Immerse yourself in a gorgeous hand-painted world on a search for your true identity. As the mysterious warrior, Dust, your action-packed journey will take you from peaceful glades to snowy mountaintops and beyond.
Análises de usuários: Extremamente positivas (9,941 análises)
Data de lançamento: 24/mai/2013

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Comprar Dust: An Elysian Tail

 

Recomendado por curadores

"A gorgeous and action packed 2d game made by a single person. It's a real labour of love and it shows, if you can get past how annoying the sidekick is."
Veja a análise completa aqui.

Análises

"... Fabulously executed."
EGM 9/10

"Dust pretty much has it all."
Giant Bomb 5/5

"... A beautiful, well-written, and entirely fun action-RPG."
Digital Trends 9/10

Steam Big Picture

Sobre este jogo

Immerse yourself in a gorgeous hand-painted world on a search for your true identity. As the mysterious warrior, Dust, your action-packed journey will take you from peaceful glades to snowy mountaintops and beyond. At your disposal is the mythical Blade of Ahrah, capable of turning its wielder into an unstoppable force of nature, and the blade's diminutive guardian, Fidget. Battle dozens of enemies at once with an easy-to-learn, difficult-to-master combat system, take on a variety of quests from friendly villagers, discover ancient secrets and powerful upgrades hidden throughout the massive, open world, and uncover the story of an ancient civilization on the brink of extinction as you fight to uncover your own past.

Key Features


  • A traditionally-animated action-adventure tale, now in gorgeous 1080p
  • An expansive world filled with unique characters, quests, and secrets
  • Action-packed nonlinear platforming rewards exploration and experimentation
  • Fully voiced cast and a deep, rewarding storyline
  • Full support for gamepad, mouse+keyboard, or keyboard-only controls
  • A wide range of performance options to cater to every PC
  • Award-winning musical score by Hyperduck Soundworks

Requisitos de sistema

Windows
Mac OS X
SteamOS + Linux
    • OS: Windows Vista
    • Processor: Intel Core 2 Duo 2.8Ghz or equivalent
    • Memory: 1 GB RAM
    • Graphics: DirectX 10 compatible video card with shader model 3.0 support
    • Direct X®: 10, Windows Media Player
    • Hard Disk Space: 1.5 GB HD space
    • Sound: 100% DirectX 9.0c compatible sound card and drivers
    • Input: Keyboard
    • OS: Windows 7
    • Processor: Intel Core 2 Duo or AMD Athlon 64 X2 5600+
    • Memory: 2 GB RAM
    • Graphics: NVIDIA® 9600GT or ATI Radeon™ HD 5000+ or better
    • Direct X®: 10, Windows Media Player
    • Hard Disk Space: 1.5 GB HD space
    • Sound: 100% DirectX 9.0c compatible sound card and drivers
    • Input: Mouse and Keyboard or XInput-compatible Gamepad
    • OS: Snow Leopard 10.6.8, 32/64-bit
    • Processor: Intel Core 2 Duo 2.8Ghz or equivalent
    • Memory: 2 GB RAM
    • Graphics: OpenGL 3.0+ support (2.1 with ARB extensions acceptable)
    • Hard Disk Space: 1.5 GB HD space
    • Input: Keyboard
    • OS: Mountain Lion 10.8.5, 64-bit
    • Processor: Quad Core CPU
    • Memory: 4 GB RAM
    • Graphics: OpenGL 3.2+ support
    • Hard Disk Space: 1.5 GB HD space
    • Input: Mouse and Keyboard or Gamepad
    • OS: glibc 2.15+, 32/64-bit (S3TC NOT required)
    • Processor: Intel Core 2 Duo 2.8Ghz or equivalent
    • Memory: 2 GB RAM
    • Graphics: OpenGL 3.0+ support (2.1 with ARB extensions acceptable)
    • Hard Disk Space: 1.5 GB HD space
    • Input: Keyboard
    • OS: glibc 2.15+, 64-bit, S3TC texture support
    • Processor: Quad Core CPU
    • Memory: 4 GB RAM
    • Graphics: OpenGL 3.2+ support
    • Hard Disk Space: 1.5 GB HD space
    • Input: Mouse and Keyboard or Gamepad
Análises úteis de usuários
11 de 11 pessoas (100%) acharam esta análise útil
19.5 hrs registradas
Publicada: 26 de fevereiro
Nunca foi tão divertido e gostoso jogar um RPG plataforma como foi com Dust. Ele consegue ser muito viciante ao aplicar jogabilidade simples, bem fluida e bem diferenciadas. Você sente que está ficando forte a cada level e isso é bom, apresenta partes em que não tem a habilidade nescessária para passar e o que fazer?

Avance mais no game e consequentemente você liberá as outras Skills. Ainda tem um sistema de craft bacana que não é complicado. Combos e mais combos que vai de acordo com sua habilidade. A história no começo parece um pouco clichê mas no decorrer e especialmente no final consegue ser surpreendente e bem pensanda.

A trilha sonora não é tão empolgante mas não quer dizer que seja ruim, eu diria que é OK. Gráficos são um dos pontos fortes do game, é muito bem detalhado a aprensenta uma aspecto de desenho animado com cores muito vivas e bonitas. A campanha tem uma duração razoável considerando que é um jogo indie e que é praticamente feito por uma pessoa. No geral Dust é um excelente game, pra quem gosta de rpg e plataforma é impossivel não gostar.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
3 de 3 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
15.4 hrs registradas
Publicada: 27 de fevereiro
Análise postada originalmente no blog: http://1048596.blogspot.com.br/


Enredo

No jogo você encarna o guerreiro Dust, um ser que assemelha-se a um coelho humanoide que acorda em uma floresta sem se lembrar de nada. Ao despertar você entra em contato com uma espada mágica e a sua guardiã Fidget que é uma espécie de morcego coelho. A espada lhe diz que veio te guiar e que há muito que precisa ser feito. Com uma ânsia de descobrimento Dust parte em sua jornada para descobrir que se encontra em um mundo assolado por uma guerra racial terrível.

Dust e Fidget são seres que se assemelham a coelhos, estes seres são chamados de sangue quente, raças de mamíferos que dominam esse mundo. Além deles as outras famílias de seres vivos conhecidas em nosso mundo são representadas dentro do jogo também, como por exemplo répteis e fungos.
Os mamíferos são os mais desenvolvidos e por causa disso possuem um grande exército que lutam em uma campanha de limpeza étnica contra as outras espécies, começando pelos répteis chamados de moonbloods ou "sangue frio".

"Adeus, sangue quente. Das cinzas as cinzas..."

Apesar de seu visual infantil o enredo é muito mais profundo do que você imagina ao começar a jornada, fascismo sempre é um tema profundo e complexo.Se humanos já se matam imagina um mundo com seres tão distintos, usar animais é uma boa escolha.

O visual infantil não prejudica os personagens, o caráter de todos é muito adulto e humano apesar de parecerem o Perna Longa. Eles não só se assemelham a humanos, seu psicológico é muito fiel ao de um, até nos NPCs mais inúteis é possível reparar um cuidado com a caracterização do personagem, eles tem sua dicção e linguagem corporal própria até.

Dust não sabe nada sobre quem é mas ele tem diversos receios de que se envolveu em ações de pura maldade antes de perder sua memória. Ele é um personagem muito carismático que apesar de seus medos não representa o papel de herói trágico a todo momento, ele da risada e brinca com Fidget grande parte do jogo, Dust sabe que ficar remoendo suas incertezas não é o mais importante, ele acredita que através de suas boas ações ele pode redimir quem ele foi um dia.

Sua grande companheira Fidget também é muito carismática, ao início do jogo eu pensei que ela seria só um companheiro irritante porém, ela é uma grande amiga dotada de uma personalidade muito forte. Ela é a personagem mais divertida do jogo e talvez até a mais marcante. Fidget é contraditória, medrosa, cheia de incertezas, fala sem pensar e adora se vangloriar. Porém ela também é uma grande amiga sempre apoiando Dust quando ele precisa sendo também a pessoa que o conhece melhor. Fidget me passa a impressão de ser o personagem mais humano de todo o jogo, além do alívio cômico ela também é responsável por levar um pouco mais de conforto para Dust, que se sente vazio a confuso na maior parte do tempo.

Os outros personagens também são interessantes porém o foco do jogo é em Fidget e Dust mesmo.A espada mágica que acompanha Dust poderia ter mais presença, geralmente ela só se manifesta nos momentos mais decisivos para aconselhar Dust. E ainda com o foco sendo em dois personagens a dublagem de todos é muito boa, claro que dando destaque as vozes de Dust e Fidget. Como eu já disse as características das pessoas são bem trabalhadas a fim de evidenciar o caráter.


Tem muita coisa boa em Dust mas, o que o empobrece são seus furos gigantescos na construção do plano de fundo. Pro tipo de história que é apresentada os personagens são muito profundos enquanto o mundo em que vivem é vazio. O grande exército dos mamíferos não possui nem um país ao qual serve e nem é explicado como eles chegaram ao ponto de promover uma limpeza étnica por todo o continente. Um tema que é tão interessante acaba ficando mal-feito devido a falta de preocupação com a origem dos acontecimentos. Não existe um porquê para essa guerra racial, ela simplesmente existe. Além disso do mesmo modo que não há nações não existem cidades, não estou dizendo que precisariam construir um mundo digno de um RPG da Bethesda porém, você quer que eu pense que a única cidade dos mamíferos no mundo é uma vila no interior com poucos habitantes? Porque é essa que você pode visitar. Os personagens expressam muito bem suas emoções para com a guerra e os acontecimentos recentes, mas nunca falam nada sobre algo além do local onde vivem, todo mundo tem a mente tão bitolada assim e não sabe nada sobre o mundo?

Por mais que os personagens sejam carismáticos o mundo em que eles vivem não reforça o seu carisma, a própria espada mágica de Dust se torna ferramente de roteiro, nunca é explicado exatamente de onde ela vem e o que essa espada mágica fez ao longo da história nem nada do tipo. A batalha contra o General Gaius, o líder do exército fascista poderia ter tido um peso muito maior se soubéssemos como Gaius se tornou o maior promotor da morte, porque seus soldados o seguem sem questionar, e o mais importante, como era especificamente a relação entre os moonblood e os coelhos antes de todo esse caos.

Gameplay

É muito simples, Dust pula, possui dois botões de ataque, o primário da um combo simples e o segundo pode ser usado para girar a espada ou complementar o ataque primário formando um combo diferente. Fidget consegue soltar alguns tipos de elementos que quando entram em contato com sua espada girando criam grandes rajadas de poder, é muito importante usar o poder de Fidget para acertar muitos inimigos e fazer grande combos. Sim, combos, o jogo não é hack'n slash por nada, os elementos de plataforma no jogo são muito fáceis para ele ser lembrado como tal, ele está mais para um Metroidvania extremamente simples com elementos hack'n slash que um jogo de plataforma.

Existem elementos de RPG enraizados no jogo, Dust consegue upar de level e a cada um que ele upa consegue uma gema para gastar em atributos. Eles são Vida, Ataque, Fidget e Defesa. Como tudo é muito simples os elementos de RPG também são, recomendo que os upe balanceadamente colocando um ponto em cada um deles por level até que eventualmente todos estejam no máximo juntos.Não existe build nesse jogo, se você quiser se desafiar jogando sem defesa e upando só ataque é possível mas desnecessário.

Também há um sistema de Blacksmith extremamente simples, tão simples que o próprio ferreiro pode te vender os itens que você precisa pro craft. A dificuldade do jogo é mediana porém, se você não usar o ferreiro e não comprar itens de cura regularmente o jogo vai ficar muito mais complicado do que deve ser.

Design

Os sprites do jogo são lindos, isso merece nota 10, porém os cenários e os inimigos são extremamente repetitivos, são sim muito bem desenhados, na verdade extremamente bem desenhados mas pouco variados. Claro que existem muitas áreas diferentes mas se você entrar em uma fase nevada vai ficar com impressão de que ali só tem neve, em uma gramado você só vai ver grama, para o nível de arte do jogo é uma pena que não existam detalhes mais marcantes. Qualquer Castlevania do Game Boy Advance consegue construir um cenário com mais personalidade que os de Dust.

Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
3 de 3 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1.3 hrs registradas
Publicada: 14 de dezembro de 2014
Jogo bem feito.
Grafico, animação, som, jogabilidade..... enfim, super recomendado!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
3 de 3 pessoas (100%) acharam esta análise útil
24.1 hrs registradas
Publicada: 13 de janeiro
Um otimo jogo, possui um hitória boa, e apesar do personagem principal, quem rouba o carisma do jogador e a sua companheira a fidget, os graficos dão a impresão que foram desenhados, recomendo este jogo.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
4 de 5 pessoas (80%) acharam esta análise útil
49.2 hrs registradas
Publicada: 15 de abril
Prós:
- Gráficos bonitos
- Boa história
- Boa quantidade de missões extras que garantem tempo de diversão.

Contra:
- Fácil demais...

Detalhes:
"Dust: An Elysian Tail" é o jogo perfeito para quem procura aventura em 2D sem grandes complicações: os belos gráficos o tornam um prazer para os olhos, enquanto os controles fáceis unidos a combates empolgantes mantém o interesse.
A história do jogo é bem interessante: o habilidoso espadachim, que perde a memória e deve usar uma espada mágica para enfrentar inimigos, descobrir quem é, e ainda colocar fim a uma guerra.
Apesar de a campanha principal ser curta - e fácil demais -, "Dust" conta com uma boa quantidade de missões adicionais, e uma grande quantidade de itens secretos para encontrar, completando seu inventário, aprimorando as habilidades e equipamentos do herói Dust, e ajudando a compensar a dificuldade suave que oferece pouquíssimo desafio.

Mas (acho que já deu pra entender, né?), é muito fácil! O espadachim Dust é capaz, logo de cara, de realizar combos muito loucos, seja no chão ou no ar. Logo se aprende a manipular as magias lançadas pela companheira Fidget (uma espécie de pequena raposinha voadora), e... acaba por aí. Dust até aprende alguns outros golpes e combos pelo caminho, mas nenhum deles é tão útil quanto os ataques básicos ensinados no início da jornada. E com a evolução de nível, é possível deixar Dust ainda mais forte, o que torna a aventura "mais fácil que sentar na torta": basta esmagar os botões de ataque e aprender a usar a esquiva para dizimar facimente hordas inteiras de monstros e até os chefões do game.

Minha conclusão:
É um game simples, mas bonito e com boa história, o que faz com que mereça destaque. Ele não tenta ser um jogo de alto custo de produção ou que se iguale a séries mais famosas, mas é original e divertido: consegue realmente entreter por algumas horas.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
2 de 2 pessoas (100%) acharam esta análise útil
15.6 hrs registradas
Publicada: 13 de março
“O mundo dos games precisa de grandes ideias e a Microsoft Studios fez o dever de casa”

Criado em maio de 2013 Dust Na Elysian Tail foi pensado como um game que iria reviver o estilo plataforma e conseguiu se tornando um ícone de primeira classe nesse quesito. Você embarca em uma aventura com seu personagem que não se lembra de nada que havia acontecido em seu passado mas você sabe que é o único que poderá salvar o mundo de um apocalipse e para isso precisará contar com diversas ajudas.

O enredo do game possui uma ideia principal muito simples mas ao jogar descobrimos diversas surpresas que envolvem o jogador na trama. Dust é um game de ação com plataforma e elementos de RPG, toda a trama do jogo se baseia em cenários diferenciados e lindos, com muitos detalhes e ambientações únicas devido a cada parte da aventura ser encoberta de acordo com o fantasioso mundo do jogo, nessas ambientações estão inclusos neve, cavernas, deserto, florestas, pântanos, montanhas e muitos outros cada qual com suas respectivas propostas já que todos os cenários são interativos com os jogadores.

A jogabilidade do game é simples e pode-se usar mouse e teclado mas é altamente recomendável usar um controle pois trate-se de batalhas no estilo hack n’ slash que necessitam de maior precisão e agilidade do jogador. Dust tem ideias sensacionais porém um elemento torna o jogo simbolicamente completo que é Fidjet e a espada de Dust que são seus companheiros de jornada onde gera um certa afeição dos jogadores com eles devido ao seu jeito irreverente e sábio.

Dust é cheio de pontos positivos e com os efeitos sonoros não podia ser diferente, cada ambientação que passamos encontramos uma trilha sonora diferente desde de mais tensas até mais espontâneas, além disso, o game proporciona diálogos bem humorados e falas bem interpretadas pelos personagens o que completam de vez a jogatina.

