Get ready for some seriously stylish action from renowned designer SUDA51. In this exclusive version for PC, players will be slicing, dicing, and shooting as the suave executioner Mondo Zappa. Prepare for the thrill of love and kill in KILLER IS DEAD!
Análises de usuários:
Últimas:
Muito positivas (45 análises) - 82% das 45 análises de usuários dos últimos 30 dias são positivas.
Todas:
Ligeiramente positivas (2,344 análises) - 76% das 2,344 análises de usuários deste jogo são positivas.
Data de lançamento: 23/mai/2014

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Indisponível em Português (Brasil)
Este produto não está disponível no seu idioma. Confira a lista de idiomas oferecidos antes de comprar.

Comprar Killer is Dead

 

Sobre este jogo

Get ready for some seriously stylish action from renowned designer SUDA51. In this exclusive version for PC, players will be slicing, dicing, and shooting as the suave executioner Mondo Zappa. Prepare for the thrill of love and kill in KILLER IS DEAD!

Exclusive Features for Nightmare Edition:

  • New difficulty mode called Nightmare Mode. In this mode, enemies can only be defeated using the following attacks: Adrenaline Burst, Dodge Burst, Headshots, so the gameplay requires far more skill and tactics. Players will not be able to use the Final Judgement finisher (QTE mode) to defeat enemies.
  • Theater Mode - Rewatch cutscenes and get extended background information on characters, helping to unravel the story after your 1st playthrough
  • Smooth Operator Pack for console will be included, which includes X-ray glasses, bewitching outfits, stunning beauties, and a killer new mission and boss!

Requisitos de sistema

    Mínimos:
    • SO: Windows Vista 64-bit
    • Processador: Intel Core 2 Quad 2.3 Ghz or AMD Phenom X4 2.3 Ghz or above
    • Memória: 4 GB de RAM
    • Placa de vídeo: GPU that supports Shader Model 3.0
    • DirectX: Versão 10
    • Armazenamento: 13 GB de espaço disponível
    Recomendados:
    • SO: Windows 7 Professional 64-bit, Windows 8 64-bit, Windows 8.1 64-bit
    • Processador: Intel/AMD Quad Core 2.3 Ghz or above
    • Memória: 8 GB de RAM
    • Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTS 250 or AMD Radeon HD 2900
    • DirectX: Versão 11
    • Armazenamento: 13 GB de espaço disponível
Análises de usuários
Sistema de análises de usuários atualizado! Saiba mais
Últimas:
Muito positivas (45 análises)
Todas:
Ligeiramente positivas (2,344 análises)
Últimas análises
†ђэ эи∂
14.1 hrs
Publicada: 26 de agosto
Produto recebido de graça
se voçê gostou de fruit ninja,voçê vai amar killer is dead.
smess
13.4 hrs
Publicada: 21 de agosto
Um H&S bem cômico e violento, mantendo o estilo e a autenticidade do Suda51. A campanha que você joga é dividido por episódios que você pode joga-las novamente selecionando no worldmap e o tempo da campanha é bem curta, mas dá para aproveitar muito nesse tempo.

O protagonista Mondo, possui habilidades típicas de samurai e com execuções bem diferenciadas, o Takery entende bem o que é ser um samurai, kkkkk. Além da katana, ele usa o braço esquerdo como arma secundária para disparar nos alvos que você não consegue alcançar ou quebrar paredes.

Os gráficos poderiam ser mais bem elaborado, em vez de ser muito maquiado, pois já deparei por algumas composições gráficas desnecessárias e mal reguladas. O enredo é cômico mas bem fraco, ao ponto de perder o interesse pelos acontecimentos passados e futuros. Enfim, o game não chega impressionar, mas não deixa de ser divertido e com ótimas e lindas garotas. :D

Não sou de fazer tanto alarde pelos triviais travamentos de FPS, mas pra quem tem esse problema, recomendo acessar essa página que ensina a destravar os 30FPS:
FPS Cap & Resolution Fix
:)
neokira
11.4 hrs
Publicada: 5 de julho
Muito bom. Hack n Slash overpower do jeito que eu gosto. Uma pena ser tão curto.
scooby-du
6.0 hrs
Publicada: 3 de julho
Um jogo bacana, hack 'n slash. que no começo vc é meio overpower nada te aflige ou chega a matar, jogo que a dificuldade só aparece conforme a evolução das telas, criaram uns bonus de paquera que ate é interessante, mas um pouco maçante e requer um grau de paciência.

Obs: e ao mesmo tempo é um contra em processadores duo dá um bug onde vc fica com um telefone o tempo todo a tela carrega e não sai do loading.

https://gyazo.com/f0563b3428e9432517bfde7a582aa887

pra resolver esse problema é necessário editar o executavel do jogo
aqui explica em inglês.

Apesar dos pesares foi um game aproveitavel e peguei em promoção, fiquei quase um ano pra descobrir o que fazer nesse bug, mas de boa kkkk

deveriam atualizar o sistema pra não ocorrer isso, muito chato vc comprar um jogo original e ainda sofrer com problemas de bug, essa nova geração é problema rsrs

Fell_MTK
10.2 hrs
Publicada: 26 de maio
The job...Killer is Dead.

Um port medíocre em relação a performance, fps travado em 30 e com diversas opções de video ausentes, felizmente ele não tem quedas e aparenta ser relativamente leve.

Ele lhe da a opção de jogar com a dublagem japonesa, algo interessante e que gostaria de ver em mais jogos vindos de lá. Apesar disso ela não é bem implementada, parece que foi apenas jogada como uma feature adicional, há problemas com a sincronia labial e legenda.. é melhor que mantenha o jogo em inglês.

A história também tem suas falhas, te deixa com algumas duvidas..apesar de superexposição ser um problema em outros títulos aqui você vê o contrário.

Outros pontos negativos são a horrível mania que o jogo tem de interromper a jogabilidade por qualquer coisa, independente de quão significante é ou se o jogador já presenciou aquilo antes, e algumas ocasiões aonde você quer ir em algum lugar e tem que esperar a animação toda ser terminada, seja do mapa para o escritório ou quando quer alternar entre os desafios que a Scarlett lhe da.

Se você for apenas pela campanha pode finalizar facilmente o jogo em seis horas, se for atrás do conteúdo adicional espere pelo menos oito horas, é relativamente curto mas tem um replay bacana considerando tudo.


Pegue-o se estiver promoção, se não houver outro titulo que te interessa no dia E se você tiver um controle.
Ripp1nCorpse
3.9 hrs
Publicada: 8 de fevereiro
Jogo top demais! Um dos melhores do genero!
Everton
2.2 hrs
Publicada: 8 de fevereiro
Killer is Dead é um jogo de ação japones, estilo hack and slash.
O protagonista do jogo é Mondo Zappa, um assassino de terno que utiliza uma katana para detonar os seus inimigos.
Jogo bacana quem gosta de historia tem bastante e ao estilo japones muita senxualidade, "pevertidos". nota 8/10
dieguitoo
9.1 hrs
Publicada: 5 de fevereiro
Killer is Dead: Nightmare Edition é a versão para PC do game de ação de Suda51 lançado exclusivamente para consoles em 2013. Ela adiciona mais um nível de dificuldade, uma nova área, e um novo chefão, mantendo o mesmo visual original, a trilha sonora marcante e o humor e o sarcasmo característicos do game.

No entanto, a jogabilidade simplista demais e o sexismo exagerado podem não agradar alguns novos jogadores, enquanto que as adições e a integração do game com os recursos do Steam talvez sejam interessantes para quem já conhece o assassino Mondo Zappa e seus clientes, parceiros e alvos completamente bizarros.

Prós
+ visual bonito e original
+ trilha sonora bacana e diversificada
+ dublagem em inglês e japonês bem executada
+ referências à cultura pop bem integradas à história

Contras
– “mini-game de conquista” constrangedor, que poderia não ser obrigatório para conseguir novas armas
– jogabilidade bem feita, mas muito repetitiva
– apesar das referências à cultura pop, a história é confusa e muito fragmentada

Review completo em: http://criticalhits.com.br/killer-is-dead-review/
Chili |traveling
34.4 hrs
Publicada: 5 de fevereiro
Apesar de sua produtora ser a Deep Silver, o jogo não teve a divulgação merecida, pelo menos não aqui no Brasil. Diria sem sombra de dúvidas que Killer is Dead foi minha melhor aquisição da metade de 2015 ~ 2016 até então. Ele traz de volta a essência de jogos Hack and Slash, muitos inimigos, combos incríveis envoltos à uma trilha sonora intensa de altissima qualidade, diga-se de passagem. Em um primeiro instante o preço que ele está sendo cobrado pode parecer alto, mas ele compensa cada centavo gasto.

Para resumir o jogo, eu poderia dizer que ele é um Devil May Cry, com alguns elementos NSFW, possui gráficos bonitos e leves, provavelmente roda na maioria dos computadores atuais, desde os mais básicos. Os gráficos são desenhados, ao mesmo estilo de Wof Among Us e Borderlands, o que encaixou bem com a atmosfera em que o jogo se passa. É dividido em missões, onde você ganha cristais que podem ser trocados em skills novas e dinheiro para comprar itens (suporte) e presentes, sim, presentes. O jogo possui algumas missões em que você terá que conquistar certas mulheres, cada momento do seu encontro ela estará querendo um presente diferente. O teor de dificuldade do jogo é bem equilibrado e desafiador.

10/10 - Jogabilidade impecável, gráficos agradáveis, trilha sonora estimulante, de muito bom gosto. Um entredo background para cada missão sempre interessante.
Zeppenariz
12.4 hrs
Publicada: 4 de fevereiro
joga ai cusao
Análises mais úteis  Nos últimos 30 dias
6 de 7 pessoas (86%) acharam esta análise útil
Recomendado
13.4 horas registradas
Publicada: 21 de agosto
Um H&S bem cômico e violento, mantendo o estilo e a autenticidade do Suda51. A campanha que você joga é dividido por episódios que você pode joga-las novamente selecionando no worldmap e o tempo da campanha é bem curta, mas dá para aproveitar muito nesse tempo.

O protagonista Mondo, possui habilidades típicas de samurai e com execuções bem diferenciadas, o Takery entende bem o que é ser um samurai, kkkkk. Além da katana, ele usa o braço esquerdo como arma secundária para disparar nos alvos que você não consegue alcançar ou quebrar paredes.

Os gráficos poderiam ser mais bem elaborado, em vez de ser muito maquiado, pois já deparei por algumas composições gráficas desnecessárias e mal reguladas. O enredo é cômico mas bem fraco, ao ponto de perder o interesse pelos acontecimentos passados e futuros. Enfim, o game não chega impressionar, mas não deixa de ser divertido e com ótimas e lindas garotas. :D

Não sou de fazer tanto alarde pelos triviais travamentos de FPS, mas pra quem tem esse problema, recomendo acessar essa página que ensina a destravar os 30FPS:
FPS Cap & Resolution Fix
:)
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
5 de 6 pessoas (83%) acharam esta análise útil
3 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
14.1 horas registradas
Publicada: 26 de agosto
Produto recebido de graça
se voçê gostou de fruit ninja,voçê vai amar killer is dead.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Análises mais úteis  No geral
33 de 35 pessoas (94%) acharam esta análise útil
10 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
12.4 horas registradas
Publicada: 15 de setembro de 2015
O que passa pela sua cabeça quando você olha para a lua?

Na minha passa...

- Lua.
- Assassinos.
- Katanas.
-Braços robóticos.
-Alienígenas.
-Mulheres comuns.
-Mulheres Vampiras.
-Mulheres Animes.
-Fazer amor com as mulheres mencionadas.
-Trens Assassinos.
-A 4º parede indo para o espaço e universo entrando em colapso.
-Ir para a lua.
-Ir para o país das maravilhas.
-Sangue.
-Neon.
-Lasers.
-Mais sangue.
-Unicórneo.
-Buracos Negros.
-Assassinos.
-Yakuza.
-Tigres.
-Organizações Secretas.
-Execução.
-Lua de sangue.
-e etc.

Eu estou ciente que eu digitei um monte de porcaria sem sentido nem contexto algum, mas é muito assim que você irá perceber enquanto no mundo de KILLER IS DEAD. O que ao mesmo tempo em que é esperado, sendo dirigido por SUDA51, é um “Hack n Slash” altamente estilizado proporcionando não só um combate extremamente rápido, sanguinário e visualmente impactante.

Para aqueles que não fazem ideia alguma de quem é SUDA51 pense em alguma coisa próxima de Quentin Tarantino do mundo dos jogos, que mistura ideias que são tanto surreais, ultraviolentas, maduras, e imaturas que às vezes levam a uma maneira muito interessante e inconvencional de contar uma história e de jogar também, até mesmo para o próprio mercado dos vídeo games.

Alguns de seus trabalhos mais famosos incluem “Killer 7” “No More Heroes” “Shadows of the Damned” e “Lollipop Chaisaw”. Como nenhuma de suas obras se repete exatamente da mesma forma, Suda é um homem que se arrisca ao tentar jogos novos com moldes tradicionais usados em formas que quebram as próprias normas dos moldes que são padrões na indústria. Imprevisibilidade é esperada junto ao seu nome. Estranhamente esse é o seu jogo mais convencional.

No quesito jogabilidade, acaba sendo uma dança de apenas 3 passos: Um botão para atacar, um para desviar e defender, e um para quebrar as defesas de um inimigo. O combate acaba sendo extremamente raso e sem muita estratégia, o mesmo poderia ser dito do braço mecânico que serve como uma arma. Em questão de ser um jogo KID é simples demais.

Não é necessariamente uma má coisa. Mas deixa a desejar que você consiga fazer mais além de desviar no último segundo de um ataque para realizar seu “ataque supremo” que consiste em só apertar “X”.
Isso realmente acaba fazendo que seu estilo e ousadia sejam tão astutos quanto um gatinho rolando na sua frente. O estilo neon-anime rápido e impactante acaba sendo normal depois de um tempo já ações que você realiza na maior parte do jogo não se parecem ou se sentem impactantes.

Os visuais são vibrantes, por mais que o nome “neon-anime” não seja o mais correto é o mais próximo que consigo dizer de cores vibrantes misturados com ambientes bem detalhados associados com um ritmo rápido em sua arte que raramente desacelera.

Tudo parece afiado e polido que sofrem apenas quando representam ambientes escuros você realmente não consegue ver nada além das silhuetas dos supostos objetos e fica ainda pior quando você é forçado a lutar contra o que mal consegue ver e com uma câmera problemática que fazem algumas lutas serem mais difíceis do que realmente são.

E a história, no papel de Mondo Zappa, um homem frio, que acaba de ser selecionado para ser um assassino do governo trabalhando para um pequeno escritório de execuções o que lida com problemas que vão desde o sobrenatural até segredos governamentais. Junto com sua assistente Miku, seu chefe Bryan, e sua superior e administradora Vivian, eles acabam matando o seu alvo para qualquer um que esteja disposto a pagar seus altos preços... E é aqui que tudo para de fazer sentido. E eu amo isso.

Em um momento você está no país das maravilhas, depois na lua, depois em uma base de pesquisas secreta, e daí... Você entendeu. Essa desconexão com a realidade e os eventos insanos que acontecem em cada nível mais as batalhas contra os chefes são o que realmente chamam a atenção em KID. E eu amo isso.

Por um exemplo: Uma das missões requer você entre em uma floresta assustadora a qual é quase impossível de ver um palmo a sua frente, isso até você acaba encontrando um unicórnio que te chama de mestre, se oferece para realizar o passeio mais mágico pela floresta assombrada...

Eu não tinha palavras para isso. Eu nem poderia inventar isso. Nem se tentasse. Isso é ótimo. E isso é uma coisa que às vezes sinto falta em jogos japoneses que tentam ser engraçados: Bizarrice que choca tanto quanto é hilária. São tantos momentos hilários bobos em um cenário tão sério acabam contrastando que o resultado é pura alegria. Nunca eu rir tanto quanto quando eu vi essa cena, quantas muitas outras que me fizeram dizer “Por que não?”. Eu realmente não sei dizer em alguns momentos se isso foi estúpido ou genial.

Até a parte mais controversa do jogo, que seriam as missões gigolô me fizeram rir também. Que consistem em seduzir as mulheres com o seu olhar frio e sem vida para seus corpos enquanto elas não olham para o seu rosto, e com presentes vazios e óculos de raio-x que realmente funcionam, seduzindo-as para o seu apartamento para um “final feliz”. (Se isso funcionar com alguém, digo, REALMENTE funcionar com alguém, eu quero ouvir a sua história.)

A inspiração em filmes de espião antigos, em especial “007”, no seu personagem principal fazem KID na verdade ser mais uma paródia, já que em ambos as obras as personagens são mulherengos, chauvinistas e egocêntricos que lidam com situações improváveis com soluções ainda mais ridículas, e tudo isso enquanto impedem um vilão que deseja dominar a terra. A insanidade de Suda51 aqui acaba sendo a cobertura do bolo nestes cenários já historicamente insanos.

Honestamente, é um jogo divertido. Mesmo que seja limitado comparando os seus antigos trabalhos e em sua jogabilidade bem básica, o humor e a insanidade da história em si me fizeram continuar para ver o que iria ultrapassar o que eu acabei de ver. E de certa forma não me desapontou o quão insano chegou a ser.

E quanto ao valor de R$ 36,99 acaba sendo um jogo que vale o seu preço quando comparado a outros jogos de mesma qualidade, não é tão mal. E para o primeiro jogo da Grasshopper Manufacture, (Empresa a qual Suda trabalha), não é mal, até chega a ser mais inofensivo do que a mídia fez realmente parecer.

E quanto a problemas técnicos, o jogo roda a 30 FPS o que é bem lento e pode ser facilmente ajustado, diferente de uma série de bugs que literalmente travam o jogo, até uma que literalmente impede você de carregar o seu jogo que fazem dele um porte terrível para o qual a solução não parece que virá da empresa, já que jogos para PC não são tão populares no oriente.

Para quem já ouviu falar em Suda51 e querem ver por que é tão interessante, é um bom lugar para começar. Para os lunáticos sadomasoquistas há conteúdo de sobra. E para os casuais, certamente há diversão e insanidade aqui.

Aparentemente KILLER IS DEAD ainda está muito vivo, em um lado negro da lua. Esperando para ser descoberto.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
18 de 18 pessoas (100%) acharam esta análise útil
2 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
32.5 horas registradas
Publicada: 5 de janeiro de 2015
Killer Is Dead. Ou KID para os íntimos. Primeiro jogo do repertório do renomado Suda51 que chegou ao PC.
De gênero Hack&Slash, pode ser considerado um sucessor espiritual dos títulos No More Heroes e Killer 7.
Além dos citados acima, Suda51 também é criador de outros títulos de sucesso, como The Silver Case, Shadows of the Damned e Lollipop Chainsaw.
O jogo tem uma jogabilidade excelente, porém por ter sido trazido dos consoles, temos que fazer algumas mudanças para melhorar nossa experiência de jogo no PC (como, por exemplo, alteração de FPS). Alguns pequenos bugs conhecidos, mas que não ocorrem com todos os usuários.
NOTA: Várias pessoas relatam que o jogo não suporta processadores Dual Core (apenas Quad-Cores), não permitindo que o aplicativo rode. Não tenho como avaliar isso, pois minha máquina possui um Quad Core. COM ISSO EM MENTE, CASO TENHA UM PROCESSADOR DUAL CORE E QUEIRA COMPRAR O JOGO, FAÇA POR SUA CONTA E RISCO.

Avaliação:

Personagens: 10/10
A série traz como protagonista o Mondo Zappa, que é um assassino de aluguel e gigolô em suas horas vagas. Ele faz parte de uma "empresa" que aceita esses tipos de serviços, composta por outros dois membros: Bryan, o líder do negócio, e Vivienne, a mulher que geralmente tem que lidar com as "decisões mal tomadas" do chefe. Mais tarde (logo no começo do jogo) Mika se junta a eles.
Além deles, temos as Beldades, que são garotas que Mondo deve conquistar (em eventos paralelos) como parte de seu trabalho de gigolô. No total temos quatro Beldades, mas apenas três delas darão itens importantes para Mondo, e conquistas Steam. São elas: Koharu (uma gueixa de um restaurante), Betty (uma vampira com mais de 200 anos), Natalia (uma brasileira dada como pavio-curto) e por fim, Scarlett (uma enfermeira de sangue-quente, que lhe dará desafios extras para serem completados).

Música: 7.5/10
Trilha sonora na média, não tão intensa, nem sem graça. Bem encaixada em cada parte do jogo, não deixando a desejar. Um daqueles jogos que você pode jogar sem se preocupar com enjoar da trilha sonora tão cedo.

Gráficos: 9/10
Gráficos únicos, vindos do estilo único do Suda51, mas para a versão PC poderiam ter sido adicionadas mais opções gráficas, como foi feito (através de um patch) com o grande título da Square Enix, Final Fantasy XIII.

Controles: 10/10
Sem muito a comentar, simples o suficiente para uma curva de aprendizado vantajosa.

Conquistas Steam: 10/10
Nível de dificuldade relativamente fácil, algumas apenas tomam um pouco mais de tempo para serem alcançadas.

Modos de dificuldade: 10/10
Os modos são os de sempre, Easy/Normal/Hard/Very Hard, tendo também o modo de dificuldade Nightmare, onde o dano dos inimigos é multiplicado em 9 vezes, o que torna este modo um tanto desafiador, e muito similar ao modo Hell and Hell da série Devil May Cry, pois você morre com 1 hit para praticamente todos os inimigos.

Nota final: 9.4/10


Para quem gosta de Hack&Slash, o jogo é muito recomendado, pois é uma experiência muito interessante. Porém é necessário fazer algumas alterações para ter uma experiência melhor, mas para isso já há soluções nos Guias Steam.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
12 de 12 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
10.2 horas registradas
Publicada: 26 de maio
The job...Killer is Dead.

Um port medíocre em relação a performance, fps travado em 30 e com diversas opções de video ausentes, felizmente ele não tem quedas e aparenta ser relativamente leve.

Ele lhe da a opção de jogar com a dublagem japonesa, algo interessante e que gostaria de ver em mais jogos vindos de lá. Apesar disso ela não é bem implementada, parece que foi apenas jogada como uma feature adicional, há problemas com a sincronia labial e legenda.. é melhor que mantenha o jogo em inglês.

A história também tem suas falhas, te deixa com algumas duvidas..apesar de superexposição ser um problema em outros títulos aqui você vê o contrário.

Outros pontos negativos são a horrível mania que o jogo tem de interromper a jogabilidade por qualquer coisa, independente de quão significante é ou se o jogador já presenciou aquilo antes, e algumas ocasiões aonde você quer ir em algum lugar e tem que esperar a animação toda ser terminada, seja do mapa para o escritório ou quando quer alternar entre os desafios que a Scarlett lhe da.

Se você for apenas pela campanha pode finalizar facilmente o jogo em seis horas, se for atrás do conteúdo adicional espere pelo menos oito horas, é relativamente curto mas tem um replay bacana considerando tudo.


Pegue-o se estiver promoção, se não houver outro titulo que te interessa no dia E se você tiver um controle.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
6 de 6 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
10.4 horas registradas
Publicada: 28 de agosto de 2014
Depois que joguei No More Heroes, eu adorei o estilo do Suda51 e fiquei com vontade de jogar mais jogos dele. Infelizmente, Killer Is Dead é o único jogo dele disponível para PC. KID é um hack 'n' slash cheio de sangue, estilo, ação frenética, mulheres sexys, diálogos nonsenses e, principalmente, muitas bizarrices: características básicas de qualquer jogo feito pelo Suda51. A jogabilidade, no geral, é boa. A história também mas nada muito envolvente. A trilha sonora e os chefes são bem legais .Os gráficos... bom, sou meio dividido sobre eles. Por um lado, os cenários e os efeitos de luz e sombra são belissímos, mas do outro lado os personagens parecem que são feitos de plásticos. Falando nos personagens, apesar de serem estilosos, não têm muito carisma. Mondo Zappa (protagonista de Killer Is Dead) não tem nem metade do carisma de Travis Touchdown (protagonista de No More Heroes). E por ultimo a câmera é horrível. Quando você esta lutando ela não para de se mexer e isso somado as cores fortes do cenário é igual a uma dor de cabeça daquelas. Sugiro que joguem esse jogo em um local iluminado.
Enfim, Killer Is Dead pode não ser nenhum candidato a jogo do ano mas também não é nenhum jogo ruim. Pelo contrário, é um jogo bacana. Me diverti bastante. Se você custe jogos de Hack'n'slash ou já jogou algum jogo do Suda51 e gostou então pode gostar desse também.

Ah sim, também tem o modo Mondo's Girls mas... prefiro não falar sobre isso...
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
7 de 8 pessoas (88%) acharam esta análise útil
Recomendado
34.4 horas registradas
Publicada: 5 de fevereiro
Apesar de sua produtora ser a Deep Silver, o jogo não teve a divulgação merecida, pelo menos não aqui no Brasil. Diria sem sombra de dúvidas que Killer is Dead foi minha melhor aquisição da metade de 2015 ~ 2016 até então. Ele traz de volta a essência de jogos Hack and Slash, muitos inimigos, combos incríveis envoltos à uma trilha sonora intensa de altissima qualidade, diga-se de passagem. Em um primeiro instante o preço que ele está sendo cobrado pode parecer alto, mas ele compensa cada centavo gasto.

Para resumir o jogo, eu poderia dizer que ele é um Devil May Cry, com alguns elementos NSFW, possui gráficos bonitos e leves, provavelmente roda na maioria dos computadores atuais, desde os mais básicos. Os gráficos são desenhados, ao mesmo estilo de Wof Among Us e Borderlands, o que encaixou bem com a atmosfera em que o jogo se passa. É dividido em missões, onde você ganha cristais que podem ser trocados em skills novas e dinheiro para comprar itens (suporte) e presentes, sim, presentes. O jogo possui algumas missões em que você terá que conquistar certas mulheres, cada momento do seu encontro ela estará querendo um presente diferente. O teor de dificuldade do jogo é bem equilibrado e desafiador.

10/10 - Jogabilidade impecável, gráficos agradáveis, trilha sonora estimulante, de muito bom gosto. Um entredo background para cada missão sempre interessante.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
5 de 5 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
2.2 horas registradas
Publicada: 8 de fevereiro
Killer is Dead é um jogo de ação japones, estilo hack and slash.
O protagonista do jogo é Mondo Zappa, um assassino de terno que utiliza uma katana para detonar os seus inimigos.
Jogo bacana quem gosta de historia tem bastante e ao estilo japones muita senxualidade, "pevertidos". nota 8/10
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
4 de 4 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
26.1 horas registradas
Publicada: 29 de novembro de 2014
8.5/10.0
Jogo muuuuuuuuuito loco!!!
Sério, não só a história, mas todos os elementos do jogo são bem doidos.
Quanto mais vc joga mais do clásico nonsense japonês aparece na tela.
Entretanto, eu, pessoalemte, gostei muito.
Com uma boa jogabilidade e diversos momentos hilários o jogo te prende por horas.
Para quem curtiu No More Heros, esse jogo é uma verção mais leve e mais casual mas no mesmo estilo.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
5 de 6 pessoas (83%) acharam esta análise útil
Recomendado
9.1 horas registradas
Publicada: 5 de fevereiro
Killer is Dead: Nightmare Edition é a versão para PC do game de ação de Suda51 lançado exclusivamente para consoles em 2013. Ela adiciona mais um nível de dificuldade, uma nova área, e um novo chefão, mantendo o mesmo visual original, a trilha sonora marcante e o humor e o sarcasmo característicos do game.

No entanto, a jogabilidade simplista demais e o sexismo exagerado podem não agradar alguns novos jogadores, enquanto que as adições e a integração do game com os recursos do Steam talvez sejam interessantes para quem já conhece o assassino Mondo Zappa e seus clientes, parceiros e alvos completamente bizarros.

Prós
+ visual bonito e original
+ trilha sonora bacana e diversificada
+ dublagem em inglês e japonês bem executada
+ referências à cultura pop bem integradas à história

Contras
– “mini-game de conquista” constrangedor, que poderia não ser obrigatório para conseguir novas armas
– jogabilidade bem feita, mas muito repetitiva
– apesar das referências à cultura pop, a história é confusa e muito fragmentada

Review completo em: http://criticalhits.com.br/killer-is-dead-review/
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada