Congratulations. The October labor lottery is complete. Your name was pulled. For immediate placement, report to the Ministry of Admission at Grestin Border Checkpoint. An apartment will be provided for you and your family in East Grestin. Expect a Class-8 dwelling.
Análises de usuários: Extremamente positivas (9,495 análises)
Data de lançamento: 8/ago/2013

Inicie a sessão para adicionar este jogo à sua lista de desejos ou dispensá-lo

Comprar Papers, Please

PROMOÇÃO DE FIM DE ANO! A oferta acaba em 2 de janeiro

-50%
$9.99
$4.99
 

Recomendado por curadores

"I don't like this game, but I respect it. It made manning a passport station gripping and challenging, though it's certainly a grim tale."
Veja a análise completa aqui.

Análises

“Buy, study, and share this game as an example of video games as true art.”
BUY – Ars Technica

“..it is absorbing, brilliantly written and causes you to question your every instinct and reaction - both in the game and in real life.”
9/10 – Eurogamer

“Papers Please is a fantastic idea, beautifully executed.”
8.7/10 – IGN

Sobre este jogo

Congratulations.
The October labor lottery is complete. Your name was pulled.
For immediate placement, report to the Ministry of Admission at Grestin Border Checkpoint.
An apartment will be provided for you and your family in East Grestin. Expect a Class-8 dwelling.
Glory to Arstotzka



The communist state of Arstotzka has just ended a 6-year war with neighboring Kolechia and reclaimed its rightful half of the border town, Grestin. Your job as immigration inspector is to control the flow of people entering the Arstotzkan side of Grestin from Kolechia. Among the throngs of immigrants and visitors looking for work are hidden smugglers, spies, and terrorists. Using only the documents provided by travelers and the Ministry of Admission's primitive inspect, search, and fingerprint systems you must decide who can enter Arstotzka and who will be turned away or arrested.

Requisitos de sistema

Windows
Mac OS X
SteamOS + Linux
    Minimum:
    • OS: Windows XP or later
    • Processor: 1.5 GHz Core2Duo
    • Memory: 2 GB RAM
    • Graphics: OpenGL 1.4 or better
    • Hard Drive: 100 MB available space
    • Additional Notes: Minimum 1280x720 screen resolution
    Minimum:
    • OS: OSX Mountain Lion (10.8)
    • Processor: 1.5 GHz Core2Duo
    • Memory: 2 GB RAM
    • Graphics: OpenGL 1.4 or better
    • Hard Drive: 100 MB available space
    • Additional Notes: Minimum 1280x720 screen resolution
    Minimum:
    • Processor: 1.5 GHz Core2Duo
    • Memory: 2 GB RAM
    • Hard Drive: 100 MB available space
    • Additional Notes: Minimum 1280x720 screen resolution
Análises úteis de usuários
26 de 27 pessoas (96%) acharam esta análise útil
8.4 hrs registradas
Publicada: 9 de agosto
O próprio "gênero" de Papers, Please - um simulador de burocracia - cria imediatamente uma impressão negativa do jogo. Mas, na verdade, isso tudo não passa de uma mentira criada por conspiradores Kolechianos que querem derrubar a gloriosa Artstotzka. A verdade é que não há trabalho mais honroso do que servir no posto de controle da fronteira deste grande país, cercado por tantas nações de inferior grandeza. Especialmente Kolechia. Nunca confie nos porcos Kolechianos.

Papers, Please, o único jogo onde imigrantes obesas de 70 anos carregam granadas e dinamites na calcinha.

Glória a Arstotzka!
Você achou esta análise útil? Sim Não
20 de 20 pessoas (100%) acharam esta análise útil
16.6 hrs registradas
Publicada: 8 de julho
Ser um fiscal de imigração não é brincadeira. Em um dos meus primeiros dias tive que determinar se um casal conseguiria passar pela fronteira juntos, ou se a mulher ficaria para trás por ter um documento vencido. Devolvi o passaporte dela com um grande carimbo vermelho escrito NEGADO. "A lei é a lei", eu pensava.

Quanta inocência. Logo vi que servir à Grande Arstotzka tem seu preço. Todo dia o Ministério de Imigração inventa um novo documento a ser analisado, uma nova exigência. Eu tenho que conferir se o que a pessoa fala bate com o que está escrito, se o número de identidade dela é o mesmo em vários documentos, se ela está mais pesada do que diz o passaporte (sinal de que carrega contrabando), se já foi vacinada, se o carimbo do passaporte é legítimo...

Isso sem falar nas políticas que vivem mudando. Hoje todo cidadão de Arstotzka pode entrar, amanhã eu terei que confiscar seus passaportes. A única coisa que não muda são os ataques de terroristas da Kolechia.

A pressão do trabalho é enorme. Eu ganho pela quantidade de pedidos que julgo. Por isso tento analisar cada caso o mais rápido possível, para garantir que o salário no fim do dia dê para pagar o aluguel, a comida e o aquecimento da minha família. Fora os remédios da minha sogra; aquela velha vive doente. Cheguei a dizer que descontam do meu salário sempre que eu cometo o menor errinho? Pois é.

Não sei quanto tempo consigo aguentar nesse trabalho. Começo a simpatizar com um grupo secreto que planeja derrubar todos aqueles canalhas do governo. Eles pediram minha ajuda, disseram que sou importante para a causa. Pode não parecer, mas um simples fiscal de imigração consegue mudar a história.

Veremos.

Glória à Arstotzka!
Você achou esta análise útil? Sim Não
15 de 16 pessoas (94%) acharam esta análise útil
17.5 hrs registradas
Publicada: 6 de novembro
Nunca pensei que fosse gostar tanto de um trabalho burocrático.
Você achou esta análise útil? Sim Não
12 de 13 pessoas (92%) acharam esta análise útil
6.0 hrs registradas
Publicada: 3 de novembro
GLORY TO ARSTOTZKA!
Não há trabalho mais gratificante do que o de inspetor da fronteira dessa gloriosa nação que é Arstotzka. Sinto-me extremamente honrado por receber um salário medíocre após um cansativo dia de trabalho contra essa escória estrangeira que almeja corromper a grande Arstotzka. Na verdade, até gostaria de abdicar de meu salário, pois só a ideia de que cumpri o meu dever para com Arstotzka já me satisfaz e tenho certeza de que a minha família irá entender que nossas vidas não valem nada diante da grandiosa Arstotzka.

Papers, Please é a escolha certa caso você busque um jogo singular, desafiador e dotado de uma atmosfera que remete ao bom e velho regime soviético.
Você achou esta análise útil? Sim Não
13 de 15 pessoas (87%) acharam esta análise útil
30.2 hrs registradas
Publicada: 28 de junho
Sem dúvida um dos melhores jogos indie que já joguei.
Simples, porém com trama e acontecimentos envolventes, o seu personagem é 'apenas' um inspetor em uma fronteira de Arstotzka, entretanto com papel fundamental para o desenrolar da história originando assim 20 finais diferentes dependendo das suas escolhas no game. Este jogo quebra a pespectiva de que um jogo simplório, sem grandes gráficos nem feito por grandes empresas possa ter personagens carismáticos(Jorji) e histórias interativas e marcantes. Escolhendo quem passará pela fronteira, suprindo necessidades da sua família e se unindo ou não a grupos revolucionários permite que haja inúmeros caminhos te fazendo querer joga-lo 2, 3 vezes.
10/10
Você achou esta análise útil? Sim Não
18 de 27 pessoas (67%) acharam esta análise útil
2.4 hrs registradas
Publicada: 6 de julho
Fui preso no meu terceiro dia de trabalho. 10/10
Você achou esta análise útil? Sim Não
4 de 4 pessoas (100%) acharam esta análise útil
8.9 hrs registradas
Publicada: 21 de junho
Glory to New Arstotzka!
Você achou esta análise útil? Sim Não
4 de 4 pessoas (100%) acharam esta análise útil
3.8 hrs registradas
Publicada: 14 de outubro
Depois da guerra, as fronteiras da Arstotzka ficaram mais rígidas. Os empregos estão escassos e você precisa prover moradia, comida e aquecimento para sua esposa, filho e sogra, depois de meses sem você saber o que é ter um lugar para viver. Mas que sorte! Você foi escolhido na Loteria do Trabalho e já pode começar a trabalhar como agente num posto de controle de fronteira. Seu dever é deixar entrar apenas aqueles que o governo quer deixar entrar.

Mas será tão fácil assim proibir a entrada de um fugitivo de guerra da Republia -- um país vizinho -- ao seu glorioso país, com a certeza de que ele será executado ao voltar para casa? Você deixará o homem que acabou de entrar no seu país sem sua esposa por que ela estava com um documento atrasado em um dia e que certamente morrerá de fome e frio se não puder entrar, sob pena de você receber menos dinheiro e perder o dinheiro da comida de seu filho?

Papers, Please não é apenas um jogo onde você verifica se os documentos das pessoas que entram em seu país estão em dia, mas é uma história chocante e comovente, cheia de dilemas morais e escolhas difíceis. Cabe a você decidir o destino de muitas vidas e, quem sabe, até o futuro de sua nação.

Glória a Arstotzka! Glória a Arstotzka?
Você achou esta análise útil? Sim Não
4 de 4 pessoas (100%) acharam esta análise útil
16.0 hrs registradas
Publicada: 1 de dezembro
BUY THIS NOW, PAY MEDICE TO SON LATER!

GLORY TO ARSTOTZKA!
Você achou esta análise útil? Sim Não
3 de 3 pessoas (100%) acharam esta análise útil
9.9 hrs registradas
Publicada: 6 de julho
Papers, Please é um jogo de puzzle desenvolvido por Lucas Pope. O jogo se passa numa fronteira de uma cidade fictícia chamada Arstotzka. Você controla a pessoa que analisa os documentos e dá os vistos de permissão para as pessoas passarem ou não pela fronteira, e este é o objetivo principal do jogo... analisar papéis e passaportes. Existem basicamente dois modos de jogo: O modo HISTÓRIA e o modo INFINITO:

- O modo História conforme forem passando os dias de análise, vão vir várias pessoas com determinados problemas onde você poderá escolher o que fazer em cada situação. No final de cada dia você recebe seu salário com base nas pessoas que você atendeu. Também há um balançeamento de custos que você deve equilibrar... nestes custos estão incluídos custos com a família, apartamento, remédios, comida e penalidades (caso você deixe passar pessoas com documentos errados mais de 2 vezes no mesmo dia). Caso você fique sem dinheiro para pagar estes itens, a sua família irá ficar doente, com fome ou até mesmo morrer. Se todos os membros da sua família morrerem, o jogo no modo história acaba, e você pode retornar do último dia que você jogou antes de morrer ou começar um novo jogo. O modo história acaba no 31º dia de jogo, e possui 20 finais diferentes (contando com mortes e etc). Para zerar o modo história na primeira vez, deve levar em torno de 9 a 11 horas de jogo.

- O modo Infinito ele tem 3 modalidades: Cronometrado (avaliar quantas pessoas conseguir num tempo determinado), Perfeição (o jogo acaba na primeira penalidade recebida), e Persistência (jogar até zerar seus pontos). Cada uma dessas modalidades podem ser jogadas com um número de documentos, são 4 packs de documentos para escolher (uns com mais e outros com menos para analisar). O MODO INFINITO SÓ É LIBERADO APÓS ZERAR O JOGO PELO MENOS 1 VEZ !

A curva de dificuldade é muito boa, no modo História quanto mais os dias passam mais documentos e coisas para cuidar vão surgindo. Vão ter pessoas que vão estar com o passaporte vencido, outras com passaporte falso, outras irão te ameaçar, terão terroristas, bombas, as vezes terão pessoas que precisarão ser escaneadas e por aí vai. A trilha sonora é composta de basicamente uma música, uma trilha original que é boa mas nada que chame muito a atenção. O visual do jogo é todo trabalhado em pixel art com cores opacas que lembram jogos de NES, fazendo com que fique muito agradável ao olhar. A ideia do jogo é bem criativa e inovadora (pelo menos nunca vi um jogo parecido com este), fazendo com que o jogador se prenda nele por horas. Possui tradução completa para o português do brasil. Totalmente recomendado ! :)
Você achou esta análise útil? Sim Não
3 de 3 pessoas (100%) acharam esta análise útil
6.5 hrs registradas
Publicada: 19 de novembro
Uma experiência social bastante divertida, "Papers, Please" consiste em um jogo simples onde você personifica um oficial de fronteira da gloriosa nação de Arstotzka. Entre liberações, barragens, prisões e ataques de organizações terroristas você conhece personagens carismáticos, dá muitas risadas e enfrenta MUITA BUROCRACIA!

Nada mais justo. Como o próprio hino da nação:

"Arstotzka
Arstotzka greatest country in the world.
If you want to get in
you will need to bring your papers
and your passport."

E GLÓRIA A ARSTOTSKA!!!
Você achou esta análise útil? Sim Não
2 de 2 pessoas (100%) acharam esta análise útil
2.7 hrs registradas
Publicada: 22 de junho
MELHOR JOGO QUE JA JOGUEI, PQP
Você achou esta análise útil? Sim Não
2 de 2 pessoas (100%) acharam esta análise útil
12.5 hrs registradas
Publicada: 7 de outubro
Simples e difícil ao mesmo tempo. Precisa de muita atenção e boa memória. Mas não se preocupe, mesmo não tendo nenhum destes 2 atributos, consegui jogar relativamente bem e curti bastante.

Parece que são 20 "finais" diferentes, mas só 1 é o ideal.

História interessante e uma pitada de bom humor deixam o jogo melhor ainda.

Recomendo!
Você achou esta análise útil? Sim Não
2 de 2 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1.2 hrs registradas
Publicada: 30 de novembro
I really like this game. It's easy to play, but really hard to master, because you need to inspect a lot of details in the passports, and also listen to peoples responses. It's no easy task. It's like a puzzle, and a really challenging one.
I highly recommend it.
Você achou esta análise útil? Sim Não
2 de 2 pessoas (100%) acharam esta análise útil
7.3 hrs registradas
Publicada: 21 de junho
Parece simples e idiota, mas não é. O jogo é difícil pois exige muita atenção para não deixar passar absolutamente nada em branco na hora de aceitar ou recusar um imigrante, além de exigir rapidez para poder atender um número maior de pessoas.

O jogo também conta com algumas surpresas conforme você vai jogando, algumas ações totalmente inesperadas de imigrantes que passam pela sua cabine, e isso realmente deixa o jogo mais divertido, pois quando está ficando enjoativo, algo diferente acontece e já te deixa com vontade de jogar mais para saber o que virá pela frente.

O jogo me surpreendeu, muito divertido e viciante, esperava menos dele para ser sincero.
Você achou esta análise útil? Sim Não
2 de 2 pessoas (100%) acharam esta análise útil
3.7 hrs registradas
Publicada: 14 de dezembro
Game fantástico. Não se guie apenas pelo visual 8 bits meio ultrapassado. É o charme do jogo. O game é cheiod e nuances e requer atenção extrema aos detalhes. realmente um ótimo game para jogar a qualquer momento, dar um tempo no intervalo do trabalho ou memso, tentar passar os níveis e manter seu emprego no jogo. Um game que ganhou muitos prêmios, e com toda razão. Vale muito a pena.
Você achou esta análise útil? Sim Não
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1.2 hrs registradas
Publicada: 29 de junho
Best game of the bureaucracy genre. I recommend this to everyone who enjoys working as immigration inspector.
Você achou esta análise útil? Sim Não
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
2.6 hrs registradas
Publicada: 30 de junho
Esse jogo é ♥♥♥♥! Muito bom pra passar o tempo e relativamente dificil....
Jogar como inspetor da imigração pode parecer sem graça, mas a partir do segundo dia de trabalho as coisas começam a ficar interessantes e bem engraçadas. Podem conferir que eu aprovo.
Você achou esta análise útil? Sim Não
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
6.2 hrs registradas
Publicada: 27 de junho
É um legítmo jogo old-school, com requintes de simulação que só quem já trabalhou com serviço público entenderá as ironias quase totalmente!
Você achou esta análise útil? Sim Não
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
9.9 hrs registradas
Publicada: 10 de agosto
Quando na peça "Hamlet", o soldado Marcellus pronunciava a frase que ecoou pela história, sem dúvidas, não era nas fronteiras de um fictício país comunista criado séculos depois a qual ele se referia, mas se o fosse, estaria correto. Há algo de podre em Arstotzka.
Papers, Please é um game tenso. Na primeira vez em que entrei no jogo, minha namorada que estava ao lado fazendo qualquer outra coisa me diz: "Nossa, que música assustadora a desse jogo". Ela tinha razão. A trilha sonora de Papers, Please é tensa, pesada, opressora e há muitos motivos para ser assim.
É nas fronteiras deste país comunista (segundo a própria definição do jogo pelos desenvolvedores) onde o jogo acontece. Sua missão é simples, impedir que violadores da paz, terroristas, falsificadores e pessoas de bem, com documentos fora da validade, fiquem longe do seu glorioso país. Pode parecer fácil no início como vimos no vídeo introdutório que postei aqui no Vida de Gamer Mais Velho, mas não se engane, a cada dia que se avança no jogo, novos problemas surgem. De ataques por homens-bomba à contrabando de medicamentos, o acervo de problemas que você precisa evitar a todo custo que avancem sob a fronteira de seu país é enorme!
Para conferir a analise completa, visite o site Vida de Gamer Mais Velho: http://vidadegamermaisvelho.com.br
Você achou esta análise útil? Sim Não