Narrative-adventure playing an Agent of Death who must take ONE life that could change the fate of a conflict-torn Nation!Think The Walking Dead meets Home and The Last Express, with a dash of To The Moon!Freeform exploration with Rich dialogueWhat might you learn searching the fundraising Gala and talking to patrons?
Análises de usuários:
Todas:
Neutras (147 análises) - 42% das 147 análises de usuários deste jogo são positivas.
Data de lançamento: 15/ago/2013

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Indisponível em Português (Brasil)
Este produto não está disponível no seu idioma. Confira a lista de idiomas oferecidos antes de comprar.

Comprar Postmortem: one must die (Extended Cut)

 

Análises

“... example of how to write nuanced characters with a reach into complex late-game branching narratives ... which happens little elsewhere in videogameland.”
PCGamer

“...adventure-cum-death-consequence analysis game,”
Rock Paper Shotgun

“I found myself totally immersed in this fictional country’s past, present and future”
Indie Statik

Sobre este jogo

Narrative-adventure playing an Agent of Death who must take ONE life that could change the fate of a conflict-torn Nation!
Think The Walking Dead meets Home and The Last Express, with a dash of To The Moon!

Freeform exploration with Rich dialogue
What might you learn searching the fundraising Gala and talking to patrons? Perhaps the less you know the better?

Meaningful choices and Unintended Consequences
Can your choice change the fate of a Nation? What other result could your meddling have?

Cast of ambitious and influential characters
What if they die? More importantly... what if they live?

Complex setting of violent domestic conflict and industrial revolution
A devastated country - but is it your place to fix it? What if your educated guess is wrong?

Dynamic and surprising Ending
The choice is *entirely* up to you - but what other factors may be affecting the outcome?

Online Stats to compare Your Choices with
Anonymous aggregate stats of everyone's playthroughs will let you see how your own choices compare! Are you one of the good guys?

Free Version

The basic game, without the extra character and bonus materials, is also available for free from our Official Website!

Requisitos de sistema

    Mínimos:
    • SO: Windows XP
    • Processador: 1GHz CPU
    • Memória: 512 MB de RAM
    • Placa de vídeo: 3D graphics card supporting OpenGL
    • Armazenamento: 40 MB de espaço disponível
    • Outras observações: if you're having problems make sure you install the Visual Studio 2008 Redistributables
Análises de usuários
Sistema de análises de usuários atualizado! Saiba mais
Todas:
Neutras (147 análises)
Últimas análises
-FireHawk-
1.6 hrs
Publicada: 20 de fevereiro de 2015
Postmortem é um jogo RPG Indie, você é a Morte e precisa escolher uma das pessoas numa festa beneficente
  • A história é bem pequena mas bem interessante, sendo praticamente diálogos com as pessoas, contando suas vidas ou sobre a cidade.
  • Gráficos básicos, bem razoável, já que não é o ponto do jogo.
  • Trilha sonora bacana e bem suave
Lady_Ninja
2.9 hrs
Publicada: 31 de agosto de 2014
Você é a Morte - escolha a Dona morte ou o senhor morte! - e irá a uma festa beneficente, falando com os convidados e trabalhadores, influenciando-os com seu diálogo para tomar esta ou aquela decisão e, por fim, um deles morrerá ao ser escolhido por você.
Ceifando a vida do "sortudo", você lerá mensagens ao final do game, explicando o que seu diálogo e o escolhido a morrer mudaram no país em que a historia está se passando.

É um jogo de um nivel só, que em trinta minutinhos você termina, e pode jogar de novo várias e várias vezes, levando a diferentes resultados. Teria sido ótimo ter mais de um level... Afinal, a ideia é interessante, e poderia ter rendido ainda mais game!

Recomendo!
Nickor
1.2 hrs
Publicada: 3 de março de 2014
Dentre todos os jogos indies que você já teve a oportunidade de jogar, sempre há aquele que se destaca por algum motivo: seja por sua trilha sonora, por sua história ou por outras características únicas, tais como a inovação ou o abuso das mesmas. Postmortem: One Must Die inova, mas também deixa a desejar.

Postmortem: One Must Die é extremamente curto, oferecendo no máximo 1h de jogo. Entretanto, as suas características o fazem de um ótimo jogo. Sua história é muito boa e a construção dos diálogos é excelente. A história é simples e objetiva: você é um Agente da Morte e você deverá escolher uma pessoa no meio de diversos conflitos que estão acontecendo. Assim como em The Walking Dead: The Game, cabe a você a analisar e tomar decisões que irão, de alguma maneira, afetar toda a história. Essas decisões ficam disponíveis online para comparar com outros jogadores logo após a conclusão do jogo.

O que realmente salva o jogo são os diálogos e a quantidade de itens que estão à sua disposição para leitura, complementando a história e estendendo assim, o tempo de jogo. A sua trilha sonora é ótima e os seus gráficos não impressionam. A arte em si, seja dos personagens ou do cenários, é boa, não decepcionando porém também não impressionando, sendo possível notar a falta de atenção para certos detalhes do jogo.

Saiba que Postmortem: One Must Die não é um jogo recomendado para todos. Assim como Dear Esther, ele requer a leitura de muitos diálogos e também requer a fluência em inglês para acompanhá-los. Em geral, o jogo é muito bom, mas vemos que há ainda muito potencial para o conceito do jogo.
シマリスくん
1.1 hrs
Publicada: 4 de dezembro de 2013
Antes de mais nada, é importante deixar claro que Postmorten é um daqueles jogos de aventura que requer ler uma grande quantidade de diálogos e textos. Porém, ele tem um escopo bem menor, o que facilita a vida do jogador. Se você for ler quase tudo, não levará mais do que uma hora para terminar uma sessão.

Apesar de ser curto (compre quando estiver em desconto), é um ótimo jogo, com ótimo diálogo (apesar de alguns erros) e um interessante conceito. Basicamente, você é um Agente da Morte e deve escolher uma pessoa para morrer em uma festa de gala. Sua escolha irá ajudar a definir o destino de um conflito que está atualmente ocorrendo na Galícia. Para escolher o personagem "correto" (dependendo do seu ponto de vista), é preciso conversar com cada um dos convidados em entender seus ideais e como se encaixam nesse conflito entre os Velhos e os Novos. Além disso, você pode influenciar cada um deles de maneira diferente, o que também irá mudar o final do jogo.

Esse é um daqueles jogos indies que vale a pena jogar apenas para ver o conceito em ação, sabendo que ele pode ser melhorado no futuro (seria interessante ver outras missões semelhantes, já que são tão curtas). O estilo artístico é decente, a qualidade nem tanto, infelizmente, mas dá pra aguentar.

Reiterando: Ótimo conceito, ótima escrita, bons gráficos e muito curto.
Análises mais úteis  No geral
12 de 14 pessoas (86%) acharam esta análise útil
Recomendado
1.2 horas registradas
Publicada: 3 de março de 2014
Dentre todos os jogos indies que você já teve a oportunidade de jogar, sempre há aquele que se destaca por algum motivo: seja por sua trilha sonora, por sua história ou por outras características únicas, tais como a inovação ou o abuso das mesmas. Postmortem: One Must Die inova, mas também deixa a desejar.

Postmortem: One Must Die é extremamente curto, oferecendo no máximo 1h de jogo. Entretanto, as suas características o fazem de um ótimo jogo. Sua história é muito boa e a construção dos diálogos é excelente. A história é simples e objetiva: você é um Agente da Morte e você deverá escolher uma pessoa no meio de diversos conflitos que estão acontecendo. Assim como em The Walking Dead: The Game, cabe a você a analisar e tomar decisões que irão, de alguma maneira, afetar toda a história. Essas decisões ficam disponíveis online para comparar com outros jogadores logo após a conclusão do jogo.

O que realmente salva o jogo são os diálogos e a quantidade de itens que estão à sua disposição para leitura, complementando a história e estendendo assim, o tempo de jogo. A sua trilha sonora é ótima e os seus gráficos não impressionam. A arte em si, seja dos personagens ou do cenários, é boa, não decepcionando porém também não impressionando, sendo possível notar a falta de atenção para certos detalhes do jogo.

Saiba que Postmortem: One Must Die não é um jogo recomendado para todos. Assim como Dear Esther, ele requer a leitura de muitos diálogos e também requer a fluência em inglês para acompanhá-los. Em geral, o jogo é muito bom, mas vemos que há ainda muito potencial para o conceito do jogo.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
4 de 4 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
1.1 horas registradas
Publicada: 4 de dezembro de 2013
Antes de mais nada, é importante deixar claro que Postmorten é um daqueles jogos de aventura que requer ler uma grande quantidade de diálogos e textos. Porém, ele tem um escopo bem menor, o que facilita a vida do jogador. Se você for ler quase tudo, não levará mais do que uma hora para terminar uma sessão.

Apesar de ser curto (compre quando estiver em desconto), é um ótimo jogo, com ótimo diálogo (apesar de alguns erros) e um interessante conceito. Basicamente, você é um Agente da Morte e deve escolher uma pessoa para morrer em uma festa de gala. Sua escolha irá ajudar a definir o destino de um conflito que está atualmente ocorrendo na Galícia. Para escolher o personagem "correto" (dependendo do seu ponto de vista), é preciso conversar com cada um dos convidados em entender seus ideais e como se encaixam nesse conflito entre os Velhos e os Novos. Além disso, você pode influenciar cada um deles de maneira diferente, o que também irá mudar o final do jogo.

Esse é um daqueles jogos indies que vale a pena jogar apenas para ver o conceito em ação, sabendo que ele pode ser melhorado no futuro (seria interessante ver outras missões semelhantes, já que são tão curtas). O estilo artístico é decente, a qualidade nem tanto, infelizmente, mas dá pra aguentar.

Reiterando: Ótimo conceito, ótima escrita, bons gráficos e muito curto.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
3 de 3 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
2.9 horas registradas
Publicada: 31 de agosto de 2014
Você é a Morte - escolha a Dona morte ou o senhor morte! - e irá a uma festa beneficente, falando com os convidados e trabalhadores, influenciando-os com seu diálogo para tomar esta ou aquela decisão e, por fim, um deles morrerá ao ser escolhido por você.
Ceifando a vida do "sortudo", você lerá mensagens ao final do game, explicando o que seu diálogo e o escolhido a morrer mudaram no país em que a historia está se passando.

É um jogo de um nivel só, que em trinta minutinhos você termina, e pode jogar de novo várias e várias vezes, levando a diferentes resultados. Teria sido ótimo ter mais de um level... Afinal, a ideia é interessante, e poderia ter rendido ainda mais game!

Recomendo!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Recomendado
1.6 horas registradas
Publicada: 20 de fevereiro de 2015
Postmortem é um jogo RPG Indie, você é a Morte e precisa escolher uma das pessoas numa festa beneficente
  • A história é bem pequena mas bem interessante, sendo praticamente diálogos com as pessoas, contando suas vidas ou sobre a cidade.
  • Gráficos básicos, bem razoável, já que não é o ponto do jogo.
  • Trilha sonora bacana e bem suave
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada