Escolha o seu caminho. Estamos há quatro mil anos antes do Império Galático e os Cavaleiros Jedi caíram em batalha contra os implacáveis Sith. Você é a última esperança da Ordem Jedi. Você conseguirá dominar o incrível poder da Força na sua missão de salvar a República? Ou sucumbirá à tentação do Lado Negro?
Análises de usuários: Muito positivas (4,941 análises)
Data de lançamento: 19/nov/2003

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Comprar Star Wars: Knights of the Old Republic

Pacotes que incluem este jogo

Comprar Star Wars Collection

Inclui 14 itens: STAR WARS™ - Dark Forces, STAR WARS™ - Knights of the Old Republic™, STAR WARS™ - The Force Unleashed™ II, STAR WARS™ - The Force Unleashed™ Ultimate Sith Edition, STAR WARS™ Battlefront™ II, STAR WARS™ Empire at War - Gold Pack, STAR WARS™ Jedi Knight - Dark Forces II, STAR WARS™ Jedi Knight - Jedi Academy™, STAR WARS™ Jedi Knight - Mysteries of the Sith™, STAR WARS™ Jedi Knight II - Jedi Outcast™, STAR WARS™ Knights of the Old Republic™ II - The Sith Lords™, STAR WARS™ Republic Commando™, STAR WARS™ Starfighter™, STAR WARS™ The Clone Wars™ - Republic Heroes™

 

Recomendado por curadores

"A great RPG made by Bioware prior to Mass Effect this game is what inspired them to make the Mass Effects games to allow more creative liberty."

Sobre este jogo

Escolha o seu caminho.
Estamos há quatro mil anos antes do Império Galático e os Cavaleiros Jedi caíram em batalha contra os implacáveis Sith. Você é a última esperança da Ordem Jedi. Você conseguirá dominar o incrível poder da Força na sua missão de salvar a República? Ou sucumbirá à tentação do Lado Negro? Herói ou Vilão, Salvador ou Conquistador, somente você determinará o destino de toda a Galáxia!
  • Uma nova experiência de RPG no universo de Star Wars, com personagens, criaturas, veículos e planetas únicos.
  • Aprenda a usar a força com mais de 40 poderes diferentes e construa o seu próprio sabre de luz.
  • Aventure-se entre alguns dos mais populares locais de Star Wars, incluindo Tatooine e a terra natal dos Wookiees, Kashyyyk.
  • Escolha o seu grupo a partir de nove personagens personalizáveis incluindo Twi'leks, droids e Wookiees.
  • Viaje para oitos mundos gigantescos na sua nave espacial, a Ebon Hawk.

Requisitos de sistema

Windows
Mac OS X
    • OS: Windows XP and Windows Vista
    • Processor: Intel Pentium 3 1Ghz or AMD Athlon 1GHz
    • Memory: 256 RAM
    • Graphics: 32 MB with Hardware T&L
    • DirectX®: Directx 9.0b or better
    • Hard Drive: 3.5 GB
    • Sound: Directx 9.0b compatible
    • OS: Mac OS X 10.6.8 or later
    • Processor: 1.8 GHZ Intel chipset or faster
    • Memory: 512 MB or higher
    • Hard Disk Space: 5 GB
    • Video Card: ATI Radeon X1600 / NVidia Geforce 7300 (128 MB VRAM or higher)
    • Languages: English

    • Supported Video Cards: NVIDIA GEFORCE 7300, 7600, 8600, 8800, 9400, 9600, GT 120, 320M, 330M, ATI RADEON X1600, X1900,HD 2400, HD 2600, HD 3870, HD 4670, HD 4850, HD 5670, HD 5750, HD 5770, HD 5870, HD 6750, Intel HD Graphics 3000

    • Additional: Intel integrated video chipsets are not supported. This game is not supported on volumes formatted as Mac OS Extended (Case Sensitive), Apple Intel Chipsets only. Power PC Processors (G4 and G5) are not supported


Análises úteis de usuários
9 de 9 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
21.7 hrs registradas
Publicada: 25 de março
Um RPG fantástico dotado de um universo rico, bastante conhecido e interessante. Nenhum jogo é capaz de te imergir no universo de Star Wars como esse. Os personagens são interessantes, os lugares são lotados de coisas realmente interessantes pra fazer (não missões de coleta sem profundidade alguma ou side quests genéricas), a gameplay é tática e satisfatória com suas animações mais dinâmicas, e as opções vem em grande número.
O jogo te dá de cara sempre a opção de agir de dois jeitos bem diferentes, que embora falte em grande maioria um lado cinza entre os dois, convenientemente se encaixa muito bem no universo de Star Wars, onde realmente temos o lado da Luz e o lado Negro. A história é envolvente e todos os personagens reagem de maneiras bem legais de se ver à todas suas escolhas e aos acontecimentos. Você realmente sente que fez a diferença.
A idéia do “escolhido” é basicamente a mesma idéia que se vê em todos os jogos da Bioware após KOTOR, desde Jade Empire à Mass Effect à Dragon Age. Tendo jogado todos Mass Effect e os dois primeiros Dragon Age você vê que essa fórmula tão característica da Bioware de um RPG com escolhas e uma missão aparentemente impossível que te leva a diversos lugares em busca de salvar o mundo, nasceu com KOTOR. E é exatamente nele que ela foi melhor executada. Mass Effect puxa muito de KOTOR, o que me leva a acreditar que Mass Effect é apenas a Bioware fazendo o seu próprio KOTOR, com sua própria franquia. O problema é que Mass Effect, após o 1, não tem essa mesma envolvência que KOTOR tem de te fazer sentir numa grandiosa missão, cheia de perigos e com apenas seus leais companheiros pra te ajudar. Parece que a habilidade dos jogos da Bioware de te convencerem que você realmente é o herói que o mundo precisa foi caindo com os anos.
O cenário e ritmo do jogo são muito bem feitos também. Você tem diversos mundos completamente diferentes para explorar, e embora o objetivo final em 5 deles seja o mesmo, todos eles tem seu próprio charme, questlines e estilo diferentes. Os cenários em si são muito bem feitos também. Sejam as estátuas Sith em Korriban, os desertos vastos de Tatooine ou as raias voadoras de Dantooine, não consegui resistir à vontade de tirar alguns screenshots.
A gameplay lembra bastante Dragon Age: Origins, o que era até então meu Bioware favorito. Temos um combate mais tático, que é realizado em turnos mas nos dá a ilusão de não ser, com animações dinâmicas que tornam ele mais legal de se assistir. Esse foi um toque bastante inteligente da Bioware, que permitiu que o jogo mantivesse um esquema de combate muito interessante e tático, sem parecer repetitivo. A dificuldade (joguei no Normal) é um pouco maiorzinha no começo, mas nada muito problemático. Conforme você vai avançando porém, chega-se num ponto que todo inimigo comum é um passeio no parque e apenas bosses te dão trabalho. Mesmo assim, sempre se mantém divertido de jogar.
Uma grande menção honrosa vai para o seu hub. A Ebon Hawk é tanto sua base quanto sua maneira de progredir para uma nova área. Toda vez que vai nela, lá terá todos seus itens e todos seus companions. Você pode interagir com eles e conhecer mais da vida deles, pedir para lhe fabricarem algum item ou utilidade e até perguntar se sabem algo a mais do mundo onde estão. Ela passa uma sensação confortável de casa, e uma sensação aventuresca ao velejar pelo espaço com todos seus amigos.
Voltando ao assunto da história, mas dessa vez focando em KOTOR e não nos outros jogos da Bioware, devo dizer que embora ela no começo seja nada além do esperado de uma história que se passas no universo de Star Wars, ela faz esse trabalho MUITO bem. Até o sistema de bondade/maldade do Light Side/Dark Side me fazia realmente questionar minhas ações. O jogo realmente me fazia me sentir mal ao realizar atos que são contra a idelogia Jedi, mesmo que ele me desse mais beneficios em ser mal do que ser bom. E essa foi outra sacada muito inteligente. Eles conseguiram representar o lado Negro como algo realmente tentador, para muitos. As escolhas “maldosas” e egoístas realmente beneficiam mais seu personagem, em termos de poder. Quanto mais maldoso você fica, você ganha acesso à diversos poderes bastante poderosos. Porém, do mesmo jeito que ele te faz sentir desejoso por mais poder, o jogo também sabe te fazer se sentir um bostão por não agir como um verdadeiro Jedi. Sem mesmo eu perceber, após as primeiras horas de jogo eu já estava jogando perfeitamente para o bem, agindo exatamente como um Jedi. Nunca em jogos que te dão a escolha tendi para ser a pessoa que se sacrifica para ajudar os outros, a pessoa que perdoa inimigos. Normalmente sempre fui neutro. Mas nesse jogo era simplesmente muito satisfatório ajudar todo mundo que vinha com um problema pra você. Ele realmente te fazia sentir um herói, alguém que se sacrifica pelos outros. Acho que, honestamente, esse jogo até me ensinou umas boas lições de vida sobre manter a calma.
É uma coisa muito legal e exilariante para mim quando um jogo me toca tanto que passo a pensar nele até quando não estou jogando, e KOTOR fez exatamente isso com sua história envolvente e personagens interessantes. A Bioware está de parabéns por ter deixado essa jóia no passado, e percebo que é uma grande pena ver no que a EA a transformou em. Mas não devemos pensar nesse presente e futuro tristes para RPGs da indústria, e sim focarmos naquele passado a muito tempo atrás, numa galáxia muito, muito distante.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
8 de 9 pessoas (89%) acharam esta análise útil
41.1 hrs registradas
Publicada: 18 de março
A primeira impressão é que o jogo é bem feio, mesmo pra época dele, e o começo é meio simplório e boring, mas depois que sai dessa primeira parte, o jogo se transforma e fica extremamente viciante

Primeiro a história em que controla alguém random que caiu de paraquedas na guerra e vai conhecendo gente, tendo que ir atrás de uma mulher que ele sonhou, até aí ok, mas chega um ponto em que os eventos ficam envolventes e todos os pontos vão se ligando, construindo um universo sólido... a história se passa 1000 anos antes dos eventos dos filmes, não interferindo na timeline como o Force Unleashed, por exemplo

A trilha sonora dele é fantástica, seguindo todo o padrão Star Wars, sem deixar a peteca cair

Em relação ao gameplay, se assemelha bastante ao Dragon Age nos combates e Mass Effect em estrutura de campanha, com os tradicionais diálogos multi respostas e barra de bondade/maldade que pode auxiliar a persuadir alguns personagens, porém eles reagem de formas diferentes caso tente argumentar com um mero camponês ou um Sith, algo que achei bem interessante... nas batalhas o jogo pausa pra organizar as estratégias, permitindo dar até 5 comandos seguidos que vão desde golpes comuns até cura, bombas ou poderes, e após isso o personagem executa automáticamente, sem que seja necessário timing como jogos de ação

A decepção ficou por conta da IA, ela é bem burra e atrapalha com frequencia, indo pra um inimigo diferente do que marcou, personagens enroscando uns nos outros ou prendendo em objetos... então uma vitória fáil acaba se tornando derrota por cada um tentar ir pra cia de um inimigo diferente ao invés de todos se focarem no mesmo (não chega a ser totalmente frustrante, mas é meio chato)

Os cenários são relativamente variados, com boa identidade em cada um dos mundos, e as dungeons tem vários caminhos, com possibilidade até de hackear computadores pra matar múltiplos inimigos a distância ao invés de ter que encarar mano a mano, ou ainda pode liberar portas... existem vários puzzles pra fazer, alguns legais, outros nem tanto

Quero jogar a sequencia em breve, pena que o terceiro é um MMO
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1.9 hrs registradas
Publicada: 23 de junho
pra mim um dos melhores rpg que historia revan vc me levou para o lado negro
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
262 de 298 pessoas (88%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
32.3 hrs registradas
Publicada: 9 de janeiro
HK: All meatbags should buy this game.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
147 de 158 pessoas (93%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
22.2 hrs registradas
Publicada: 30 de janeiro
This review is based on a purely vanilla playthrough

+ Character creation allows stat customizations right from the get-go, and goes the extra mile by adding a 'recommended' button that offers balanced numbers based on class; useful feature for beginners
+ Very even and agreeable pace throughout the entirety of the game; never felt too fast, slow, or interspersed with filler content
+ Excellent, marvelous soundtrack; really keeps you in the game, and does well to make this title feel true to the franchise
+ Mercifully short load times
+ There are myriad available side-quests, all voiced
+ Combat mechanics are well thought-out (despite 'dice-roll' RNG, of which I am not normally fond, as a general rule) and give you plenty of room for creativity and finesse
+ Excellent story with lots of depth and freedom of choice
+ While some characters remained a bit two-dimensional throughout the game, the majority of them are adequately fleshed-out and seem to develop to some extend
+ The game includes a few optional minigames (eg. Pazaak Cards)
+ Multiple endings, based entirely around the player's decisions
+ Tons and tons of lore-friendly set-pieces and items (both practical and aesthetic)
+ Extremely, alarmingly mod-friendly
+ An absolute plethora of immersive dialogue options
+ Boasts a few masterful plot twists

- Poor camera; you get used to it, but it's initially quite frustrating and limited in functionality
- Poor inventory system; throws everything into one long list as you accumulate items, leading to lots of monotonous scrolling when looking for equipment (mostly a problem for fellow hoarders, you could just sell all of your junk)
- Mostly flat, uninspired voice-overs (some voice actors were of inordinately better quality, though that mostly served to highlight the disparity)
- AI movement is mostly terrible, leading to waiting for characters to catch up, and lots of blocked doors/paths
- Lots and lots of bugs and glitches; most notably terrain glitches and a few CTDs (some of this can be fixed with a small amount of modding, I'm told)
- The autosave function is too sparse in functionality, and has led to some extremely frustrating moments

If you enjoyed this review, please follow my curator page. Also, feel free to join my group, LockeProposal's Big Day Out for discussion and announcements. Thanks for reading!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada