A unique adventure, a stunning scenario to discover in one season!
Análises de utilizadores:
No geral:
Neutras (175 análises) - 60% das 175 análises de utilizadores sobre este jogo são positivas.
Data de lançamento: 29 Out, 2010

Inicia a sessão para adicionares este artigo à tua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo.

Idioma "Português (Portugal)" não disponível
Este produto não está disponível no teu idioma local. Verifica a lista de idiomas disponíveis antes de fazeres a compra.
Aviso: Winter Voices’ episodes are not playable as stand alone. Each episode must be played in order.

Comprar Winter Voices Prologue: Avalanche

Pacotes que incluem este jogo

Comprar Winter Voices Complete Pack

Inclui 7 itens: Winter Voices, Winter Voices Episode 1: Those who have no name, Winter Voices Episode 2: Nowhere of me, Winter Voices Episode 3: Like a Crow on a Wire, Winter Voices Episode 4: Amethyst Rivers, Winter Voices Episode 5: Overflow, Winter Voices Episode 6: Falls

 

Acerca deste jogo

A unique adventure, a stunning scenario to discover in one season!
Winter Voices is a narrative-driven, episodic, role-playing game set in an imaginary and timeless world at the start of the Industrial Revolution. Players control a 24 year-old heroine as she deals with the death of her father. She must journey through the heart of Winter and battle her worst enemies – her own personal demons.
The first season of the Winter Voices series is comprised of seven downloadable episodes, each unraveling new elements of the character’s tale.
Winter Voices combines “point and click” real-time gaming with strictly defensive turn-based combat. As the game alternates real-time dialog and world exploration with combat, players will experience turn-based psychic warfare.

Key Features:

  • mature and creative narrative, exploring human consciousness and immersing in an evocative and chilling role-playing experience
  • sophisticated and thought provoking gameplay: the player engages in “defense of the mind” mechanics, as the character is overwhelmed by memories and fights against her own inner demons, fears, voices of illusion, guilt, madness...
  • tactical... with a twist: strictly defensive turn-based combat
  • wondrous and unusual world: an imaginary and timeless world at the start of the Industrial Revolution
  • dynamic soundtrack: keeping to the theme of self-discovery, haunting melodies guide the player, setting a dark, intriguing mood to match the character’s cold journey and mysterious past

Winter Voices Prologue: Avalanche

A drama is unfolding in a tiny village buried in snow, lost in the depths of a Three-River Principality valley. A sudden death, a now-hostile home, new sensory capacities rising like a storm and the departure towards the unknown, the only means to escape besides death, has become inevitable...The newly-orphaned heroine is pushed to leave her father’s village by the voices of her unconscious mind. The long journey to find answers will lead you through many events to overcome anger, sadness, pain and fear and finally unveil what is whispered by the voices of Winter.

Requisitos do Sistema

    • OS: Windows XP / Vista / 7
    • Processor: Intel Pentium 4 3GHz / AMD Athlon 64 3000 +
    • Memory: 1 Gb (2 Gb for Vista)
    • Graphics: 128 Mb, 1280x720
    • DirectX®: DirectX 9.0c
    • Hard Drive: 500 Mb
    • Sound: DirectX 9.0c
Análises de clientes
Sistema de análises de utilizadores atualizado! Fica a saber mais
No geral:
Neutras (175 análises)
Publicadas recentemente
Aeris
25.0 hrs
Publicada: 19 de Janeiro de 2014
Fiquei um bom tempo em dúvida se recomendava ou não este jogo.

A história é muito boa e bastante criativa. Enquanto a maioria dos RPGs funciona, genericamente, como uma saga de um grupo de heróis para salvar o mundo ou o Universo, este jogo é a saga de uma única mulher para salvar a si mesma, à sua própria sanidade e ao seu coração. Existem outros personagens que a acompanham na jornada, mas não se enganem: trata-se de uma história introspectiva, não é sobre o que acontece FORA, é sobre o que acontece DENTRO da protagonista. Os diálogos estão ali apenas para provocá-la nessa busca por autoconhecimento. Todo o combate do jogo é dela contra seus próprios fantasmas.

O combate, aliás, é o primeiro ponto fraco do jogo. Lento, pouco inspirado, tedioso, chato mesmo no sentido mais vasto da palavra. O ritmo narrativo da história é e PRECISA ser lento, eu entendo, mas não há porque o combate se arrastar também.

Visualmente o jogo é bastante simples, mas não chega a ser feio - é o que se espera de um jogo barato. A trilha sonora é um dos pontos altos; melancólica, ajuda a compor o clima certo para o turbilhão emocional, o desespero da protagonista.

Ou seja, até aqui, enumerei mais coisas positivas que negativas. Deveria ser o suficiente para uma positivação, não?

NÃO.

O jogo é repleto de bugs. Eu não posso recomendar um jogo que tive de parar a cada 10 minutos para verificar na Internet por que fiquei presa numa porta, por que a tela ficou preta do nada, por que eu não posso matar dois inimigos ao mesmo tempo senão o jogo dá "tilt" (!!!), achar "jeitinhos" pra mudar de área, pra clicar em objetos... E pra piorar nem está detectando meus achievements.

Resumindo, o fator "entretenimento" de um jogo bugado a esse ponto é zero. Não adianta uma história interessante e inovadora se o jogo simplesmente não FLUIR.

A trama promete, mas isso tem de ser verificado.
Análises mais úteis  No geral
5 de 6 pessoas (83%) acharam esta análise útil
Não recomendado
25.0 hrs em registo
Publicada: 19 de Janeiro de 2014
Fiquei um bom tempo em dúvida se recomendava ou não este jogo.

A história é muito boa e bastante criativa. Enquanto a maioria dos RPGs funciona, genericamente, como uma saga de um grupo de heróis para salvar o mundo ou o Universo, este jogo é a saga de uma única mulher para salvar a si mesma, à sua própria sanidade e ao seu coração. Existem outros personagens que a acompanham na jornada, mas não se enganem: trata-se de uma história introspectiva, não é sobre o que acontece FORA, é sobre o que acontece DENTRO da protagonista. Os diálogos estão ali apenas para provocá-la nessa busca por autoconhecimento. Todo o combate do jogo é dela contra seus próprios fantasmas.

O combate, aliás, é o primeiro ponto fraco do jogo. Lento, pouco inspirado, tedioso, chato mesmo no sentido mais vasto da palavra. O ritmo narrativo da história é e PRECISA ser lento, eu entendo, mas não há porque o combate se arrastar também.

Visualmente o jogo é bastante simples, mas não chega a ser feio - é o que se espera de um jogo barato. A trilha sonora é um dos pontos altos; melancólica, ajuda a compor o clima certo para o turbilhão emocional, o desespero da protagonista.

Ou seja, até aqui, enumerei mais coisas positivas que negativas. Deveria ser o suficiente para uma positivação, não?

NÃO.

O jogo é repleto de bugs. Eu não posso recomendar um jogo que tive de parar a cada 10 minutos para verificar na Internet por que fiquei presa numa porta, por que a tela ficou preta do nada, por que eu não posso matar dois inimigos ao mesmo tempo senão o jogo dá "tilt" (!!!), achar "jeitinhos" pra mudar de área, pra clicar em objetos... E pra piorar nem está detectando meus achievements.

Resumindo, o fator "entretenimento" de um jogo bugado a esse ponto é zero. Não adianta uma história interessante e inovadora se o jogo simplesmente não FLUIR.

A trama promete, mas isso tem de ser verificado.
Achaste esta análise útil? Sim Não Engraçada