Dust é um game de indie mas mesmo com todas as dificuldade conseguiu avivar um estilo considerado como ultrapassado, se mostrou como uma excelente escolha para jogos casuais além de impor respeito ao seu nome, na questão de bugs e erros quase não são perceptíveis pois o game é muito bem otimizado e requer pouca capacidade de hardware para executar além de possuir um preço bem acessível aos consumidores. Apesar de se mostrar um jogo infantil Dust é bem imparcial servindo até mesmo para os jogadores Hardcores que podem se desafiar nas arenas do jogo. Sem dúvida Dust se tornou símbolo dos indies e impulsionou o crescimento desse mercado mesmo se utilizando de gêneros antigos.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
22.4 hrs registradas
Publicada: 12 de dezembro de 2014
Um dos MELHORES jogos de plataforma/rpg na Steam, simplesmente a história é linda, cativante e emocionante e o jogo em si é MUITO divertido, simplesmente 10/10.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
18.6 hrs registradas
Publicada: 19 de maio
Jogo divertidissimode se jogar, com uma historia muito envolvente que faz você se importar com o protagonista, que tb é bastante carismatico. Vc se irrita com o vilão em alguns momentos; presenciei batalhas epicas contra todos os boss do jogo ; o final pode não agradar a todos(como em qualquer outro jogo); o dust( protagonista) tem habilidades bastante poderosas q podem ser combinadas facilitando muita coisa; a ambientação é excepsional e a dublagem tb é boa( sendo o jogo todo em inglês, sendo possivel baixar em poutros sites; uma belissima trilha sonora na qual ajuda bastantena dramaturgia do jogo. RECOMENDADO
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
11.4 hrs registradas
Publicada: 28 de dezembro de 2014
Muito bom, ótimo jogo, divertido, dá pra passar o tempo
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
3.6 hrs registradas
Publicada: 22 de fevereiro
Um dos melhores jogos 2D que joguei na steam. Simplesmente incrível as artes e historia do jogo.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
6.4 hrs registradas
Publicada: 7 de janeiro
Nice characters, Nice Story and nice gameplay definitely this game need to be played by everyone.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
3.5 hrs registradas
Publicada: 2 de janeiro
♥♥♥♥STIKO ESPLENDIDO EXTRAORDIONARIO FANTASTICO QUE JOGO LINDO DE JOGAR MUITO ♥♥♥♥ MESMO GRAFICO JOGABILIDADE O JOGO EM SI É MUITO LEGAL MSM VALE O PREÇO
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
27.0 hrs registradas
Publicada: 8 de fevereiro
Adorei. Jogo 2D com a historia mais legal que já joguei. O maluco fez o jogo sozinho. ♥♥♥♥. 10/10
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
44.0 hrs registradas
Publicada: 15 de abril
Por apenas R$25 reais, você irá jogar uma das experiências mais ricas em jogos indie dos últimos anos. É um metroidvania com furries(animais antropomorficos falantes), com uma trilha agradável, uma jogabilidade excelente, gráficos 2D caprichados e personagens caristmáticos. Ele pode durar de 8 a 30 horas(se você explorar o mapa inteiro) e vale cada ventavo.
A história é rica, e o final é intrigante e satisfatório.
Uma curiosidade é que ele foi desenvolvido em grande parte por um cara só, Dean Dodrill, que fez o jogo no seu tempo livre, durante 3 anos e meio. As principais inspirações dele foram Metroid, Golden Axe e Ys I & II que são os jogos favoritos dele.
Recomendadíssimo.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
41.4 hrs registradas
Publicada: 16 de maio
Recomendo
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
15.2 hrs registradas
Publicada: 10 de maio
Enredo, graficos, jogabilidade, soundtrack tudo muito bom
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
14.4 hrs registradas
Publicada: 5 de maio
Ótimo jogo 2D.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
1 de 2 pessoas (50%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
12.0 hrs registradas
Publicada: 1 de janeiro
Jogo de história simples e fofinho com golpes "Castlevania style", um bom passa tempo, nada mais!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
45 de 49 pessoas (92%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
19.5 hrs registradas
Publicada: 11 de janeiro
Chris Sawyer, sole developer of RollerCoaster Tycoon, once said that "many game designs suffer from having too many people working on them, losing their individual character and becoming games that look and play like so many others." Dust: An Elysian Tail's animator-turned-developer, Dean Dodrill, programmed, animated for, planned out, and otherwise developed this game on entirely his own effort, save for a few sound people and a smattering of voice actors. He has nothing to offer you but his blood, toil, tears and sweat; times when he would have to cram ten months' work into three, times when his Christian beliefs were put to the ultimate test, even times when by some sheer luck or divine intervention, the solution to an impossible problem of development would come to him in a dream. And when the fruit of his labour came to see the light of day, it became a perfect example of the kind of game Chris Sawyer was talking about. A game that one man was sure he wanted to create, with his will, intention and vision left unspoiled in the final product by the opinions of the many others who would be working on it otherwise; a work of art with his personal signature left in every facet of it.

Dust: An Elysian Tail captures the aesthetic of an animated movie almost perfectly, with just a few mature touches to keep its older audiences interested. Its characters, plot and background lore may not be the most complex, Shakespearian thing you've ever encountered, but if anything, they will charm you. In fact, I would compare the story more so to an ancient myth or tale of legend. Despite its animations only being about 12-24 FPS, which is pretty standard for animated works, it runs at a smooth, 60 FPS, and is uber-responsive to controls as well, so that it still plays fluidly with controller or keyboard. Especially considering the majestic hand-painted backgrounds and stages, as well as even the slightest shader effects, like light refracting around icicles, and bloom/lens flare effects that make their presence known, but don't overstay their welcome, I would call this, to my knowledge, the best-looking 2D game we've seen yet.

Though the aesthetic of the game may grow to be your neo-childhood, the gameplay mechanics are fuelled on pure testosterone. Being the closest thing that I know of to a fantasy-action-exploitation-film-turned-beat-'em-up-Metroidvania, it carries an emphasis on stylish swordplay, massive combos, and looking like a total bad-♥♥♥ in the heat of battle, as well as some RPG-like mechanics, like stat levelling and equippable items, that you'll pay more attention to in the quieter moments, to add some complexity and sense of progress. In fact, you may find yourself caught up in an inner struggle over whether to raise the difficulty to add more challenge, or keep it the same to retain the feeling of being all-powerful. As is standard with Metroidvania-type games, there are hidden areas that can be accessed as you gain new skills, and great attention was put into making these areas still enjoyable to look for, and not just like a long, tacked-on extra journey.

As was mentioned before, the plot isn't exactly the most complex thing out there. In a game like this, it actually works out for the better. It was a refreshing change to play a game that seemed so innocent and honest with itself. Even the protagonist, Dust, starts out innocent - he follows the trope of the amnesiac hero, having just come to in a forest with barely a memory of his past self. There's plenty of baddies to slice and dice your way through, sure, but Dust: AET is really just a journey of self-discovery that, as you play through and the pieces come together, slowly morphs into something truly epic. It gives you a rush unlike any other to fight your way through the final level, and to get to the final boss and pulverize him multiple times, even until the very end of the game, made me the most satisfied I'd felt with any game in quite a while.

In conclusion, this game is criminally underrated. No review, including mine or any other, will completely do this game justice. You have to buy it to fully understand just how Dodrill's inhumanly hard work all paid off to create the best experience I've received from a video game in a long time - and you will, too.

And for those who get tremendously upset over the fact that this game contains anthropomorphic animals, who cares? Playing this game won't turn you into a flamboyant, hyper-sexual sparkledog of a furry. It is something that almost everyone can enjoy, as long as you remove any prejudices about this game from your mind. Unfortunately, that seems to be the main thing holding people back from playing it.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
17 de 19 pessoas (89%) acharam esta análise útil
18.2 hrs registradas
Publicada: 30 de abril
This is a game that I had been meaning to play for a while now. The visuals in the screenshots look absolutely stunning. Dust has been out since early 2013 and it has that real polished feeling of a fantastic game. Essentially this is a hack and slash, RPG, side scroller. The combat system is basic, but does exactly what you need it to do. All of the attacks look and feel satisfying, as well as the parry system which normally is something that gets overlooked in a lot of games like this.

The musical score behind Dust is somewhat of a masterpiece too. I am surprised they haven’t released just the sound track as it is beautifully crafted. The level design on offer here is interesting too. Each "zone" is split into separate areas, which can be a little daunting at first because they are all huge. One gripe I did find is that the map in game isn't very clear and can sometimes cause confusion as to where you actually are on it.

As I said above, the combat system is basic, so this means you can master it very easily. There are a few combos to learn as you progress, as well as a welcome addition of a crafting mechanic. I also liked the feature where if you sold something to a shop, they would then stock this in the future so you can buy multiple copies of it; this is really helpful when you are trying to craft your armour and weapons.

This took me roughly twenty hours to complete everything on offer, main story line, challenges and side quests. The game did feel slightly repetitive towards the end of the last chapter however.

I would really recommend you pick up Dust: An Elysian Tail, you can more often than not find it on sale, but I would still recommend this at full price.

If you found this review helpful, please consider giving it a thumbs up. You can also find more reviews over at http://www.completingthebackloggroup.com/
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada