Capsized is a fast paced 2D platformer focused on intense action and exploration. As a intrepid space traveler, your ship has crash landed on a mysterious alien planet. You must navigate through the perilous environment and fight off blood-thirsty creatures to save your crewmates and escape with your lives!
Análises de utilizadores:
No geral:
Praticamente positivas (755 análises) - 78% das 755 análises de utilizadores sobre este jogo são positivas.
Data de lançamento: 29 Abr, 2011

Inicia a sessão para adicionares este artigo à tua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo.

Idioma "Português (Portugal)" não disponível
Este produto não está disponível no teu idioma local. Verifica a lista de idiomas disponíveis antes de fazeres a compra.

Comprar Capsized

Comprar Alientrap Bundle PACOTE (?)

Inclui 5 itens: Capsized, Autocraft on Steam, Apotheon, Cryptark, Maximum Override

 

Acerca deste jogo

Capsized is a fast paced 2D platformer focused on intense action and exploration. As a intrepid space traveler, your ship has crash landed on a mysterious alien planet. You must navigate through the perilous environment and fight off blood-thirsty creatures to save your crewmates and escape with your lives!
Artist Jesse McGibney and programmer Lee Vermeulen create an immersive alien world teeming with bizarre life-forms and strange landscapes presented in a unique hand-drawn art style. Combining control elements of first person shooters and innovative physics based combat, Capsized emphasizes action without giving up the smart problem solving of classic platform games.
Use your jetpack to fly through the alien jungle, and tools such as the Gravity Hook to manipulate your environment to skilfully dodge and defeat attacking enemies. You will be challenged - with platforming, puzzle solving, and deadly skirmishing, often all at the same time!

Key Features:

  • Highly detailed alien environments and creatures, lovingly rendered with high resolution hand-drawn artwork.
  • 12 mission Campaign featuring: massive non-linear environments, diverse objectives and enemies, and exciting comic-style cutscenes.
  • 4 extra Arcade Modes to unlock, including: local Deathmatch and Coop, Survival mode, Time Trials, and Armless fighting.
  • Lethal arsenal of futuristic weapons and gadgets such as: the Gravity Ram, Jetpack, Energy Shield, and Quasar Array
  • Classic First Person Shooter inspired controls, with a focus on skilled movement, creative tactics, and insane action.

Requisitos do Sistema

Windows
Mac OS X
SteamOS + Linux
    • OS: XP/Vista/Windows 7
    • Processor: Dual-core processor (Intel Dual Core 2.0 GHz or AMD Athlon X2 5200+ 2.6 GHz)
    • Memory: 1.5 GB RAM
    • Hard Disk Space: 1.0 GB free space
    • Video Card: DirectX 9.0c compatible
    • Sound: DirectX 9.0c compatible sound cards
    • OS: Lion 10.7.5, Yosemite strongly recommended
    • Processor Dual Core CPU
    • Memory: 1.5 GB RAM
    • Hard Disk Space: 1.0 GB free space
    • Video Card: OpenGL 3.0+ support (2.1 with ARB extensions acceptable)
    • OS: glibc 2.15+, 32/64-bit. S3TC is NOT required.
    • Processor Dual Core CPU
    • Memory: 1.5 GB RAM
    • Hard Disk Space: 1.0 GB free space
    • Video Card: OpenGL 3.0+ support (2.1 with ARB extensions acceptable)
Análises de clientes
Sistema de análises de utilizadores atualizado! Fica a saber mais
No geral:
Praticamente positivas (755 análises)
Publicadas recentemente
Atecep
3.3 hrs
Publicada: 8 de Junho de 2014
Análise a Capsized em texto.
BOM! 70/100

Introdução: Jogo indie desenvolvido pelo estúdio Alientrap Games Inc. e lançado em Abril de 2011 para PC, XBox 360, Linux e iPad e OS X. Trata-se de um jogo de plataformas em 2D de acção. A aventura é-nos apresentada em forma de imagens que basicamente demonstram como uns astronautas despenham-se num planeta desconhecido. Jogamos como um astronauta e procuramos sobreviventes e formas de abandonar o planeta hostil.
A análise será dividida em 5 aspetos sendo eles Gráficos, Jogabilidade, Longevidade, Som e História.

Gráficos: O jogo, como já anteriormente referido, é um platformer com uma área de combate muito grande em que podemos explorar tanto na horizontal como na vertival. Apresenta uma arte muito bonita, detalhada e variada com cores bastante vivas que trazem uma lufada de ar fresco a jogos indie com aspeto sério. Em contra partida, o excesso de inimigos pode atrapalhar um pouco a visão do jogo tornando-o por vezes um pouco enfadonho a nível visual.
NOTA: 80

Jogabilidade: Este é um jogo de plataformas que é basicamente um Metal Slug com um jetpack ou um gancho que nos leva a grandes alturas. Foi a melhor forma que tive para explicar no geral como este jogo é. Tem também um sistema de física que é apresentado como uma espécie de puzzle que resulta bem em algumas fases e outras que pode ser aborrecido e desgastante. Temos um bom leque de armas algo variadas que conseguem fazer frente aos inimigos. O jogo tem vários Bosses e Mini-Bosses que chegam a ser mesmo uma dor de cabeça devido ao grau elevado de dificuldade do jogo, piorada com uma jogabilidade poderá ser confusa e atrapalhante. No geral a jogabilidade é boa e divertida, pecando em alguns aspetos.
NOTA: 70

Longevidade: Este jogo tem 12 níveis com vários segredos visíveis para fazer. As missões são simples como por exemplo matar uns certos inimigos para avançar de nível, destruir mecanismos que bloqueiam as comunicações e procurar peças para reparar equipamentos. Demorei cerca de 3 horas a terminar o jogo sendo que podem ser alongadas talvez até 4 caso queiram desbloquear todos os segredos (irrelevantes diga-se de passagem) o que mesmo assim é algo pequeno.
NOTA: 65

Som: Este é um dos aspetos que mais admiro nos jogos Indies, o som. Nota-se a liberdade criativa de criar uma boa banda sonora. As músicas são muito boas e aplicam-se muito bem ao ambiente do jogo. O som das armas é o normal Pew Pew Pew mesmo à antiga, trazendo alguma nostalgia, porém o som ambiente é algo estranho que muitas vezes pensava que eram os sons do Windows (estranho, eu sei).
NOTA: 80

História: Como dito anteriormente a história é-nos apresentada por forma de imagens e é basicamente o que já foi dito. Um acidente num planeta desconhecido, procurar por sobreviventes e pirar de lá para fora. É uma hist´roia em que só acontecem infortúnios obrigando o jogador assistir a mais uma missão. É uma história fraca que só existe mesmo para haver um novo nível.
NOTA: 55

Capsized é um bom jogo indie bastante divertido embora enfadonho quando se torna bastante repetitivo. No geral gostei e acho que é o suficiente para dar uma nota positiva ao jogo.

NOTA FINAL: 70

Não se esqueçam de passar no meu canal de Youtube em que faço várias análises em vídeo!
www.youtube.com/Atecep92
Bemonho
0.8 hrs
Publicada: 9 de Abril de 2014
Eu ainda nao terminei o Game mas a trilha e o cenário/fotografia são fantásticos. Só por isso ja vale a compra, sem falar que a jogabilidade é muito legal.
TurboX
8.8 hrs
Publicada: 8 de Dezembro de 2013
Não costumo jogar muitos jogos 2D de plataformas, mas o Capsized veio incluído num Humble Bundle com outros jogos, e só por este título já me justificou a compra!

O sistema de movimento está bem conseguido, embora a adaptação demore algum tempo. Até agora o nível de dificuldade parece-me correcto, embora noutras reviews já tenha lido que no final se torna extremamente difícil.

A nível de controladores, tenho um gamepad, mas tendo em conta a experiência com rato e teclado, nem me atrevo a experimentar :) não me parece que a coisa funcione bem

Recomendo vivamente este jogo!
PearlJammer
17.5 hrs
Análise de pré-lançamento
Publicada: 12 de Julho de 2011
Começou como um projecto de escola e tornou-se num joguinho muito atractivo, com óptima jogabilidade e um aspecto muito polido. Por menos de 10 euros "you can't go wrong".
Análises mais úteis  No geral
10 de 10 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
3.3 hrs em registo
Publicada: 8 de Junho de 2014
Análise a Capsized em texto.
BOM! 70/100

Introdução: Jogo indie desenvolvido pelo estúdio Alientrap Games Inc. e lançado em Abril de 2011 para PC, XBox 360, Linux e iPad e OS X. Trata-se de um jogo de plataformas em 2D de acção. A aventura é-nos apresentada em forma de imagens que basicamente demonstram como uns astronautas despenham-se num planeta desconhecido. Jogamos como um astronauta e procuramos sobreviventes e formas de abandonar o planeta hostil.
A análise será dividida em 5 aspetos sendo eles Gráficos, Jogabilidade, Longevidade, Som e História.

Gráficos: O jogo, como já anteriormente referido, é um platformer com uma área de combate muito grande em que podemos explorar tanto na horizontal como na vertival. Apresenta uma arte muito bonita, detalhada e variada com cores bastante vivas que trazem uma lufada de ar fresco a jogos indie com aspeto sério. Em contra partida, o excesso de inimigos pode atrapalhar um pouco a visão do jogo tornando-o por vezes um pouco enfadonho a nível visual.
NOTA: 80

Jogabilidade: Este é um jogo de plataformas que é basicamente um Metal Slug com um jetpack ou um gancho que nos leva a grandes alturas. Foi a melhor forma que tive para explicar no geral como este jogo é. Tem também um sistema de física que é apresentado como uma espécie de puzzle que resulta bem em algumas fases e outras que pode ser aborrecido e desgastante. Temos um bom leque de armas algo variadas que conseguem fazer frente aos inimigos. O jogo tem vários Bosses e Mini-Bosses que chegam a ser mesmo uma dor de cabeça devido ao grau elevado de dificuldade do jogo, piorada com uma jogabilidade poderá ser confusa e atrapalhante. No geral a jogabilidade é boa e divertida, pecando em alguns aspetos.
NOTA: 70

Longevidade: Este jogo tem 12 níveis com vários segredos visíveis para fazer. As missões são simples como por exemplo matar uns certos inimigos para avançar de nível, destruir mecanismos que bloqueiam as comunicações e procurar peças para reparar equipamentos. Demorei cerca de 3 horas a terminar o jogo sendo que podem ser alongadas talvez até 4 caso queiram desbloquear todos os segredos (irrelevantes diga-se de passagem) o que mesmo assim é algo pequeno.
NOTA: 65

Som: Este é um dos aspetos que mais admiro nos jogos Indies, o som. Nota-se a liberdade criativa de criar uma boa banda sonora. As músicas são muito boas e aplicam-se muito bem ao ambiente do jogo. O som das armas é o normal Pew Pew Pew mesmo à antiga, trazendo alguma nostalgia, porém o som ambiente é algo estranho que muitas vezes pensava que eram os sons do Windows (estranho, eu sei).
NOTA: 80

História: Como dito anteriormente a história é-nos apresentada por forma de imagens e é basicamente o que já foi dito. Um acidente num planeta desconhecido, procurar por sobreviventes e pirar de lá para fora. É uma hist´roia em que só acontecem infortúnios obrigando o jogador assistir a mais uma missão. É uma história fraca que só existe mesmo para haver um novo nível.
NOTA: 55

Capsized é um bom jogo indie bastante divertido embora enfadonho quando se torna bastante repetitivo. No geral gostei e acho que é o suficiente para dar uma nota positiva ao jogo.

NOTA FINAL: 70

Não se esqueçam de passar no meu canal de Youtube em que faço várias análises em vídeo!
www.youtube.com/Atecep92
Achaste esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
8.8 hrs em registo
Publicada: 8 de Dezembro de 2013
Não costumo jogar muitos jogos 2D de plataformas, mas o Capsized veio incluído num Humble Bundle com outros jogos, e só por este título já me justificou a compra!

O sistema de movimento está bem conseguido, embora a adaptação demore algum tempo. Até agora o nível de dificuldade parece-me correcto, embora noutras reviews já tenha lido que no final se torna extremamente difícil.

A nível de controladores, tenho um gamepad, mas tendo em conta a experiência com rato e teclado, nem me atrevo a experimentar :) não me parece que a coisa funcione bem

Recomendo vivamente este jogo!
Achaste esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
0.8 hrs em registo
Publicada: 9 de Abril de 2014
Eu ainda nao terminei o Game mas a trilha e o cenário/fotografia são fantásticos. Só por isso ja vale a compra, sem falar que a jogabilidade é muito legal.
Achaste esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
17.5 hrs em registo
Análise de pré-lançamento
Publicada: 12 de Julho de 2011
Começou como um projecto de escola e tornou-se num joguinho muito atractivo, com óptima jogabilidade e um aspecto muito polido. Por menos de 10 euros "you can't go wrong".
Achaste esta análise útil? Sim Não Engraçada