seus passaportes. A única coisa que não muda são os ataques de terroristas da Kolechia.

A pressão do trabalho é enorme. Eu ganho pela quantidade de pedidos que julgo. Por isso tento analisar cada caso o mais rápido possível, para garantir que o salário no fim do dia dê para pagar o aluguel, a comida e o aquecimento da minha família. Fora os remédios da minha sogra; aquela velha vive doente. Cheguei a dizer que descontam do meu salário sempre que eu cometo o menor errinho? Pois é.

Não sei quanto tempo consigo aguentar nesse trabalho. Começo a simpatizar com um grupo secreto que planeja derrubar todos aqueles canalhas do governo. Eles pediram minha ajuda, disseram que sou importante para a causa. Pode não parecer, mas um simples fiscal de imigração consegue mudar a história.

Veremos.

Glória à Arstotzka!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
46 de 46 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
18.4 horas registradas
Publicada: 28 de dezembro de 2013
Papers, Please é um simulador de rotina ad nauseam e há inclusive (pasmem!) um modo de jogo infinito. Literalmente. Mas espere, não é só isso. O contexto distópico é essencialmente Orwelliano e a repetição exaustiva de "approved" e "denied" induz uma imersão quase hipnótica ao mesmo tempo que exige uma certa prontidão cognitiva. Um descuido e lá se vai um homem-bomba explodir seus companheiros ou um contrabandista corromper a moralidade de Arstotzka. Ah, Arstotzka! A amada nação que te acolhe e abraça... com braços de ferro. Braços que estão sendo lentamente enfraquecidos pela Order of the EZIC Star, mas quem diabos são eles e o que querem com você? Papers, Please tem um roteiro brilhante e muito bem executado apesar de ser relativamente curto. Tudo isso embrulhado em nostalgia audiovisual de 8-bits. Aqui você não vai encontrar mera diversão, mas uma boa fonte alternativa de entretenimento.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
41 de 41 pessoas (100%) acharam esta análise útil
19 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
18.2 horas registradas
Publicada: 1 de dezembro de 2014
BUY THIS NOW, PAY MEDICE TO SON LATER!

GLORY TO ARSTOTZKA!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
44 de 46 pessoas (96%) acharam esta análise útil
9 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
17.5 horas registradas
Publicada: 6 de novembro de 2014
Nunca pensei que fosse gostar tanto de um trabalho burocrático.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
48 de 53 pessoas (91%) acharam esta análise útil
25 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
5.7 horas registradas
Publicada: 7 de junho de 2015
CARA. CARA. CARA. CARA.
QUE JOGÃO.

Você é um fiscal de aeroporto que tem que escolher entre fazer escolhas que são corretas moralmente porém erradas na prática, como deixar um marido levar sua esposa junto sem ela ter o passaporte, ou deixar uma pessoa fugitiva passar para que ela não seja torturada no seu país de origem etc.

PONTOS FORTES
+ Desafiante. Tempo é dinheiro, e dinheiro é prioridade sobre sua vida numerada em Arstotzka. Seja rápido em identificar erros em passaportes e em documentos que cada vez são mais numerosos, como RGs, CPFs, Passaportes, Certificado de Saúde, Certificado de Permissão de Pousar, Certificado de Certificação, Certificado sobre Certificados e Cerficados sobre Certificados que são certificados. Glória à Arstotzka!

+ Administre bem seu sálario. Partes que sua familia vão morrer, e você deve se corromper a subornos para poder pagar comida e medicamentos, e pagar por sua casa. O Ministério das Finanças está de olho em você. Se você começar a ganhar dinheiro de uma forma suspeitosa, você será denunciado por quem você menos desconfia. Glória à Arstotzka!

+ Terrorismo. Sim. Ataques terroristas serão frequentes nos seus turnos e para isso, você receberá um bonus para cada terrorista que você atirar. Você deve ser rápido em achar suas chaves para seu armário de armas, e se você usar uma arma letal, você pode ser preso pois eles não te deram ela. Logo... TRAIDOR! Glória à Arstotzka!

+ Díficil. Sim, é. Você tem um milhão de formas que perder o jogo. Seja o Ministério das Finanças, a Inteligencia do Governo, Terrorismo, Terrorismo, Terrooorismo, o seu fiscal-superior ficando bravo com você, ser preso por não ter dinheiro, ser preso por cooperar com terroristas, ser preso por ser corrupto, ser preso por tudo. E se você for preso, sua familia é mandada carinhosamente á uma vila.. E quem vai alimenta-los? E pagar os medicamentos que você teve que ser subornado para comprar? Ninguém! Glória à Arstotzka!

Compre-o. Compre-o.

Ah, e lembre-se. Glória à Arstotzka!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
37 de 37 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
3.9 horas registradas
Publicada: 23 de março de 2014
"Papers, Please" é um thriller burocrático e um jogo altamente experimental.

Toda a experiência é compassada com a experiência de você ser o responsável pela fronteira de um país. Como um fiscal da imigração, você é a palavra final de quem pode ou não passar na fronteira. No meio de tribulações políticas dentro de seu país e na região, você deve garantir a regularidade dos imigrantes, assim como descobrir possíveis contrabandistas, terroristas e forjadores.

A medida que o jogo avança, o jogo vai exigindo um maior poder de observação do jogador, que deve conferir documentos e analisar o comportamento das pessoas. Pessoas necessitadas, acordo entre os oficiais da borda, integrantes da resistência... todos passam por seu carimbo.

Ao mesmo tempo que a jogabilidade cobra perfeição de análise, ele pede rapidez. Com uma família para cuidar e renda para gerenciar, esse é o último ponto crítico da jogabilidade, você deve ser rápido e eficiente para você ter dinheiro para sobreviverem... ao mesmo tempo que faz as alianças certas.

Um jogo de decisão simples e profundo, a todo momento existe a pressão de que sua família deve ser provida de sustento e ainda que você é o único que define o futuro das pessoas que passam pela sua revista. Pesado e realista, é uma história sobre burocracia, política e pessoas. Diferente de outros jogos que você já viu, é uma experiência e tanto. Única!

Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada