Embark on a bloody road trip from Los Angeles to Juarez as the lawlessness of the Old West into is brought into present day. Welcome to the new Wild West.
Análises de usuários:
Últimas:
Neutras (16 análises) - 56% das 16 análises de usuários dos últimos 30 dias são positivas.
Todas:
Neutras (738 análises) - 50% das 738 análises de usuários deste jogo são positivas.
Data de lançamento: 13/set/2011

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Indisponível em Português (Brasil)
Este produto não está disponível no seu idioma. Confira a lista de idiomas oferecidos antes de comprar.

Comprar Call of Juarez: The Cartel

 

Sobre este jogo

Seja bem-vindo ao novo Velho Oeste.
Esse FPS traz a ilegalidade do Velho Oeste para os dias de hoje. Você embarcará em uma viagem sangrenta de Los Angeles para Juarez, México imergindo-se em um enredo corajoso com personagens interessantes e uma grande variedade de opções de jogabilidade.
Experimente a ilegalidade do velho oeste moderno enquanto você caça o cartel Mendoza em um mundo em que o fim justifica os meios. Sua caça pelo líder do Cartel te leva em uma viagem épica que vai de um laboratório de metanfetamina na floresta nacional de Sequoia até o quartel general do Cartel em Ciudad Juarez. Com mais de 10 ambientes distintos incluindo bordéis e becos da Los Angeles moderna, docas, uma festa num iate de luxo, os desertos abertos do Arizona e do Novo México, um funeral Mexicano e mais.

Características principais:

*NOVA* JOGABILIDADE COOP-ETITIVA

Entre em parceria com dois outros jogadores para alcançarem seus objetivos enquanto você se esgueira pelas costas deles para melhorar sua agenda pessoal secreta. Jogue as 20 missões do modo campanha sozinho ou com até 3 amigos.
Valor de repetição triplo: Jogue a campanha inteira com cada um dos 3 personagens; cada um tem sua própria história e um final distinto.
EXPERIÊNCIA MULTIJOGADOR DIVERTIDA

Jogue em até 6 contra 6 nos modos Team Deathmatch e Cops vs Gangsters. Conforme você joga seu personagem evolui, liberando armas e equipamentos.
HISTÓRIA RICA E JOGABILIDADE VARIADA

História relevante que se desenvolve dependendo do personagem que você escolhe. A jogabilidade é dirigida pela variedade: Invasões punitivas, proteção de testemunhas, interrogações duras, missões sob disfarce, tiroteios no meio da multidão, perseguições de carro e mais
Escolha entre 30 armas incluindo pistolas, revólveres, submetralhadoras, metralhadoras, rifles, escopetas, rifles de precisão, armas antiaéreas e mais.

Requisitos de sistema

    • OS: Windows XP/Visa/7
    • Processor: Intel Core 2 Duo 2GHz, AMD Athlon 64 X2 2Ghz (Intel Core 2 Duo 3GHz, AMD Athlon 64 X2 3Ghz or better recommended)
    • Memory: 1GB for Windows XP, 2GB for Windows Vista/7 (2GB for Windows XP, 3GB for Windows Vista/7 recommended)
    • Graphics: DirectX 9.0c compatible - Nvidia 8800GT /ATI 3850 (Nvidia GTX 260/ATI 4870 or better recommended)
    • DirectX®: 9.0c
    • Hard Drive: 8GB
    • Sound: DX 9.0c compatible
    • Multiplayer: 512kbs(broadband)
Análises de usuários
Sistema de análises de usuários atualizado! Saiba mais
Últimas:
Neutras (16 análises)
Todas:
Neutras (738 análises)
Últimas análises
rodrigorey
10.0 hrs
Publicada: 30 de julho
Um jogo que tinha os alicerces no velho oeste e do nada vira combate a cartel mexicano passou a pior impressão possível pro público, que sequer deu a chance de jogar por achar que seria uma porcaria, e com razão... mas ao pegar por um valor inferior ao de um Doritos, vi que ele é um jogo divertido, só meio sem propósito de existir, já que mesmo tendo certa ligação com os originais, é bem rasa e serve só pra reciclar cenários

O protagonista é clone do padre do primeiro, preguiça extrema em criar alguém original, só trocaram a armadura de peito por um colete a prova de balas... mesmo se fosse parente, ainda é meio idiota não mudar nada na aparência

Já o jogo em si que passou de um Half Life² pra um Call of Duty entre as duas primeiras versões, mergulhou ainda mais de cabeça na inspiração ao jogo da Activision, agora é impossível se perder com corredores tão estreitos e setas pra todo lado esfregando na cara onde deve ir, mantiveram a vida regenerativa e não fizeram mais qualquer momento plataforma ou exploração, só dá pra variar um pouco com uns coletáveis que se acha no cenário pra poder destravar novas armas

Mantiveram alguns conceitos originais como a pistola dupla e concentração, que serve como um bullet time pra abater inimigos em câmera lenta... os protagonistas intercalados foram substituídos por um coop em que anda com mais dois personagens, sejam amigos reais ou IAs, e ficam ao seu lado 100% do tempo, sem momentos solitários

Achei a história meio desinteressante, usam superficialmente intrigas com Cartel e a lenda do tesouro do Juarez como pano de fundo, mas sem que a pessoa se importe muito... nem mesmo suspeitas de traição e atrito entre os personagens aquece muito a vontade de entrar no lore

Cenas de perseguição a cavalo foram trocadas por carros, algo que parece legal no começo, mas usam o artifício muitas vezes e enjoa... ainda tem odiosos confrontos com helicópteros
Billy
9.0 hrs
Publicada: 15 de maio
Passatempo legal, alguns cenários interessantes, muita troca de tiro e muitas armas! 3/5
*EsPeC ®
6.7 hrs
Publicada: 2 de fevereiro
Jogo muito bom mesmo. O melhor entre todos os Call of Juarez, com o melhor coop.
jesse.john
4.8 hrs
Publicada: 4 de dezembro de 2015
Não é um dos melhores gráficos, por sinal deixou a desejar. O Call of Juarez Gunslinger, por ter um gráfico mais parecido com desenhos, ainda achei melhor. Controle do mouse ruim, sem a opção suave, poucas opções de qualidade de vídeo e a qualidade do audio também não é boa.
robsongritti
0.7 hrs
Publicada: 27 de setembro de 2015
Meu jogo não abre oque posso fazer para resolver isso?
b c p
0.6 hrs
Publicada: 21 de maio de 2015
Pergunto a Deus o porquê de ele dar um fim tão cruel aos meus 4 reais.
rfm1
28.8 hrs
Publicada: 18 de dezembro de 2014
tambem ´muito bom, recomendo.
Godo
24.8 hrs
Publicada: 7 de outubro de 2014
Medonho.
Eu Sempre li análises de jogos e procurei formar minha opinião nelas na hora de jogar e dar um veredicto, porém com Call of Juarez; The Cartel, eu resolvi nadar contra a maré, fechei os olhos para as análises e comprei, imaginando ''Não pode ser tão ruim'', e acreditem, é tão ruim quanto dizem, um desastre.
A história tenta se encaixar naquele esquema de ''cartel criminoso'' contra ''policiais durões ao lado da lei'', o jogo até tenta fazer uma surpresa no jogador com uma ''reviravolta'' no enredo, o problema é que o enredo é tão extenso, mas tão extenso, que ele mesmo acaba se perdendo de tanta informação e no final do jogo tudo o que você vai saber é ''preciso matar aquele cara lá porque ele é mau'' já que você dorme ou pulas cenas de conversa, o jogo demora 25 minutos pracomeçar (de tanta conversa), acho que os programadores ficaram tão empolgados com a história que acabaram colocando ainda mais coisas sem nenhuma supervisão.
Mas deixo já bem claro, que odiei esse jogo e como fã fanático da franquia Call of Juarez, vou falar tudo que eu puder na analise, se você gosta desse jogo, eu recomendo não ler.

Prós:

- 15 armas principais e 13 pistolas, possibilidade de usar pistolas duplas
- Modo câmera lenta (apesar de meio ruim)
- As proezas são bem fáceis de conseguir (mas eu só tive saco pra pegar metade)
- Os gráficos nas zonas florestais e nas fases finais são muito bem feitos
- Algumas fases finais do jogo se passam no mesmo cenário western que Call of Juarez 1 (apesar do cenário ter sido assassinado de tantas paredes)
- Paguei 4 reais na promoção da FullGames

Os contras (pegue uma cadeira):


- To achando que paguei caro
- O jogo consegue a proeza de ser 4x maior em espaço em disco do que o Bound in Blood
- Não dá pra mudar as configurações de vídeo dentro da partida, você precisa sair da partida pra poder mudar uma resolução!! E pra mudar texturas tem que ficar entrando e saindo do jogo, agora imagina que
legal você testando as texturas: Entrando na partida, saindo do jogo, entrando na partida, saindo do jogo, entrando na partida, saindo do jogo. Ah, e o jogo só tem a opção de mudar texturas e a folhagem, nada mais.
- O multiplayer tá morto.
- O jogo tenta criar 3 historias diferentes como pontos de vista para o mesmo enredo, o problema eh que se a historia principal ja eh ruim, essas historias sao piores ainda, tanto que nao da vontade de jogar de novo, e mudam aspectos minimos (um dialogo novo aqui ou uma cena a mais ali, pra dar na mesma coisa no final da fase), compensa mais voce escolher um personagem, zerar e depois ler a historia dos outros dois.
- Tirando Ben Mcall (que é um descendente do Reverendo Ray de Call of Juarez 1 e 2 e que nem faz questão de mencionar isso!), os outros 2 personagens são inúteis, a história do personagem Guerra gira em torno daquele clichê de policial corrupto incompreendido, Guerra passa o jogo inteiro fazendo piadas e sexualizando tanto a personagem Kim que mais parece que ele vai rasgar a roupa dela a qualquer momento, Kim Evans é aquele clichê da policial durona e solitária com os irmãos envolvidos no crime e que morreram por isso e também está envolvida em um misterioso assassinato de uma testemunha que ela ''jura''que nao foi ela, a história dela é tão ruim, mas tão ruim que você torce pra ela se ferrar, ou pra arrumar um namorado, pra ver se pelo menos ela esboça alguma reação.
- A sincronia labial eh pessima, os personagem andam como robos sem articulaçao, giram na frente de paredes, sao capazes de se abaixar e se arrastar até uma cobertura (como se tivessem uma escada rolante debaixo dos pes) chegando ao ponto absurdo de se teleportarem ateh um ponto no cenario se caso se perderem e você achar o checkpoint antes deles.
- Durante o game voce pode roubar 'itens secretos'' do cenario...o problema é que esses itens sao todos iguais, carteiras e celulares, e nao pode ser visto pelos bots aliados enquanto rouba, esses itens fazem o jogador passar de nivel e desbloquear outras armas, dentre eles voce pegar itens de missoes secundarias por exemplo: a namorada de ben mcall tem um filho e precisa de dinheiro pq ele ta doente, ela te pede pra pegar um revolver antigo no cenario do velho oeste, ok, voce pega, o problema eh que isso nao faz diferença nenhuma no jogo! (nao mostra nenhuma cena a mais no final, nada) Até mesmo ser pego pelos bots roubando nao faz diferença na historia, eh pura encheção de linguiça.
- Se call of juarez sempre teve cenarios abertos (ou pelo menos proximo), The Cartel é duplamente fechado, a parte em que você visita o cenário que era do Call of Juarez 1 dá ódio de tantas paredes que o cenário possui.
- Quando o seu personagem é atingido por uma granada ou algo explode ao lado dele, ele vai fazer uma animação de queda, ele cai no chão, olha pros lados e levanta, tudo bem..o problema é que isso demora demais (uns 5 segundos)! Nas primeiras 5 vezes você vai achar bacana, na sétima vez você vai começar a sentir ódio de cair no chão durante um tiroteio e esperar o personagem fazer um teatro pra levantar, isso sem contar quando o helicoptero dispara um míssel e seu char fica lá, 5 segundos deitado levando bala.
- Um show de palavrões, diálogos chulos, xingamentos e ofensas gratuitas, se você é uma pessoa sensível eu recomendo desativar o som das vozes, porque os personagens são todos sem educação, depois de 8 capítulos escutando ''sh*t, f*ck, son of b*tch, assh*le, motherf*cker, you sh*thead, i'm gonna f*ck your ♥♥♥!'' sem parar até eu comecei a ficar ofendido.
- Os personagens falam durante os tiroteios cerca de 7 frases prontas (Ninguem mexe comigo! Olha na esquerda! Mira direito!), e eles repetem isso praticamente toda hora, eu não sei o que deu na cabeça dos programadores em cogitar a idéia de que seria legal eu escutar a máquina dizendo que eu atiro mal.
- Os cenários urbanos são horríveis, a engine de Call of Juarez foi feita para modelagem de cenários do velho oeste, ao criarem cidades modernas elas mais parecem maquetes sem vida, é realmente triste ver a pobreza de detalhes, a cena onde um navio cargueiro vira de lado foi uma das coisas mais horríveis que eu já presenciei, o barco é desenhado certinho de lado, mas quando ele vira nada mais é do que uma chapa de metal cinza e reta, meu deus!
- As armas não tem recoil (quando você atira e a arma se descontrola), as armas do jogo mais parecem arminhas de pressão, é ridículo ver o personagem atirando e a arma nem mexendo direito.
- Cheio de estereótipos, todos os negros usam camisas de futebol e falam igual a cantores de rap, todos os mexicanos são morenos com bigode falando ''Muere!'', hordas de clones do 2pac falando ''Io, ma ♥♥♥♥♥, ima kill dat b*tch'', eu não ligo, mas se você é meio moralista, vai chegar num ponto do jogo que você vai se sentir como um racista fazendo uma limpeza etnica de tantos negros que você vai ter matado, e eu não me refiro ao cenários urbanos que retraram guetos (porque tem negros lá, óbvio), o problema é que praticamente 80% do jogo é desse jeito, o vilão tem um exército de negros prontos pra morrer!
- Seus aliados são robôs indestrutíveis, não sangram, não caem, não ficam sem bala, usam as mesmas armas o jogo INTEIRO, e voce nem mesmo pode dar uma mísera ordem para eles, e olha que vocês são uma equipe!

The Cartel é um game horrível, sem duvida nenhuma é um dos piores FPS que ja tive o desprazer de jogar, eu não recomendo nem se tiver a 1 real, se você é fã da franquia Call of Juarez, finja que esse jogo nem existe, você não perde nada, acredite, mas se você ainda duvida do que eu falei, procure jogar o game através de ''outras fontes'' pra testar, se você conseguir zerar e discordar de tudo que eu falei...então tá na hora de conhecer outros jogos.

Nota: 2\10
Toboco
2.6 hrs
Publicada: 13 de julho de 2014
jogaço!!!!!!!!!!! recomendo
REMi
26.9 hrs
Publicada: 11 de setembro de 2012
Eu achei o jogo muito bom e divertido, diferente do que a mídia fala. Fica mais legal ainda se jogar com amigos
Análises mais úteis  Nos últimos 30 dias
4 de 4 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Não recomendado
10.0 horas registradas
Publicada: 30 de julho
Um jogo que tinha os alicerces no velho oeste e do nada vira combate a cartel mexicano passou a pior impressão possível pro público, que sequer deu a chance de jogar por achar que seria uma porcaria, e com razão... mas ao pegar por um valor inferior ao de um Doritos, vi que ele é um jogo divertido, só meio sem propósito de existir, já que mesmo tendo certa ligação com os originais, é bem rasa e serve só pra reciclar cenários

O protagonista é clone do padre do primeiro, preguiça extrema em criar alguém original, só trocaram a armadura de peito por um colete a prova de balas... mesmo se fosse parente, ainda é meio idiota não mudar nada na aparência

Já o jogo em si que passou de um Half Life² pra um Call of Duty entre as duas primeiras versões, mergulhou ainda mais de cabeça na inspiração ao jogo da Activision, agora é impossível se perder com corredores tão estreitos e setas pra todo lado esfregando na cara onde deve ir, mantiveram a vida regenerativa e não fizeram mais qualquer momento plataforma ou exploração, só dá pra variar um pouco com uns coletáveis que se acha no cenário pra poder destravar novas armas

Mantiveram alguns conceitos originais como a pistola dupla e concentração, que serve como um bullet time pra abater inimigos em câmera lenta... os protagonistas intercalados foram substituídos por um coop em que anda com mais dois personagens, sejam amigos reais ou IAs, e ficam ao seu lado 100% do tempo, sem momentos solitários

Achei a história meio desinteressante, usam superficialmente intrigas com Cartel e a lenda do tesouro do Juarez como pano de fundo, mas sem que a pessoa se importe muito... nem mesmo suspeitas de traição e atrito entre os personagens aquece muito a vontade de entrar no lore

Cenas de perseguição a cavalo foram trocadas por carros, algo que parece legal no começo, mas usam o artifício muitas vezes e enjoa... ainda tem odiosos confrontos com helicópteros
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Análises mais úteis  No geral
32 de 37 pessoas (86%) acharam esta análise útil
5 pessoas acharam esta análise engraçada
Não recomendado
24.8 horas registradas
Publicada: 7 de outubro de 2014
Medonho.
Eu Sempre li análises de jogos e procurei formar minha opinião nelas na hora de jogar e dar um veredicto, porém com Call of Juarez; The Cartel, eu resolvi nadar contra a maré, fechei os olhos para as análises e comprei, imaginando ''Não pode ser tão ruim'', e acreditem, é tão ruim quanto dizem, um desastre.
A história tenta se encaixar naquele esquema de ''cartel criminoso'' contra ''policiais durões ao lado da lei'', o jogo até tenta fazer uma surpresa no jogador com uma ''reviravolta'' no enredo, o problema é que o enredo é tão extenso, mas tão extenso, que ele mesmo acaba se perdendo de tanta informação e no final do jogo tudo o que você vai saber é ''preciso matar aquele cara lá porque ele é mau'' já que você dorme ou pulas cenas de conversa, o jogo demora 25 minutos pracomeçar (de tanta conversa), acho que os programadores ficaram tão empolgados com a história que acabaram colocando ainda mais coisas sem nenhuma supervisão.
Mas deixo já bem claro, que odiei esse jogo e como fã fanático da franquia Call of Juarez, vou falar tudo que eu puder na analise, se você gosta desse jogo, eu recomendo não ler.

Prós:

- 15 armas principais e 13 pistolas, possibilidade de usar pistolas duplas
- Modo câmera lenta (apesar de meio ruim)
- As proezas são bem fáceis de conseguir (mas eu só tive saco pra pegar metade)
- Os gráficos nas zonas florestais e nas fases finais são muito bem feitos
- Algumas fases finais do jogo se passam no mesmo cenário western que Call of Juarez 1 (apesar do cenário ter sido assassinado de tantas paredes)
- Paguei 4 reais na promoção da FullGames

Os contras (pegue uma cadeira):


- To achando que paguei caro
- O jogo consegue a proeza de ser 4x maior em espaço em disco do que o Bound in Blood
- Não dá pra mudar as configurações de vídeo dentro da partida, você precisa sair da partida pra poder mudar uma resolução!! E pra mudar texturas tem que ficar entrando e saindo do jogo, agora imagina que
legal você testando as texturas: Entrando na partida, saindo do jogo, entrando na partida, saindo do jogo, entrando na partida, saindo do jogo. Ah, e o jogo só tem a opção de mudar texturas e a folhagem, nada mais.
- O multiplayer tá morto.
- O jogo tenta criar 3 historias diferentes como pontos de vista para o mesmo enredo, o problema eh que se a historia principal ja eh ruim, essas historias sao piores ainda, tanto que nao da vontade de jogar de novo, e mudam aspectos minimos (um dialogo novo aqui ou uma cena a mais ali, pra dar na mesma coisa no final da fase), compensa mais voce escolher um personagem, zerar e depois ler a historia dos outros dois.
- Tirando Ben Mcall (que é um descendente do Reverendo Ray de Call of Juarez 1 e 2 e que nem faz questão de mencionar isso!), os outros 2 personagens são inúteis, a história do personagem Guerra gira em torno daquele clichê de policial corrupto incompreendido, Guerra passa o jogo inteiro fazendo piadas e sexualizando tanto a personagem Kim que mais parece que ele vai rasgar a roupa dela a qualquer momento, Kim Evans é aquele clichê da policial durona e solitária com os irmãos envolvidos no crime e que morreram por isso e também está envolvida em um misterioso assassinato de uma testemunha que ela ''jura''que nao foi ela, a história dela é tão ruim, mas tão ruim que você torce pra ela se ferrar, ou pra arrumar um namorado, pra ver se pelo menos ela esboça alguma reação.
- A sincronia labial eh pessima, os personagem andam como robos sem articulaçao, giram na frente de paredes, sao capazes de se abaixar e se arrastar até uma cobertura (como se tivessem uma escada rolante debaixo dos pes) chegando ao ponto absurdo de se teleportarem ateh um ponto no cenario se caso se perderem e você achar o checkpoint antes deles.
- Durante o game voce pode roubar 'itens secretos'' do cenario...o problema é que esses itens sao todos iguais, carteiras e celulares, e nao pode ser visto pelos bots aliados enquanto rouba, esses itens fazem o jogador passar de nivel e desbloquear outras armas, dentre eles voce pegar itens de missoes secundarias por exemplo: a namorada de ben mcall tem um filho e precisa de dinheiro pq ele ta doente, ela te pede pra pegar um revolver antigo no cenario do velho oeste, ok, voce pega, o problema eh que isso nao faz diferença nenhuma no jogo! (nao mostra nenhuma cena a mais no final, nada) Até mesmo ser pego pelos bots roubando nao faz diferença na historia, eh pura encheção de linguiça.
- Se call of juarez sempre teve cenarios abertos (ou pelo menos proximo), The Cartel é duplamente fechado, a parte em que você visita o cenário que era do Call of Juarez 1 dá ódio de tantas paredes que o cenário possui.
- Quando o seu personagem é atingido por uma granada ou algo explode ao lado dele, ele vai fazer uma animação de queda, ele cai no chão, olha pros lados e levanta, tudo bem..o problema é que isso demora demais (uns 5 segundos)! Nas primeiras 5 vezes você vai achar bacana, na sétima vez você vai começar a sentir ódio de cair no chão durante um tiroteio e esperar o personagem fazer um teatro pra levantar, isso sem contar quando o helicoptero dispara um míssel e seu char fica lá, 5 segundos deitado levando bala.
- Um show de palavrões, diálogos chulos, xingamentos e ofensas gratuitas, se você é uma pessoa sensível eu recomendo desativar o som das vozes, porque os personagens são todos sem educação, depois de 8 capítulos escutando ''sh*t, f*ck, son of b*tch, assh*le, motherf*cker, you sh*thead, i'm gonna f*ck your ♥♥♥!'' sem parar até eu comecei a ficar ofendido.
- Os personagens falam durante os tiroteios cerca de 7 frases prontas (Ninguem mexe comigo! Olha na esquerda! Mira direito!), e eles repetem isso praticamente toda hora, eu não sei o que deu na cabeça dos programadores em cogitar a idéia de que seria legal eu escutar a máquina dizendo que eu atiro mal.
- Os cenários urbanos são horríveis, a engine de Call of Juarez foi feita para modelagem de cenários do velho oeste, ao criarem cidades modernas elas mais parecem maquetes sem vida, é realmente triste ver a pobreza de detalhes, a cena onde um navio cargueiro vira de lado foi uma das coisas mais horríveis que eu já presenciei, o barco é desenhado certinho de lado, mas quando ele vira nada mais é do que uma chapa de metal cinza e reta, meu deus!
- As armas não tem recoil (quando você atira e a arma se descontrola), as armas do jogo mais parecem arminhas de pressão, é ridículo ver o personagem atirando e a arma nem mexendo direito.
- Cheio de estereótipos, todos os negros usam camisas de futebol e falam igual a cantores de rap, todos os mexicanos são morenos com bigode falando ''Muere!'', hordas de clones do 2pac falando ''Io, ma ♥♥♥♥♥, ima kill dat b*tch'', eu não ligo, mas se você é meio moralista, vai chegar num ponto do jogo que você vai se sentir como um racista fazendo uma limpeza etnica de tantos negros que você vai ter matado, e eu não me refiro ao cenários urbanos que retraram guetos (porque tem negros lá, óbvio), o problema é que praticamente 80% do jogo é desse jeito, o vilão tem um exército de negros prontos pra morrer!
- Seus aliados são robôs indestrutíveis, não sangram, não caem, não ficam sem bala, usam as mesmas armas o jogo INTEIRO, e voce nem mesmo pode dar uma mísera ordem para eles, e olha que vocês são uma equipe!

The Cartel é um game horrível, sem duvida nenhuma é um dos piores FPS que ja tive o desprazer de jogar, eu não recomendo nem se tiver a 1 real, se você é fã da franquia Call of Juarez, finja que esse jogo nem existe, você não perde nada, acredite, mas se você ainda duvida do que eu falei, procure jogar o game através de ''outras fontes'' pra testar, se você conseguir zerar e discordar de tudo que eu falei...então tá na hora de conhecer outros jogos.

Nota: 2\10
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
4 de 4 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Recomendado
26.9 horas registradas
Publicada: 11 de setembro de 2012
Eu achei o jogo muito bom e divertido, diferente do que a mídia fala. Fica mais legal ainda se jogar com amigos
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Não recomendado
4.8 horas registradas
Publicada: 4 de dezembro de 2015
Não é um dos melhores gráficos, por sinal deixou a desejar. O Call of Juarez Gunslinger, por ter um gráfico mais parecido com desenhos, ainda achei melhor. Controle do mouse ruim, sem a opção suave, poucas opções de qualidade de vídeo e a qualidade do audio também não é boa.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
5 de 9 pessoas (56%) acharam esta análise útil
6 pessoas acharam esta análise engraçada
Não recomendado
0.6 horas registradas
Publicada: 21 de maio de 2015
Pergunto a Deus o porquê de ele dar um fim tão cruel aos meus 4 reais.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
2.6 horas registradas
Publicada: 13 de julho de 2014
jogaço!!!!!!!!!!! recomendo
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
28.8 horas registradas
Publicada: 18 de dezembro de 2014
tambem ´muito bom, recomendo.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Não recomendado
0.7 horas registradas
Publicada: 27 de setembro de 2015
Meu jogo não abre oque posso fazer para resolver isso?
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
6.7 horas registradas
Publicada: 2 de fevereiro
Jogo muito bom mesmo. O melhor entre todos os Call of Juarez, com o melhor coop.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
9.0 horas registradas
Publicada: 15 de maio
Passatempo legal, alguns cenários interessantes, muita troca de tiro e muitas armas! 3/5
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada