Portal™ é um novo jogo para um jogador da Valve. Estabelecido nos misteriosos Laboratórios Aperture Science, Portal é aclamado como um dos novos jogos mais inovadores no horizonte e oferecerá aos jogadores horas de jogabilidade única.
Análises de usuários:
Últimas:
Muito positivas (474 análises) - 94% das 474 análises de usuários dos últimos 30 dias são positivas.
Todas:
Extremamente positivas (27,332 análises) - 98% das 27,332 análises de usuários deste jogo são positivas.
Data de lançamento: 10/out/2007

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Indisponível em Português (Brasil)
Este produto não está disponível no seu idioma. Confira a lista de idiomas oferecidos antes de comprar.

Comprar Portal

Pacotes que incluem este jogo

Comprar The Orange Box

Inclui 5 itens: Half-Life 2, Half-Life 2: Episode One, Half-Life 2: Episode Two, Portal, Team Fortress 2

Comprar Portal Bundle PACOTE (?)

Inclui 2 itens: Portal, Portal 2

Conteúdo adicional para este jogo

 

Recomendado por curadores

"A first-person physics puzzler developed by Valve. Use a Portal Gun to navigate a series of tests as a human lab rat, guided by the friendly A.I. GLaDOS"

Sobre este jogo

Portal™ é um novo jogo para um jogador da Valve. Estabelecido nos misteriosos Laboratórios Aperture Science, Portal é aclamado como um dos novos jogos mais inovadores no horizonte e oferecerá aos jogadores horas de jogabilidade única.

O jogo é projetado para mudar a forma com a qual jogadores se aproximam, manipulam e supõem as possibilidades num dado ambiente; semelhante a como a Gravity Gun do Half-Life® 2 inovou com novas formas de alavancar um objeto em qualquer situação.

Jogadores devem resolver quebra-cabeças físicos e desafios abrindo portais para manipular objetos, e eles mesmos, pelo espaço.

Requisitos de sistema

Windows
Mac OS X

    Mínimo: Processador de 1.7 GHz, 512MB de RAM, Placa de Vídeo com DirectX® 8.1 (Requer Suporte para SSE), Windows® Vista/XP, Mouse, Teclado, Conexão com a Internet

    Recomendado: Processador Pentium 4 (3.0GHz, ou melhor), 1GB de RAM, Placa de Vídeo com DirectX® 9, Windows® Vista/XP, Mouse, Teclado, Conexão com a Internet

    Mínimo: OS X versão Leopard 10.5.8, Snow Leopard 10.6.3, 1GB RAM, NVIDIA GeForce 8 ou melhor, ou ATI X1600 ou melhor, ou Intel HD 3000 ou melhor, Mouse, Teclado, Conexão com Internet

Mods criadas pela comunidade For this game

Análises de usuários
Sistema de análises de usuários atualizado! Saiba mais
Últimas:
Muito positivas (474 análises)
Todas:
Extremamente positivas (27,332 análises)
Últimas análises
Kenshin Kiodai
3.9 hrs
Publicada: 22 de agosto
jogo excelente, esperando pelo 3 apesar de ser quase impossível :)
Mr Rogers
36.6 hrs
Publicada: 13 de agosto
Introdução

Portal se trata de um jogo Single Player do gênero Puzzle em Primeira Pessoa. O jogo possui uma excelente história por trás de seus acontecimentos anteriores e atuais, além de um senso de humor q mistura ironia / sarcarsmo com humor negro.

O jogo se passa nos Aperture Laboratories, uma famigerada e misteriosa instalação científica conhecida pela dedicação e empenho em desenvolver ciência por meio da constante aplicação de testes em suas cobaias.

Vc assume o papel de uma cobaia de testes em particular, a qual possui um objetivo bem simples: começar e terminar uma bateria de testes científicos sob a orientação e vigilância de uma "voz" desconhecida.

Quase todos os testes científicos envolvem o uso da Portal Gun, um aparelho capaz de aprimorar sua movimentação pelas câmaras de testes ( Test Chambers ), este dispositivo permite q o jogador manipule sua propria velocidade de movimento de forma a concluir os testes propostos e o mesmo tbm pode ser utilizado para a obtenção de itens chave essenciais para a conclusão de certos testes.

Aspectos dos quais gostei

- História
Como já mencionei na introdução, vc entra no papel de uma cobaia de testes silenciosa ( aparentemente sem nome e sem uma história própria ) cujo o objetivo é iniciar e terminar uma sequência de testes científicos sob a orientação e vigilância de uma "voz" desconhecida. A mesma "voz" afirma em diversos momentos q quando todos os testes forem cumpridos, haverá bolo como "recompensa".

Quem é responsável pela orientação, vigilância e manutenção destes testes é a supercomputador / robô GLaDOS, uma máquina portadora de Inteligência Artificial ( IA) e de conhecimento infinito. Ela atua como administradora / gerente de toda a testagem científica q ocorre nos Laboratórios Aperture, garantindo q todos os procedimentos e métodos sejam executados "dentro dos conformes" na busca dos resultados esperados.

Por possuir uma IA, GLaDOS possui comportamento humano embutido em seu interior. Uma prova disso é q em suas conversas com a protagonista, é possível notar q ela frequentemente faz uso de sarcarsmo / ironia e tbm certo humor negro quando se comunica com a mesma, o q serve de base para criar vários diálogos bem humorados conforme vc avança pelo jogo.

A história de Portal é pouco notável / pouco evidente no decorrer do jogo. Para q vc possa se entrosar melhor, é preciso manter certa atenção nos cenários / Levels, pois estes guardam pistas / detalhes a respeito da história e dos personagens. Se preferir, vc tbm pode fazer pesquisas para assim melhor compreender a história de Portal.

Vc começa a entender melhor a história a partir do momento em q vc absorve informações o suficiente enquanto joga e então passa a fazer conexões / associações entre uma coisa e outra.

-Jogabilidade
Este aspecto ao mesmo tempo simples porém original e muito bem aplicado, tem como base o uso do equipamento chamado de Portal Gun. Por meio do seu raciocício lógico somado ao potencial deste dispositivo, vc será capaz de progredir pelos Puzzles ao longo do jogo.

O potencial da Portal Gun permite q o jogador preserve aplicações Físicas ( como inércia e aceleração ) de forma a empregar isso para finalizar os Puzzles e tbm possibilita o transporte de itens q são / serão essenciais para o progresso pelos mesmos.

-Trilha Sonora
Portal dispõe de uma modesta e tbm um tanto "discreta" trilha sonora, entretanto as músicas não deixam de ser agradáveis, justamente pq elas combinam bastante com as situações / momentos pelos quais vc passa ao longo do jogo.

A maioria das músicas não são notadas / reparadas de imediato pelos jogadores, justamente pq são suaves e tranquilas de se ouvirem ( Com exceção, por exemplo, do tema q toca durante os créditos ).

-Potencial de Rejogabilidade / Replay
Além da campanha principal existem Test Chambers de dificuldade adicional e tbm Desafios (Challenges) em Test Chambers específicas, nesse último caso a ideia se baseia na conclusão de objetivos pré-determinados. Se vc curte faturar Conquistas ( Achievements ), Portal pode ser uma boa alternativa para se fazer esse tipo de coisa.

Se vc for realmente catar 100% dos Achievements, tenta evitar de ficar apelando pra Glitches o tempo todo, ou não né, afinal eu não posso te dizer como vc deve viver sua vida

Um último detalhe nesse aspecto é q é possível vc ativar os Comentários dos Desenvolvedores antes de iniciar um novo jogo, com isso vc aprende / descobre curiosidades sobre os procedimentos usados para dar origem a Portal.

Aspecto do qual não gostei

-Duração da campanha
Na minha opinião, esse é a única característica negativa com relação ao jogo. É possível chegar ao final da campanha em cerca de 4 horas, umas 5 horas no máximo. Se bem q, se a duração da campanha fosse maior, muito provavelmente o jogo acabaria se tornando um tanto repetitivo no final das contas.

Conclusão
Com certeza recomendo esse fantástico jogo. Se vc valoriza uma boa história além de curtir puzzles mentalmente estimulantes e tbm possui um senso de humor meio "ácido", então vc sem dúvida não irá se arrepender de comprar Portal e é quase certo tbm q vai comprar, jogar e adorar Portal 2

Minha nota para Portal é 9,5/10
killmister101
7.2 hrs
Publicada: 10 de agosto
otimo jogo apesar da historia curta
KauanGamer
10.8 hrs
Publicada: 8 de agosto
Jogo muito bom e bem facil a historia mesmo sendo simples vc gosta querendo ver oque vai acontecer o jogo nao possui multiplayer,caso vc queira multiplayer compre portal 2 a historia de Portal pra mim e 8/10 jogabilidade incrivel fisica espetacular Recomendo!!
PoladoFullllllll
18.6 hrs
Publicada: 6 de agosto
Um jogo Muito Divertido Porem desafiador eu mesmo levei 5 horas para terminar
e um jogo bem barato porem trava muito os graficos
iagoramonep
4.0 hrs
Publicada: 5 de agosto
super recomendado jogo otimo e muito inovador pessoas novas e antigas no mundo dos games tem obrigação de conhecer essa obra prima jogo curto porem marcante não vejo a hora de jogar o portal 2.
DaveLombardo
1.3 hrs
Publicada: 4 de agosto
O jogo é bom. Mas é curto. Zerei a história em um pouco mais de uma hora, mas é porque já tinha jogado algumas vezes e já tinha noção do que fazer. Fases bem feitas; Os quebra-cabeças são muito bons.
A narrativa é marcante, bem divertida. Mas como eu disse, é bem curto. Recomendo pegar o pacote com Portal e Portal 2, já que o Portal 2 possuí muito mais conteúdo que o primeiro e é melhor que o mesmo, mas é bom jogar o primeiro, como um "tutorial" para o segundo e para não ficar boiando na história (apesar de você não precisar jogar o primeiro para entender a história do segundo, algumas interações só ficam realmente claras se você tiver jogado o primeiro jogo).
HλLF LIFE 3
0.6 hrs
Publicada: 4 de agosto
BOM D+ Recomendo
Komiker7
5.5 hrs
Publicada: 3 de agosto
Genial.
)n/n(_T!0$!n#0/*
32.5 hrs
Publicada: 2 de agosto
Melhor Puzzle que ja joguei.
Análises mais úteis  Nos últimos 30 dias
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Recomendado
3.9 horas registradas
Publicada: 22 de agosto
jogo excelente, esperando pelo 3 apesar de ser quase impossível :)
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Análises mais úteis  No geral
54 de 58 pessoas (93%) acharam esta análise útil
Recomendado
20.0 horas registradas
Publicada: 24 de abril de 2014
Portal é um FPP (First Person Puzzle) onde você tem em mãos a grandiosa arma de portal. Tal equipamento é capaz de criar dois portais onde você ao passar por um você sai no outro. Tendo isso em mente você deverá passar por diversas câmaras de testes usando a arma e a física em benefício próprio até o final do jogo. São várias salas com puzzles simples e bem desafiadores, e muito bem criados, com que toda a mecânica do jogo seja bem explorada do começo ao fim.

Apesar de muitos não notarem, Portal possui sim uma história, profunda e muito bem elaborada por sinal. Seu enredo diferente da maioria dos jogos só se é explorado quando o jogador é curioso o suficiente para ir atrás dos acontecimentos que envolvem a Aperture Science e a amável GLaDOS, entre outros personagens excelentes que não fazem participação direta no jogo. Nada da história é contada diretamente ao jogador, ligando as peças com diálogos e referências nos cenários é possível interpretar todo o enredo da forma. E vale lembrar também que seu universo é entrelaçado com o da série de Half-Life, tornando toda a situação ainda mais densa e maravilhosa.

Uma curiosidade: Portal inicialmente era um projeto de um jogo que foi vendido juntamente à Orange Box apenas como um tipo de "extra". Acabou sendo que o 'jogo' foi muito bem elogiado e assim chegou ao mercado como um jogo de verdade. Algumas atualizações foram feitas nesse processo embora nenhuma tenha sido radical (com exceção o 'puzzle' que anunciou o lançamento de sua sequência). Já que era apenas um projeto, Portal não tem uma campanha muito extensa, e infelizmente é possível completá-la em algumas horas.

Um jogo que pode ser mais considerado uma obra de arte, em todos os sentidos. Realmente vale-se a pena experimentar cada segundo de diversão que o jogo irá proporcionar.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
40 de 40 pessoas (100%) acharam esta análise útil
5 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
11.9 horas registradas
Publicada: 22 de dezembro de 2015
Em tempos modernos, é realmente difícil por as mãos em um FPS que me desafie e faça eu ter prazer em jogar. Com uma originalidade enorme, Portal mostra-se ser além de um shooter para trazer experiências muito densas e imersivas.

Now You Are Thinking With Portals!
Enredo:
De início, um game que só surgiu porque em Half-Life 2 Ep2 faz-se menção ao famoso navio Borealis cujo projeto era de fundamental importância para uma empresa chamada Aperture Science, que de acordo com a saga seria a suposta rival de Black Mesa no ramo de pesquisa de técnicas de teletransporte.

O enredo do jogo em si não é arremesado diretamente ao jogador, é preciso interpretação e até mesmo pesquisas a respeito. Não fica claro no jogo quem é a protagonista, o passado dela e o que ela faz ali, então aqui apenas irei explicar o básico.

Você controla Chell, uma ''rata de laboratório'', ou seja uma cobaia, e deve passar ao longo de diversas câmeras de testes na Aperture Science com a orientação de uma voz. Esta voz é GlaDos, uma inteligência artifical e resumidamente a alma do jogo, ela apresenta uma personalidade muito forte e consegue assumir muito bem essa pose de robô insana, se encaixando perfeitamente no conceito. Ela é extremamente agressiva e acidamente cômica em seus comentários, todos em sua pose “passiva e controlada”, ao mesmo tempo em que lustra seu próprio ego a cada passo da personagem. Inclusive, o jeito de GLaDOS rendeu um dos memes mais famosos da internet, a frase “The Cake is A Lie”, ou “O Bolo é uma Mentira”, pois para incentivar Chell a passar para o próximo teste, ela insistia em dizer que no final de tudo, haveria um grande bolo esperando por Chell.

GLaDOS entra fácil no ranking de “vilões adorados”, por serem extremamente divertidos e complexos, e que complementam muito bem a experiência do jogo e da história.


Jogabilidade:
Poucos jogos possuem mecânicas tão geniais e tão simples quanto são a mecânica dos portais. O game é em primeira pessoa e você utiliza uma arma chamada Portal Gun, que pode disparar dois portais, um de entrada e outro de saída. Para passar na maioria das camâras, você irá necessitar dos portais, nem sempre para entrar e sair deles, as vezes pode ser usado para transportar algum objeto ou esfera de energia.

O jogo possui uma física ótima, afinal estamos falando da Valve, e uma boa demonstração disso é que os portais também preservam a inércia com a qual você os atravessa. Se criar um portal no chão, de cima de uma plataforma elevada, por exemplo, e pular para dentro dele, você será arremessado na mesma velocidade em sua saída - o que é necessário na resolução de muitos quebra-cabeças. Tais desafios exigem bastante habilidade com os controles e a capacidade de pensar rapidamente, afinal Now You Are Thinking with Portals!

Trilha Sonora:
Composta de 12 faixas, ela é ''bem tímida'', sendo poucas vezes percebidas no jogo mas são espetaculares.

O ápice do jogo nesse quesito é a cena dos créditos no final, no qual irá tocar uma música, só não direi qual é a música e nem quem canta, jogue para descobrir!

Fator Replay:
Existem fases extras, modo contra o tempo e a possibilidade de habilitar comentários dos desenvolvedores durante o jogo, que revelam curiosidades sobre seu processo de criação.

Ponto Negativo
O único ponto negativo do jogo é sua longevidade, facilmente você termina o jogo em menos de 5 horas. Entretanto, até nisso o jogo faz com maestria já que além disso poderia tornar o jogo um tanto quanto repetitivo.

Ainda bem que a Valve trouxe Portal 2, a versão definitiva da jogabilidade de portais.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
29 de 29 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Recomendado
5.7 horas registradas
Publicada: 21 de outubro de 2014
Portal é um jogo puzzle em primeira pessoa, singleplayer, muito inovador e autêntico, utilizando apenas dois portais e as leis da física você pode fazer uma infinidade de coisas e passar por diversos obstáculos. Os puzzles do jogo são muito criativos e farão você pensar muito algumas vezes. O sarcasmo do boss(GLaDOS) deixa o jogo ainda mais empolgante. Você pode levar entre 2 ou 4 horas para zerar, depende do quão rápido você vai ser para resolver os puzzles, mas esse tempo de jogo pode ser aumentando baixando novos mapas. Portal tem bons gráficos, boa jogabilidade, é bem leve e roda na maioria dos PCs.

Recomendo muito este jogo.

Minha nota: 9,2/10
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
20 de 20 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Recomendado
10.8 horas registradas
Publicada: 17 de fevereiro de 2015
Portal é um jogo de ação/puzzle em primeira pessoa desenvolvido pela Valve Corporation, lançado junto com a compilação de jogos "Orange Box" pela Valve em 10 de Outubro de 2007. Nesse pacote de jogos tem incluído alguns famosos jogos da Valve, por exemplo: Half-life 2, Half-life 2: Episode One, Half-Life 2: Epsisode Two, Team Fortress 2 e o estreante jogo da produtora, Portal. O jogo consiste basicamente de uma série de enigmas que devem ser solucionados ao teletransportar o personagem do jogador e outros objetos simples usando o "Aperture Science Handheld Portal Device" ("ASHPD", também conhecido como "Portal Gun").

No jogo você assume o papel da Chell, uma cobaia dos testes produzidas pela Aperture Sciencie. Ela é a silenciosa protagonista de Portal e da campanha single-player em Portal 2. Muito pouco se sabe sobre seu passado, além de seu possível abandono quando nasceu e sua teimosa vontade de viver (Baseado nos eventos de Portal 2, é debatido que Chell talvez seja a filha de algum cientista que trabalhou na Aperture Science) . Durante os testes na empresa, o jogador é guiado por GLaDOS, um computador de inteligência artificial que monitora e direciona o jogador.

ANÁLISE CRÍTICA NOTA (0-10)
História 9,2
Gráficos 8,9
Jogabilidade 9,3
Trilha Sonora 9,6
Diversão 9,1

Média final: 9,2

Portal foi um ótimo jogo, apesar da própria Valve considerar que foi apenas um jogo teste para o seu sucessor, Portal 2 e que não acreditava que o jogo seria tão bem recebido pela crítica e usuários. O jogo revolucionou os jogos do gênero puzzle e sem dúvida nenhuma, vale muito a pena comprar Portal e aproveitar tudo que o jogo oferece. Até a próxima análise! :D
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
20 de 21 pessoas (95%) acharam esta análise útil
Recomendado
6.5 horas registradas
Análise de pré-lançamento
Publicada: 6 de dezembro de 2013
Raríssimos foram os jogos de desafio ou puzzle de que eu gostei. E mais raros ainda aqueles que eu completei. O obstáculo sempre foi o fator dificuldade. Apesar de ser considerado inteligente pelos meus pares, eu diria que meu intelecto está mais propenso a armazenar e digerir dados do que resolver problemas práticos. Nunca joguei xadrez. Nunca fui um mestre no jogo de damas. Enigmas com palitos de fósforos e outros similares em revistas sempre me deixaram frustrados. E frustração não é o nome do jogo. Os poucos títulos que me cativaram apresentavam uma rápida curva de aprendizado ascendente e se tornavam impossíveis para mim depois de três ou quatro fases.

Em Portal, a Valve acertou na medida exata para me prender em poucos minutos e continuar me desafiando progressivamente até a batalha final. É um título que, ao mesmo tempo em que não segura sua mão para cumprir os desafios também é habilmente construído para que você possa intuir as saídas, mesmo quando tudo parece impossível. Ao contrário de estressantes sequências de plataforma ou puzzle em títulos fora do gênero, aqui seu sucesso NÃO depende de reflexos de relâmpago ou saltos precisos (na maioria dos casos, pelo menos). Você pode analisar o ambiente, experimentar, inventar soluções, no seu ritmo, seja em duas horas e meia, seja em quatro, seja em seis.

O conceito do jogo é simples. Não há inventário. Não há estatísticas na tela, pontos de vida, munição. Uma única e excepcional arma faz parte do seu arsenal, um instrumento capaz de abrir portais de entrada e saída. É impossível de se explicar sem usar muitas palavras, mas, tantos anos após seu lançamento, imagino que todo mundo já conheça pelo menos a idéia. Entretanto, se você não jogou, nada do que foi escrito ou visto irá prepará-lo para a sensação que dá entrar por um destes portais. Um lado do seu cérebro irá assimilar o evento e o outro lado irá se apegar à velha forma de ver o mundo e se recusará a visualizar as possibilidades. Você chegará na metade do jogo e ainda se flagrará dizendo: "eu não acredito que estou fazendo isso!". O verdadeiro desafio do jogo não vem de GLaDOS ou das salas milimetricamente arquitetadas. Virá de sua própria resistência a compreender o que pode ser feito. E, quando você se libertar das amarras do que é "normal", você estará dominando o jogo.

A Valve poderia perfeitamente soltar o jogador em uma sucessão de desafios a serem vencidos usando a Portal Gun e ainda assim ter um título de sucesso. A jogabilidade vicia. Mas, ainda assim, como quase tudo vindo da desenvolvedora, era necessário algo mais. E esse algo mais chama-se Narrativa. Com N maiúsculo, por favor, esses são os caras que colocaram uma introdução sem tiros em um jogo de tiro, doze anos atrás.

Portal, em muitos aspectos, me lembrou a obscura franquia de filmes de terror O Cubo, mais especificamente o primeiro e o terceiro filme. O ambiente estéril e impessoal, mortífero e sem sentido seguido por uma estranha e insolúvel conspiração, cujos bastidores não são tão organizados ou assépticos quanto a fachada. Nesse cenário desolador, a protagonista sem voz ou nome é constantemente instigada, traída e atormentada por uma inteligência artificial sádica, manipuladora e, ao mesmo tempo, frágil e digna de pena.

A história não nos é contada diretamente de forma alguma e aparece lentamente, seja através da fala de GLaDOS, a única voz presente em todo o jogo, seja através de mensagens desconexas grafitadas fora dos limites controlados pela máquina. Através destes pedaços de informação, o jogador vai montando um quebra-cabeça ainda mais complexo do que os desafios físicos impostos pelo ambiente. Trata-se de uma história feita de mentiras, de loucura, de horror e que, de alguma forma, está relacionada ao hermético universo de Half-Life. Esta colcha de retalhos possui mais lacunas do que bordados, mas nestes vazios reside o grande enigma de Portal.

Uma outra empresa qualquer poderia se dar por satisfeita ao criar um jogo desafiador e com uma narrativa intrigante. Não a Valve. Entrando como a cereja deste bolo, está GLaDOS, o mais perturbador, sarcástico, detestável, adorável, insano, mentiroso e sádico vilão contemporâneo desde o Coringa.

GLaDOS é rainha do espetáculo, roubando todas as cenas em que se manifesta. A protagonista, que entra muda e sai calada, aqui é apenas uma mão virtual para segurar a arma para o jogador enquanto este se diverte e, ao mesmo tempo, tenta sobreviver à antagonista. Com uma voz feminina agradável, ela é capaz de dizer as maiores barbaridades sem perder a linha em quase nenhum instante. E, quando fica claro ao jogador que há algo muito errado com a máquina, os sorrisos vão se transformando em uma mistura de riso amarelo com riso nervoso. Parabéns ao time da Valve e seu texto exuberante, repleto de fina ironia. E parabéns à dubladora (e cantora) Ellen McLain, que emprestou sentimento e doçura nos momentos certos, e incerteza e loucura nos momentos de arrepiar a espinha. Eu ria enquanto pensava: "Meu Deus, esta coisa maldita está tentado me matar!".

Ao final do jogo, entram os créditos e a música "Still Alive", cantada pela mesma Ellen McLain personificando uma invencível GLaDOS e prometendo novos horrores. Em nome da ciência. A canção funciona em dois sentidos, atuando como catarse após longas horas de confronto graças ao seu ritmo pop e colante enquanto a letra (e a voz da máquina) assusta em contraste e confirma que o pesadelo não terá fim.

Não se deixe enganar pelo meme que diz que "The cake is a lie". Existe bolo. E ele é delicioso e molhado.

Originalmente publicado em: http://blog.retinadesgastada.com.br/2011/01/cake-is-not-lie.html
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
16 de 16 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Recomendado
9.4 horas registradas
Publicada: 18 de março de 2015
Portal é diferente e inovador. O jogo é uma mistura de puzzle (quebra cabeça) e ação. Ele se passa no mesmo universo de Half-Life. A protagonista chama-se Chell e ela é muda, o enredo do jogo é basicamente contado por uma "voz" chamada GLaDOS, que dá instruções para a protagonista. Pelo fato da protagonista não falar, pode parecer que o jogo tem um enrredo ruim, mas a historia vai ficando muito interessante, até chegar em um final surpreendente.

A Chell usa a 'portal gun', que é uma arma que lança um portal azul ou laranja, para passar pelas câmeras do jogo.
A dificuldade, no começo é muito baixa, e vai aumentando bastante conforme você vai passando.
Eu não vi nenhum bug no decorrer da campanha. A trilha sonora do jogo é muito boa, dando destaque para a música 'Still Alive' que é cantada pela GLaDOS nos créditos do jogo.
O jogo é curto, você consegue zera-lo em uma média de 3hs, em uma segunda jogatina esse tempo diminui muito.
Os gráficos do jogo são consideravelmente bons, levando em consideração o ano do lançamento.
O jogo tem uns desafios extras, como passar por uma câmara usando poucos portais, dando poucos passos ou em pouco tempo. E também tem as câmaras avançadas, que são as câmaras do modo campanha, com a dificuldade aumentada.


Portal é um dos melhores jogos de puzzles de todos os tempos e o preço do jogo é muito bom, a Valve fez mais um jogo com qualidade extrema, vale cada centavo.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
15 de 15 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
21.5 horas registradas
Publicada: 14 de junho de 2014
Bom, se em um futuro distante as máquinas dominarão o mundo ninguém sabe, mas em Portal, o personagem do jogador é desafiado por uma Inteligência Artificial chamada "GLaDOS", que meio que indica os passos para completar cada fase no "Aperture Science Computer-Aided Enrichment Center" usando a Portal Gun. O jogo possui uma jogabilidade "diferente" e proporciona uma boa interação com o jogador, além de forçar o jogador a tomar decisões rapidamente para solucionar os problemas com os quais o personagem se depara ao longo do jogo. Uma boa pedida pra quem gosta de desafios ou puzzles e tem um pouco de paciência sobrando! Lembre-se: "The cake is a lie".
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
15 de 16 pessoas (94%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Recomendado
12.4 horas registradas
Publicada: 7 de abril de 2015
Um dos jogos mais originais e criativo que já joguei, seu único defeito é o jogo ser curto.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
13 de 13 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
6.7 horas registradas
Publicada: 16 de novembro de 2015
Portal 1 é um masterpiece, se você curte jogos de puzzle ou é fan da valve ta esperando o quê? unico defeito é que ele é meio curto mais mesmo assim vale a pena, 200% recomendado :D.

OBS: jogue o portal 1 antes do 2 para sua experiencia se ainda mais incrível.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada