The United States has a military presence in two-thirds of countries around the world, and some of them have had enough. A group of terrorists calling themselves The Engineers initiate a terror ultimatum called the Blacklist - a deadly countdown of escalating attacks on U.S. interests.
Data de lançamento: 20 Ago 2013
Marcadores populares para este produto:
Assistir a todos os 3 trailers

Comprar Tom Clancy's Splinter Cell Blacklist Standard Edition

$39.99

Comprar Tom Clancy's Splinter Cell Blacklist Deluxe Edition

$49.99

Análises

“Blacklist gets stealth right.”
9.2 / 10 – http://ubi.li/WMvrG

“Fisher is King”
5 / 5 – http://ubi.li/WMvrG

“Blacklist serves as an anthology of all of Splinter Cell's best ideas.”
8.5 / 10 – Polygon

Edição digital de luxo

Tom Clancy’s Splinter Cell® Blacklist™ Deluxe Edition comes with all the essential weapons, gadgets, and gear for you to become Sam Fisher and stop the escalating Blacklist threats. With two bonus missions and five bonus suits, armor upgrades, and weapons, you’ll be prepared to stop the attacks!
Content Includes:

  • The High Power DLC Pack:
    • AC S12 Shotgun
    • GC36C Assault Rifle
    • MP5-10 SMG
    • PP-19 Black Market SMG
    • USP45 Hand Gun

  • The Homeland DLC Pack:
    • Single-player and multiplayer co-op missions: Dead Coast and Billionaire’s Yacht.
    • Tactical Crossbow with Sleeping Gas Bolts
    • Upper Echelon Suit, 4E Eclipse Suit for the single-player storyline
    • Gold, Amber & White Sonar Goggles
    • Exclusive Mercs & Spy Skin
    • And more!

  • Bonus suits, weapons, and gear:
    • Four powerful weapons for any play style: VSS Sniper Rifle, M1014 Shotgun, 416 Assault Rifle, and F40 Pistol.
    • Three enhanced combat suits: Elite Digital Ghillie Suit, Spy Suit, and Mercenary Suit for Spies vs. Mercs.
    • Three armor accessories: Ghost Boots, Armored Boots, and Tactical Gloves.

Sobre o jogo

The United States has a military presence in two-thirds of countries around the world, and some of them have had enough. A group of terrorists calling themselves The Engineers initiate a terror ultimatum called the Blacklist - a deadly countdown of escalating attacks on U.S. interests.

Key Features

Operate without Restrictions
Sam is back in his tactical suit and goggles, and he’s more lethal and agile than ever. Granted the freedom to do whatever it takes to stop the Blacklist, Sam flies from exotic locales to U.S. cities as he races against the clock to find out who’s behind this devastating threat.

Own Your Play Style
Splinter Cell Blacklist builds on the stealth roots of the franchise, while exploring new directions to embrace the realms of action and adventure. Players can define their personal play styles and be rewarded for those choices.
  • Ghost players want to remain undetected.
  • Assault players rely on instincts and frontal blow to deal with a situation.
  • Panther players look for lethality in the most efficient and silent way.

Tools of the Trade
Take down The Engineers by using new gadgets such
as the upgraded Snake Cam and Micro-trirotor Drone. Splinter Cell Blacklist is also bringing back fan-favorites like the Sticky Shocker and the brutal, curved Karambit knife. Fans of stealth will be happy to make the most of Sam’s sneaking abilities to abduct and carry enemies, while Killing In Motion allows the player to strike with surgical precision by marking and executing multiple enemies in one fluid motion.

Build a New Echelon
Sam is building a whole new Echelon unit; his team, his way. Anna “Grim” Grimsdottir is his technical operations manager, CIA operative Isaac Briggs brings additional firepower, and resident hacker Charlie Cole rounds out the crew. 4th Echelon is a fully mobile ops unit with unlimited resources and cutting-edge technology aboard the re-purposed stealth airliner, the Paladin.

Enjoy a Fully Integrated Experience
Sam and his team are aware of terrorist attacks in real time thanks to the Strategic Mission Interface (SMI). The SMI allows 4th Echelon to receive data about mission objectives while on the move. With the SMI, players can take advantage of the universal game economy system that allows players to fully customize and upgrade Sam, his suit, goggles, weapons, the Paladin and much more.

Spies vs. Mercs Returns
Spies vs. Mercs is back with an new take on asymmetrical gameplay. Players will be able to face off in teams of 4 all the while creating their very own Spy or Merc according to their playstyles via thorough customization elements. The original Classic Spies vs. Mercs experience also makes its long awaited comeback for the fans.

COOP
With the SMI, the lines are blurred between the single campaign and COOP as the narrative is deepened with Sam and Briggs. Earn in-game currency and unlock additional weapons or gadgets via specialized missions assigned by Grim, Briggs, Charlie and Kobin.

Requisitos de sistema

    Minimum:
    • OS:Windows® XP (SP3) / Windows Vista® (SP2) / Windows® 7 (SP1) / Windows® 8
    • Processor:2.53 GHz Intel® Core™2 Duo E6400 or 2.80 GHz AMD Athlon™ 64 X2 5600+ or better
    • Memory:2 GB RAM
    • Graphics:512 MB DirectX® 10–compliant with Shader Model 4.0 or higher
    • DirectX®:9
    • Hard Drive:25 GB HD space
    • Sound:DirectX 10–compliant DirectX 9.0c–compliant
    • Additional:Peripherals Supported: Windows-compatible keyboard, mouse, headset, optional controller (Xbox 360 Controller for Windows recommended). Requires UPLAY account.
    Recommended:
    • Processor:2.66 GHz Intel® Core™2 Quad Q8400 or 3.00 GHz AMD Phenom™ II X4 940 or better
    • Memory:4 GB RAM
    • DirectX®:11
    • Hard Drive:25 GB HD space
    • Sound:(5.1 surround sound recommended)
    • Other Requirements:Broadband Internet connection
    • Additional:Peripherals Supported: Windows-compatible keyboard, mouse, headset, optional controller (Xbox 360 Controller for Windows recommended). Requires UPLAY account..
Análises úteis de usuários
55 de 57 pessoas (96%) acharam esta análise útil
570 produtos na conta
7 análises
9.7 hrs registradas
O melhor jogo Stealth de 2013 e, com certeza, um dos melhores já feitos no gênero.

Splinter Cell: Blacklist conseguiu unir Stealth + Ação e fazer um jogo que pode ser jogado 3x de maneiras totalmente diferentes:

- Stealth (Ghost)
- Nocauteando inimigos para prosseguir (Panther)
- Matando geral como se fosse um TPS normal (Assault)

O jogo encoraja você a jogar como Ghost, dando mais dinheiro de recompensa caso jogue assim, e dando pouco dinheiro caso você queira jogar Assault.
O dinheiro ganho é utilizado para comprar equipamento, melhorias para o seu avião (Paladin) e armas novas no Black Market (as mais fortes do jogo).

A trama: Os Estados Unidos marcam presença militar em dois terços dos países de todo o mundo. Ocorre que um grupo de doze terroristas cansou do domínio americano e iniciou uma operação com o codinome “Blacklist” que desencadeia uma sequência de ataques mortais contra os interesses dos EUA.
Sam Fisher é o líder do grupo Fourth Echelon, unidade especial para combater o grupo terrorista.
Fourth Echelon age de forma clandestina, respondendo somente às ordens do presidente dos Estados Unidos. Sam e sua equipe terão de caçar todos os terroristas e parar com a operação Blacklist antes que ela seja completada.

A jogabilidade: A melhor da série. Você carrega uma pistola silenciada, uma arma extra de grande porte, uma arma não-letal (Ou um Taser ou um Crossbow) e diversos estilos de granadas e gadgets para lhe ajudar em campo, inclusive um Trirrotor que sobrevoa uma área delimitada e que carrega 4 munições paralizantes.
O sistema de cover é semelhante ao do SC Conviction, só que Sam voltou a utilizar as 3 luzes verdes nas costas que informam se você está invisível ou não (no Conviction, o jogo ficava Preto-e-Branco caso você estivesse escondido), e os botões foram mapeados melhor no controle do que eram no jogo anterior.

A atuação: Michael Ironside, o ex-dublador do Sam Fisher, foi substituído pelo ator Eric Johnson no papel de Sam Fisher. No começo do jogo, a mudança da voz é muito notável e chega a ser estranho. Mas com o desenrolar da história nota-se o quão superior ficou o Eric no papel do Sam pois agora o rosto/corpo/voz é feito pela mesma pessoa, diferente do Sam antigo que tinha um dublê para o corpo, um para o rosto e um dublador para a voz. Mas também se perde a característica principal do Sam antigo que era o humor "negro", enquanto agora temos um Sam que apareta estar sempre nervoso.

Os gráficos: Não tem do que reclamar. A Engine Utilizada, Unreal Engine 3, está mais bela do que nunca.

O real problema do jogo é a falta de dificuldade caso você não veja problema em jogar alternando os estilos de jogo.
Caso você queira jogar 100% Ghost na dificuldade Realista, você se estressará bastante!

Nota 9,5/10
Publicada: 17 dezembro 2013
Você achou esta análise útil? Sim Não
17 de 17 pessoas (100%) acharam esta análise útil
341 produtos na conta
4 análises
20.3 hrs registradas
Um magnífico game da série Splinter Cell dando uma perfeita continuidade a saga do herói Sam Fisher.
Para quem curte stealth,não tem como não adorar o game.
Este,devemos adicionar a coleção de bons games.
Recomendado.
Publicada: 20 dezembro 2013
Você achou esta análise útil? Sim Não
16 de 19 pessoas (84%) acharam esta análise útil
377 produtos na conta
64 análises
37.1 hrs registradas
Do ca.ra.lho, DO ca.ra.lho, DO CA.RA.LHO!

Se você é ou já foi fã de algum jogo da série, pode comprar sem pensar duas vezes. Blacklist mistura o que existiu de melhor em uma década de franquia. O mix perfeito entre o melhor da franquia de Stealth; Choas Thoery e o melhor da franquia em "Stealth-action": Conviction.

Nesse novo Splinter Cell o tipo de abordagem cabe ao jogador escolher, o que significa que todas as mecânicas que se pode esperar em um jogo stealth estão presentes, como multiplos caminhos, carregar corpos (Ausente no Conviction), se esconder nas sombras (Com missões divertidissimas em plena luz do dia), espiar por baixo da porta, diversos gadgets (No maior estilo Batman, que por sinal empresta alguns recursos a este jogo), takedowns sileciosos e o meu favorito; Passar todos os níveis da campanha principal sem incomodar/eliminar ninguém. Tudo aquilo que você esperava de uma continuação direta de Convictioncomo a mecânica de Mark e execute e o estilo mais dinãmico e ágil do Sam Fisher ao explorar o cenário ou eliminar capangas.

Para os fãs Hardcore da franquia como eu, existe também um modo de dificuldade onde LEITE COM PERICES, como ver através da parede ou se utilizar da mecânica de mark and execute (Matando todo mundo e ♥♥♥♥-se ao apertar um botão) não podem ser utilizadas, os inimigos identificam Fisher com maior facilidade e poucos tiros matam nosso amado espião.

Pausa para dica: Quem é macho joga assim e sem matar ninguém. Fica a dica.

Outros aspectos do jogo como trilha sonora, e história marcam presença de forma bastante competente. Ambos seguindo uma forma diferente do que a franquia costumava mostrar, a trilha sonora é bem mais "batida" (Sei lá, não entendo de música.) e os personagens mais importantes para história. É interessante como cada um deles tem sua propria opinião sobre o que deveria ser feito, culminando em constantes conflitos que agregam bastante a trama, que nada mais é que uma mistura de clichês de thrillers(espero ter escrito isso certo.) de espionagem. Muitos não gostaram, mas me agradou bastante, certamente a melhor da franquia, com boas expressões faciais e atuação dos dubladores.
Vale notar que muitos acham que jogamos como o Sam Fisher mais novo, devido a TRAGICA decisão da Ubisoft de mudar o antigo dublador, Michael Ironside; Quando na verdade o jogo é sim uma continuação direta, com direito a personagens e até vilão da antiga trama voltando a fazer uma ponta. Vale deixar claro que o novo dublador de Sam Fisher faz sim um bom trabalho.

O modo singleplayer tem um excelente duração com um ótimo fator replay. Eu mesmo perdi umas 20 horas, até zerar. Refazendo algumas missões, voltando pra completar objetivos secundários ou mudando a dificuldade pra brincar um pouco modo no modo pantera. Uma das 3 formas de se jogor Blacklist; Pantera, Fantasma ou Assalto.
Enquanto pantera você neutraliza seus inimigos letalmente, das sombras. O Fantasma passa sem ser visto e quando necessário noucateia um oponente, sem nunca matar. Já o assalto é coisa de cuzão. Obviamente você escolher como abranger cada missão/situação "on the go", ou seja, em um mesmo level você pode optar por ser Ghost em dado segmento e assult em outro. Mas o jogo recompensa de verdade aqueles que focam em apenas um estilo, através de dinheiro que pode ser usado para comprar novos equipamento ou melhorar sua base de estratégia (Um ♥♥♥♥ de um avião bruto.)
Além do modo singleplayer o jogo tem também, um modo cooperativo com diversas missões. E NÃO PARA POR AÍ MINHA GENTE, ainda temos a volta do modo Spy vs Mercs, que eu garanto: É Fantástico.

Pausa para dica: O DUBLADOR DO ADAM JENSEN ESTÁ NESSE JOGO. SÉRIO. Se isso não te convencer a comprar este jogo agora, pare de jogar videogames.

Tudo isso, faz de Blacklist o maior e certamente um dos melhores jogos não só da franquia, mas do GENERO. Figurando como meu melhor jogo do ano. Sério, compre. É de ♥♥♥♥♥.

EDIT: Vale dizer que o jogo é bem leve e deve rodar bem mesmo nessa sua placa velha que você precisa trocar. Em uma 570 rodou a 60 com tudo no ultra.
Publicada: 11 dezembro 2013
Você achou esta análise útil? Sim Não
12 de 12 pessoas (100%) acharam esta análise útil
119 produtos na conta
5 análises
49.7 hrs registradas
Splinter Cell Blacklist é um jogo o do genero stealth/Ação, com uma hitoria boa na qual recebemos uma missão de imperdir os ataques da Blacklist. No jogo você pode escolher entre três estilos diferentes, Fantasmas: que é passar os níveis sem disparar um alarme e completamente despercebidos, Pantera: ser silencioso e ao mesmo tempo mortal que derrubam e mata os inimigos e Assalto: atirar em tudo "tocar o ♥♥♥♥-se", não ha nenhuma punição em matar inimigos. Essas três opções podem ser alternadas durante o jogo e ao final de cada missão liberam novos itens e também novos objetivos. Agora a dublagem em PT-BR está bem feita a voz dos personagens principais são feitas por dubladores profissionais, ja as dos inimigos que encontramos nas fases não são ruins mas tambem não é boa. A inteligencia artificial está otima, os inimigos procuram por companheiro desaparecidos, pedem reforços para fazer rondas e o tempo de reação varia de com a dificuldade, se você aparece na frente de alguem ele vai levar de 1 a 2 segundos para gritar ou atirar. A jogabilidade está muito boa, andar abaixado, correr, escalar, pular está simpismente ♥♥♥♥. Sem contar que cada personagem te oferece missoes secundarias que variam de hackear informaçoes até impedir trafico de armas alem do modo co-op que pode ser feito em qualquer missão. Por final o Grafico em geral está muito bonito mas os efeitos de luzes que são ótimos e fundamentais no jogo e também para o bom desempenho furtivo.

Recomendado!!!
Publicada: 1 janeiro 2014
Você achou esta análise útil? Sim Não
9 de 10 pessoas (90%) acharam esta análise útil
283 produtos na conta
10 análises
23.0 hrs registradas
Unindo a mecânica mais 'stealth' dos primeiros games da série, com a ação do jogo anterior, Splinter Cell: Blacklist consegue agradar antigos e novos fãs, trazendo boa história, ótima jogabilidade, e várias opções de como agir em campo. E ainda tenta deixar o jogador o mais imerso possível na história, sem a necessidade de menus. É um ótimo retorno da série, e um ótimo caminho a ser seguido nos próximos.

Review completo: http://www.supergameplay.com.br/splinter-cell-blacklist-review-sam-fisher-de-volta-as-origens/
Publicada: 21 dezembro 2013
Você achou esta análise útil? Sim Não