A typographic odyssey.
Análises de usuários:
Últimas:
Neutras (16 análises) - 68% das 16 análises de usuários dos últimos 30 dias são positivas.
Todas:
Muito positivas (1,237 análises) - 80% das 1,237 análises de usuários deste jogo são positivas.
Data de lançamento: 6/nov/2013

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Comprar Type:Rider

 

Análises

“You never realized fonts could be this exciting.”
Kotaku

“Type:Rider is a reminder of just how beautiful stories can be, regardless of what they actually say.”
Kill Screen

“The "Final FONTasy" of video games. Encourages players to learn about type by exploring a world of fonts, mario-style.”
Fast Company

Sobre este jogo

Uncover the history and secrets of Fonts & Characters in a fascinating and unique experience!

Play as 2 dots and travel through the ages of typographic styles and techniques.
From the rock paintings of prehistoric times to Pixel art of the 2000’s, solve all the riddles by riding the most popular fonts and characters (Garamond, Helvetica, Times New Roman, Pixel, Comic Sans...) in a very captivating musical and visual environment.

Type:Rider is an adventure puzzle game produced by AGAT – EX NIHILO and ARTE that brings gaming experience to a whole new daring level.

Key Features:

  • 10 worlds echoing key periods of the typograhy’s history
  • Breath-taking artworks and musical vibes
  • Immersive and intriguing atmosphere
  • Great historical archives and paintings

Requisitos de sistema

Windows
Mac OS X
SteamOS + Linux
    Mínimos:
    • SO: Windows XP
    • Processador: Core 2 Duo
    • Memória: 2 GB de RAM
    • Placa de vídeo: 3D accelerated
    • DirectX: Versão 9.0
    • Rede: Conexão de internet banda larga
    • Armazenamento: 500 MB de espaço disponível
    • Placa de som: Compatible SB16
    Recomendados:
    • SO: Windows 7
    • Processador: Core i5
    • Memória: 4 GB de RAM
    • Placa de vídeo: 3D accelerated
    • DirectX: Versão 9.0
    • Rede: Conexão de internet banda larga
    • Armazenamento: 500 MB de espaço disponível
    • Placa de som: Compatible SB16
    Mínimos:
    • SO: OSX 10.6
    • Processador: Core 2 Duo
    • Memória: 2 GB de RAM
    • Placa de vídeo: 3D accelerated
    • Rede: Conexão de internet banda larga
    • Armazenamento: 500 MB de espaço disponível
    • Placa de som: Compatible SB16
    Recomendados:
    • SO: OSX 10.8
    • Processador: Core 2 Duo
    • Memória: 2 GB de RAM
    • Placa de vídeo: 3D accelerated
    • Rede: Conexão de internet banda larga
    • Armazenamento: 500 MB de espaço disponível
    • Placa de som: Compatible SB16
    Mínimos:
    • SO: Ubuntu
    • Processador: Core 2 Duo
    • Memória: 2 GB de RAM
    • Placa de vídeo: 3D accelerated
    • Rede: Conexão de internet banda larga
    • Armazenamento: 500 MB de espaço disponível
    • Placa de som: Compatible SB16
    Recomendados:
    • SO: Ubuntu 12.04.3
    • Processador: Core 2 Duo
    • Memória: 2 GB de RAM
    • Placa de vídeo: 3D accelerated
    • Armazenamento: 500 MB de espaço disponível
    • Placa de som: Compatible SB16
Análises de usuários
Sistema de análises de usuários atualizado! Saiba mais
Últimas:
Neutras (16 análises)
Todas:
Muito positivas (1,237 análises)
Últimas análises
GotHung
( 3.2 horas registradas )
Publicada: 23 de julho
Short platforming game based on an interesting concept with beautiful level designs. Just one downside: the controls are absolute BALLS... literally. You control a colon (aka ":") in the game, represented as two rolling balls, but they simply don't move or respond quite the way you want them to. This only becomes frustrating at the later stages when crisp platforming is required, but when the rage hits you, you'll be left wondering how a game about FONTS could make you so ♥♥♥♥♥♥. There's no penalty for mistakes, but still... it's almost enough to say the brief and otherwise enjoyable experience isn't worth putting up with the sluggish handling.
Realityhack
( 7.9 horas registradas )
Publicada: 22 de julho
Interesting concept & beautiful visual design marred by absolutely abysmal physics and controls. You'll spend the majority of the game fighting with what should be simple platforming maneuvers, but since your character essentially has another character of equal weight attached to it, like a ball and chain, your momentum and direction is constantly thrown off. The inability to make precise jumps quickly becomes frustrating to the point of outweighing the enjoyment of the interesting levels and design.
Alcator
( 5.0 horas registradas )
Publicada: 8 de julho
Love this game. Most of the time, it's a simple platformer with unusual (in fact, unique) character (the semicolon), but there are few really well designed puzzle elements.

The encyclopedic information which you can access is cool and accessible even to laymen.




Otterssoul
( 2.0 horas registradas )
Publicada: 4 de julho
I wish I could recommend this game. It has an amazing level of art, and the soundtracks are atmospheric and wonderful. But the physics, jumping, and controls are just too uncontrollable to be fun. The starting levels are easy and simple, not really a challenge, but the atmosphere makes them a delight, but once you hit the third level (Didot) you can forget about that simple fun, and after that the controls will criple you and leave you frustrated beyond belief. So can this game be fun? Definitely- especially if you enjoy history and ambience/mood. Is it worth the teeth-grinding aggravation? Not in the slightest.
SupermarketSweep
( 0.8 horas registradas )
Publicada: 30 de junho
This game is further proof that games can be both fun and educational, especially for a dry subject like the history of typefaces and printing.
Era
( 0.8 horas registradas )
Publicada: 28 de junho
Got sniped more in this game than in tf2
MightyAlex
( 2.7 horas registradas )
Publicada: 19 de junho
Produto recebido de graça
The developer doesn't know how to make a game. They really have to learn a lot more about game design and programming before they go and try to make something like this. Not to say that it can't be a little fun, the atmosphere and graphics are good. The core gameplay is what is really holding this game back, because it's too hard to control and the levels are poorly designed for the mobility of your character. Imagine driving through a mall with a bus without hitting anything, and you're about there. Would reccomend if it was properly made.
alanubis
( 3.2 horas registradas )
Publicada: 18 de junho
Joked about the game having a Comic Sans level...
There is a Comic Sans level.
10/10
Xavier
( 2.8 horas registradas )
Publicada: 12 de junho
Relaxing
Doll
( 2.2 horas registradas )
Publicada: 27 de maio
It was fun at first when things were easy, but once the game grew a bit harder the physics in the game went to mush. The controls were hard to maneuver and it made me rage more than I ever thought I could with a game like this.

I really wanted to like this (as I really did like the art and the music) but I just can't.
Análises mais úteis  Nos últimos 30 dias
3 de 3 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Não recomendado
2.0 horas registradas
Publicada: 4 de julho
I wish I could recommend this game. It has an amazing level of art, and the soundtracks are atmospheric and wonderful. But the physics, jumping, and controls are just too uncontrollable to be fun. The starting levels are easy and simple, not really a challenge, but the atmosphere makes them a delight, but once you hit the third level (Didot) you can forget about that simple fun, and after that the controls will criple you and leave you frustrated beyond belief. So can this game be fun? Definitely- especially if you enjoy history and ambience/mood. Is it worth the teeth-grinding aggravation? Not in the slightest.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Análises mais úteis  No geral
17 de 19 pessoas (89%) acharam esta análise útil
Recomendado
8.1 horas registradas
Publicada: 10 de junho de 2014
Esse jogo é demais! Muito criativo e original, uma viagem pela história da Tipografia, você interage com os elementos mais importantes de cada época! Um grande exemplo do que o Design é capaz de fazer, unindo game design com design de tipografias, muito bom, merecia ter ganho o IGF, pois é um dos jogos mais interessantes no universo indie! Recomendo muito! Nota 10!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
15 de 18 pessoas (83%) acharam esta análise útil
Não recomendado
3.1 horas registradas
Publicada: 2 de abril de 2014
Desde que eu vi esse jogo pela primeira vez, estava bastante otimista pela sua proposta e visualidade. Mas mesmo me esforçando para apreciá-lo, concluí que ele é apenas mediano e só recomendo mesmo a título de curiosidade e numa promoção.

Pra quem não conhece (o que é bem provável), Type:Rider é pretensamente didático na sua função de contar a história da tipografia, desde a pré-história até os dias atuais. Só que o grandíssimo problema do jogo é que ele não tenta implementar sequer os pontos principais dos eventos históricos NO MEIO das fases, em que seria obrigatório ler alguma coisa mínima antes de avançar. O mais próximo com que me deparei era um "reforço" na última fase em forma de "painéis" com o nome da tipografia e vários "Aa" passando dentro delas com uma formatação diferente, daí você tinha que associá-las com sua nomenclatura correta. Só me dei conta disso quando estava quase saindo da fase, pois estava preocupada demais em resolver o puzzle dela.

Praticamente todo o conteúdo é facultativo, condensado em livros virtuais que é também onde você seleciona os levels. E tem mais: você só acessa tais informações pegando asteriscos durante as fases, e nem sempre eles são fáceis de pegar.

Em suma, a função básica do jogo é jogada em segundo plano.

Até presumo que isso foi feito pro Type:Rider não virar um daqueles jogos didáticos que ninguém gosta, mas isso me pareceu puramente um design mal executado. Muito mal, aliás. E é particularmente pior se você levar em conta que, mecanicamente, o jogo não é nada de excepcional. Eu ignorei solenemente a maioria dos textos, apenas olhando bem por cima quando pegava novos asteriscos e esboçando um sorriso quando ele falava sobre um movimento artístico que estudei na faculdade (como o construtivismo russo e o dadaísmo).

É uma grande pena que o jogo esteja tão desequilibrado no sentido de esparsar os textos para uma leitura mais agradável (e incentivada), porque a ideia de aprender tipografia num meio interativo certamente é muito interessante e funcional. O que sobra de bom nele é a beleza e elegância do level design, misturando imagens históricas e baseadas em pinturas/letreiros/hardware/etc com plataformas em forma de silhueta. Tudo de uma maneira super agradável de olhar e, em geral, de muito bom gosto. Mas é só.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
8 de 8 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
3.2 horas registradas
Publicada: 17 de julho de 2014
Excelente. Vale muito a pena, ainda mais se tiver em promoção.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
6 de 6 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
5.3 horas registradas
Publicada: 14 de junho de 2014
Game recomendadíssimo!! muito divertido vale muito a pena compra-lo!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
6 de 6 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
4.3 horas registradas
Publicada: 23 de agosto de 2014
Ótimo jogo de plataforma.
Quem estuda design, como eu, ou é apreciador de história da arte vai gostar muito deste jogo.

O jogo é bastante simples em sua jogabilidade: a gente apenas guia dois pontos interligados por caminhos com obstáculos que são caracteres de uma determinada tipografia.

O que faz dele um jogo surpreendente é o caráter didático:
Cada fase apresenta uma tipografia e o cenário é formado por elementos do contexto em que aquela tipografia foi criada;
No caminho o objetivo é coletar todos os caracteres de A a Z e um caracter especial (&);
Coletando também o caracter * a gente desbloqueia páginas de livros que contam a história da tipografia.

Nota 10/10.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
5.7 horas registradas
Publicada: 11 de janeiro
recomendo esse jogo para quem gosta de jogos de plataforma, ele tem um grafico razoavel e suas misões são criativas
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
2 de 3 pessoas (67%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Recomendado
2.3 horas registradas
Publicada: 2 de janeiro de 2015
muito loco me amarro
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 3 pessoas (33%) acharam esta análise útil
Não recomendado
1.1 horas registradas
Publicada: 15 de julho de 2014
Parece um daqueles jogos de museu onde você "aprende brincando". Visualmente o jogo é muito bonito, e o som é uma experiência à parte. Mas é enjoativo, repetitivo... e o controle para pular com os dois pontos é bugado ou muito estranho. Sem tradução para o português, o que exige uma fluência para leitura dos textos. Se não for para ler a história da escrita, comprar o jogo só para passar das fases é besteira. Só curti um pouco mais pois sou formada em comunicação. Nota: 6/10
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
56 de 65 pessoas (86%) acharam esta análise útil
2 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
4.0 horas registradas
Publicada: 25 de março de 2014
It's easy to take fonts for granted. After all, hundreds of them come preloaded in even the simplest word processors, allowing for uninhibited freedom for formatting whatever we might need. But what most probably forget, is that it didn't use to be like this; those fonts came from somewhere, each a painstaking creation designed with a specific use in mind, which have nonetheless endured for generations and are now being put to use for far different purposes.

In many ways Type:Rider acts as a sort of mini history lesson to the legacy of fonts, a subject far more interesting in execution than on paper. From the earliest known texts to modern computer code, it's surprisingly fascinating to see the evolution of printed text and how various fonts came into being. There's a special place in my heart for games that can be both entertaining and educational, and this is certainly among the best I've played to date.

If you're shaking your head thinking there's nothing you'd rather not do than read over history descriptions while playing a game, it's worth noting that it's entirely optional to do so. It's never in your faced or forced upon you, but if you are planning to dismiss this side of the experience you'll be left with an otherwise rather bland and clumsy platformer. I was able to look past many of the weaker aspects of the game because I found the artistic and academic elements to be interesting in themselves, but those looking for even an average platformer are likely to come away disappointed.

This falls solely on the controls, a terribly clunky lesson in frustration as you attempt to maneuver a character that seems to like nothing more than to flip wildly out of control at the worst moments. Most levels make up for this by being relatively simple to traverse, but on a handful of occasion more precision is required which proves truly aggravating. The secret level being the most difficult and featuring no checkpoints only adds insult to injury, making me wonder why the developers chose to add such a challenging segment to a game that seems designed to be a relaxing an accessible experience.

Type:Rider is far from a perfect game, maybe not even a good one, but it is a unique and interesting endeavor to give a little background on a subject I'd never have bothered to look into otherwise. For those who can appreciate it more as an art piece than a traditional platformer, it's an intriguing slice of edutainment the strength of which lies in its excellent aesthetic and nontraditional source material, and not its gameplay. Anyone already bored reading this review should go ahead and pass on it, as there are dozens of other games that will be a far better fit for what you're after.

If nothing else, I doubt you'll ever look at comic sans quite the same way again.

You can read more of my writing on Kritiqal.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada