Mitra, yama, qsiti, sovani... These four races exist in one world. A world filled with Remnants — mysterious artifacts from an ancient era. Who created the Remnant? How long ago? And for what purpose? With these questions left unanswered, the Remnants became beneficial tools used for the good of civilization. The world was at peace...
Análises de usuários:
Últimas:
Ligeiramente positivas (18 análises) - 77% das 18 análises de usuários dos últimos 30 dias são positivas.
Todas:
Muito positivas (2,297 análises) - 82% das 2,297 análises de usuários deste jogo são positivas.
Data de lançamento: 9/abr/2009

Inicie a sessão para adicionar este item à sua lista de desejos, segui-lo ou dispensá-lo

Indisponível em Português (Brasil)
Este produto não está disponível no seu idioma. Confira a lista de idiomas oferecidos antes de comprar.

Comprar The Last Remnant™

 

Sobre este jogo

Mitra, yama, qsiti, sovani...
These four races exist in one world.
A world filled with Remnants — mysterious artifacts from an ancient era.
Who created the Remnant? How long ago? And for what purpose?
With these questions left unanswered, the Remnants became beneficial tools used for the good of civilization.
The world was at peace...or so it seemed. Who was to know such darkness lay in wait?
The powers of the Remnants slowly began to change the world's balance.
A rift slowly formed between those who ruled and those who obeyed.
This was the dawning of a new era — an era of countless frays that would be brought upon the world by those enslaved by their own lust for power.
A thousand years later, the journey of one young man begins.
Featuring an enthralling story, countless characters and an intricate battle system, Square Enix brings the RPG experience known as The Last Remnant to the PC.
Discover new strategies in the improved battle system.
  • Blast through your battles with Turbo Mode
    Battles can be played out with twice the speed for faster game progression
  • No more leader units
    Enjoy more freedom when creating unions!
  • A new equipment preview feature
    Use the preview feature to purchase items depending on stats or aesthetics
  • Choose between English or Japanese voice acting
    The voices can be switched between Japanese and English

Requisitos de sistema

    Minimum
    • Operating System: Microsoft® Windows® XP SP2/Vista® SP1 *1 *2
    • Processor: Intel® Core™2 Duo (2GHz) / AMD Athlon™ X2 (2GHz)
    • Memory: 1.5GB RAM
    • Hard Disk Space: 15GB Available HDD Space
    • Video Card: NVIDIA® GeForce® 8600 VRAM 256MB or better *3
    • Sound Card: 100% DirectSound® compatible sound card (DirectX®9.0c or higher)
    • DirectX® Version: DirectX® 9.0c
    Recommended
    • Operating System: Microsoft® Windows Vista® SP1 *1 *2
    • Processor: Intel® Core™2 Duo (2.4GHz or higher) / AMD Athlon™ X2 (2.4GHz or higher)
    • Memory: 2GB RAM
    • Hard Disk Space: 15GB Available HDD Space
    • Video Card: NVIDIA® GeForce® 8800 VRAM 512MB or better *3
    • Sound Card: 100% DirectSound® compatible sound card (DirectX®9.0c or higher)
    • DirectX® Version: DirectX® 10 (OS Default) *4
    • Supports Xbox 360® Controller for Windows®

    • *1 Windows® XP Professional x64 Edition and server-related OS are not supported.

      *2 32-bit/64-bit are supported for Windows Vista®.

      *3 Laptop versions and onboard video are not supported. Video cards that share the same VRAM as the main memory are not supported.

      *4 The version used is DirectX® 9.0c.
Análises de usuários
Sistema de análises de usuários atualizado em setembro de 2016! Saiba mais
Últimas:
Ligeiramente positivas (18 análises)
Todas:
Muito positivas (2,297 análises)
Tipo de análise


Forma de aquisição


Idioma


Exibir como:


(o que é isso?)
102 análises correspondem aos filtros acima ( Muito positivas)
Análises mais úteis  Nos últimos 30 dias
5 de 6 pessoas (83%) acharam esta análise útil
Recomendado
144.6 horas registradas
Publicada: 30 de agosto
145 horas bem gastas!

"The Last Remnant" é uma tentativa de ocidentalizar um pouco o tradicional RPG japonês, mudando o perfil de alguns personagens e focando a ação em longas batalhas por turno.

História

A história pelo, menos no começo, é bem simples e tradicional: o herói da vez é o jovem Rush Sykes, que foi criado em uma ilha remota ao lado de sua irmã Irina, longe das guerras que assolam seu planeta, um lugar de grande variedade étnica e lar de uma antiga e esquecida civilização.
O toque dramático ocorre quando a garota é sequestrada, sem mais nem menos, por bando de monstros controlados por uma figura sinistra. Rush, como qualquer outro jovem e inexperiente protagonista de RPGs, resolve ir atrás da irmã sozinho, descobrindo aos poucos os motivos por trás do rapto: um incrível poder latente que tanto ele quanto ela possuem. Também seguindo convenções clássicas do gênero, o mocinho vai encontrando coadjuvantes importantes ao longo de sua jornada, que se unem à sua causa.

Jogabilidade

Logo nos instantes iniciais, conseguimos ver alguma inovação no já manjado sistema de combate por turnos. Em vez de lutar contra os vários monstros - que são visíveis no mapa e não gerados em combates aleatórios - utilizando somente os personagens de destaque, há um esquema de subgrupos, chamados "unions". Você pode ser auxiliado por até cinco "unions" formadas por até cinco guerreiros cada, mas você dá ordens somente para os times e não para cada personagem individualmente. Este esquema visa utilizar muitos personagens em combate de forma mais rápida, mas dando proporções maiores até mesmo em duelos contra as criaturas mais insignificantes.
O sistema de batalha é bem complexo, e leva-se tempo para entendê-lo totalmente. Tentarei explicar alguma coisa:

O sistema de batalhas é meio diferente dos RPGs e JRPGs tradicionais, porque você não controla diretamente quais ataques e defesas usar na luta. O sistema do jogo trata basicamente como se toda o seu bando (as suas "unions") fosse um só. Então não espere poder controlar cada ação de cada personagem individualmente no meio da batalha. Neste game você tem que se preocupar mais com a sua posição na batalha, e de pressionar o inimigo para ter ataques efetivos. Ou seja, você tem que sempre bolar umas estratégias para cada inimigo, porque 90% deles vem em bando (você também tem o seu), e nisso você tem que saber se alocar bem na batalha pra não acabar em uma cilada ou cercado.

Há também uma barra de "moral". Essa barra determina quem está mais "ativo" na batalha, se é o seu grupo, ou o grupo do inimigo. Se você atacar mais e fizer boas emboscadas, flaqueando o inimigo, a sua barra de moral sobe, tornando a sua defesa mais eficaz e seus ataques com mais chances de acerto e um pouco mais poderosos também. Porém, se o inimigo começar a te pressionar demais, a sua barra de moral começa a diminuir, e tudo isso que eu falei em cima tem o efeito inverso para seu "bando".

Cada "union" tem o seu líder. E montar as estratégias de suas "unions" é, na minha opinião, uma das partes mais legais do jogo. É estratégia pura! Para se ter boas habilidades disponíveis na hora da batalha (lugar no qual não se pode escolher mais quem entra no seu time), recomenda-se que cada "Union" não misture muitas pessoas com habilidades diferentes... Então, é bom ter uma union de pessoas que usam melhor "Combat Arts" e outro que usa melhor "Mistical Arts", por exemplo, pois assim você irá maximizar o efeito de cada tipo de golpe na batalha, e poderá ter um certo controle sobre que tipo de ataque usar. Mas existem muitas estratégias possíveis...

Porém, uma crítica também pode ser feita aqui, já que as instruções por grupo acabam simplificando muitos aspectos e tornando outros simplesmente disfuncionais. Você não consegue, por exemplo, curar uma unidade específica ou trocar seu equipamento sem a interferência da inteligência artificial. A câmera tenta criar um aspecto mais cinematográfico às lutas, usando de ângulos diferenciados e cortes rápidos, que podem desagradar a alguns (não a mim).
Tal sistema de combate é essencial para o jogo. Por isso, caso alguém não o curta logo de cara, é melhor abandoná-lo e tentar outro título. "The Last Remnant" é claramente voltado para combates, com alguns que podem durar cerca de uma hora.

Gráficos

Me impressionei com gráficos bonitos, não esperados para um jogo lançado em 2009. A direcção de arte de "The Last Remnant" realmente caprichou. Desde grandes cidades cobertas de pessoas coloridas das mais variadas espécies até a grutas com enormes rios de lava, passando por desertos escaldantes, todos recheados com criaturas de todo o tipo de formas com algumas a atingir tamanhos titânicos.
O Frame rate, em geral, corre bem, o que torna mais fácil apreciar a grande magnitude do cenário e das fantásticas batalhas. Porém há um sério atraso do carregamento das texturas, um claro sinal do uso do Unreal 3 Engine. Conta-se ainda com um ocasional ecrã tremido, e o fato de o jogo não incluir uma opção V-sync (ou Sincronização vertical) significa que terão de ajustar as definições no software da vossa placa gráfica. Nada tão perturbante assim, pois as animações das batalhas são geralmente boas.

Bom, acho que os destaques são estes. O jogo é longo, assim como deveria ser todo bom RPG. Curti muito as minhas 145 horas de gameplay e não me arrependo. Seguem minhas notas gerais:

Gráficos 8/10
Jogabilidade 9/10 (fica legal quando você começa a entender o sistema de batalha, mas tem que ter um pouco de paciência. Porém, ou você ama, ou você odeia.)
Som 7.5/10 (repetitivo nas batalhas)
Historia 8,5/10 (Possui um ótimo enredo, que faça os jogadores ficarem ligados na história, embora possa parecer um pouco entendiante em um ou outro momento. Gostei do final.)
Diversão 8.5 (Isso varia muito do gosto da pessoa, mas se for fã de JRPG, é um uma boa pedida)
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Análises mais úteis  No geral
45 de 50 pessoas (90%) acharam esta análise útil
7 pessoas acharam esta análise engraçada
Recomendado
58.1 horas registradas
Publicada: 12 de junho de 2015
Primeiro a dizer é que esse é o JRPG mais unrrated da gen passado, e um dos mais de sempre, o preço atual dele (11 reais) não é compatível com as qualidades dele, enquanto isso ta cheio de lixos automáticos com 6 horas de duração que beiram os 100... e ele também tem a melhor luta final

O jogo tem uma cara bem japoronga a princípio, mas apesar de vr umas cenas com a gritaria pra IRINAAAAAAAAAAA, não tem poder da amizade, não tiram novos amigos do cu, não tem uma frase batida sendo repetida 200 vezes e não tem cenas vergonha alheia de alguma lolli kawaii random, os personagens são sempre bem focados nos objetivos e não perdem tempo brincando de minigame enquanto o mundo ta em risco

Um ponto favorável é que ele parece sucessor espiritual do FFXII, a arte lembra demais ele, assim como a estrutura das cidades e sistema de sidequests, esse pegou tudo o que tinha de bom e jogou as partes ruins no lixo... cada cidade tem a guilda com alguns objetivos pra cumprir, como conseguir tantos itens ou ter o time com x força, e pras quests não precisa ler um painel em um lugar pra ter que encontrar o solicitante em outro que te manda pra um terceiro local completamente diferente, assim que conversa e aceita, já é enviado pra dungeon, simples e sem frescura ou perda de tempo... até mesmo pra ir entre cidades, basta apertar o select e escolher onde ir, nada de ficar andando como barata tonta

Falar em simplicidade, o jogo é extremamente complexo e difícil, mas por exigir estratégia, não por te limitar o uso de um determinado item ou por fazer andar 2 horas até achar um save point, até porque os personagens se curam 100% após cada luta e o save é livre no menu a qualquer momento (além de contar com um automático), deixando o desafio puramente nas lutas, que é o que importa

As batalhas não são de 3~4 personagens como é comum ver em outros jogos do estilo, mas com unidades que podem comportar até 5 ao mesmo tempo, e o conjunto de qualidades delas definem o HP, mas não deixando de lado as particularidades e afinidades com força e magia... e o menu não é o tradicional "attack", "magic", "itens", e sim algo variável que muda constantemente de acordo com a situação e posicionamento... então se alguém ta morrendo ou em estado crítico tem algo do tipo "heal them", ou se alguém ta envenenado/mudo "deal with their status ailments", se ta em vantagem tem opção de ir com tudo, finalizar, soltar algum limit, vez ou outra summonar um alidado, é um sistema de turnos extremamente diferenciado e dinâmico

Ele peca por ficar tocando músicas de forma aleatória nas batalhas, quiseram variar pra não ficar cansativo, já que elas são longas, mas é meio wtf quando do nada troca de música... e as cenas gravadas são mais feias que as cenas rodando ingame

Aproveitem a sale e comprem já, esse é obrigaório, fui um imbecil em esperar tanto por temer a dificuldade... ela é desbalanceada sim, mas não completamente injusta ou impossível
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
18 de 18 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
123.9 horas registradas
Publicada: 29 de dezembro de 2015
Ame-o ou odeio-o. The Last Remnant é um RPG tático em turnos que não é voltado para o publico casual. Sua mecânica de batalha é extremamente complexa, o que leva tempo para compreendê-la, e possui uma série de regras que, se não respeitadas, tornaram tudo mais difícil (portanto preste atenção no tutorial do início - é necessário ter noção de inglês). Considerei a história fraca e clichê. A trilha sonora é boa, mas não memorável. O jogo roda bem em computadores de baixo desempenho e há boas opções de configuração tanto teclado/mouse quanto joystick. O recomendo por ter proporcionado boas (e complexas) horas de gameplay, mas é puro gosto pessoal. Sugiro que jogue primeiro a demo e, caso goste, compre o jogo.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
27 de 36 pessoas (75%) acharam esta análise útil
Recomendado
15.8 horas registradas
Publicada: 2 de abril de 2014
Épico!!! Sempre Curti o Estilo Dos Final Fantasy Mais Antigo Mais Nunca Tive a Oportunidade De Jogar Os Lendarios 7 e 8 Na Epoca Do Play 1 Então Quando Fui Jogar Tempos Depois Os Graficos Eram Totalmente Ultrapassados e Isso Me Desanimou Muito Sempre Esperei Que Os Mais Recentes Final Fantasy Como o 13 Viessem Para o PC Mais Nada Até Que Achei Esse Jogo Feito Pela Square Comprei Bem Barato Achando Que Seria Mais Um RPG Genérico e Me Surpreendi Ele Me Lembra Muito a Série Final Fantasy e Com Graficos Muito Bonitos Ou Seja Tudo Aquilo Que Eu Queria o Preço Dele Não Esta Tão Alto Então Se Vc é Fã Do Genero JRPG Peço Que De Uma Chance Ao Jogo!!!
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
25 de 37 pessoas (68%) acharam esta análise útil
Não recomendado
45.6 horas registradas
Publicada: 2 de maio de 2014
The Last Remnant é um jogo interessante no seu conceito, as batalhas são bem diferentes do que estamos acostumados nos jogos de RPG. Você controla até 5 grupos de 18 NPCs, muitas das magias e golpes são únicas de cada NPC e a decisão de usá-las não é de sua responsabilidade, elas acontecem de acordo com a moral dos NPCs na batalha, inclusive os equipamentos a serem utilizados são decididos pelos NPCs, com excessão do NPC principal, o RUSH. Você pode escolher a formação de cada grupo de NPCs e cada formação tem sua vantagem sobre raças e tipos de monstros.

Pontos positivos:
- Batalhas interessantes
- História bem escrita
- Gráficos bons, não é tão colorido e isso me agrada
- Bastante variação de posição de batalha

Pontos negativos:
- Depois de muito tempo de jogo as batalhas ficam sacais
- Você decide pouco sobre o andamento da batalha
- As formações e movimentações são confusas
- Falta explicação sobre ítens, status e golpes
- O AI é bem fraco
- O BOSS final é muito fraco, não condizendo com a história
- Perde-se muito tempo jogando mais de uma vez as fases
- Vários NPCs mercenários não são utilizados

Depois de jogar até o final, infelizmente tenho mais impressões negativas do que positivas. Fiquei surpreso quando o jogo acabou.
Apesar de eu não recomendar o jogo, eu acho interessante os que gostam de RPG darem uma olhada, principalmente para estudarem as novidades que o jogo traz. Recomendo, antes, dar uma bela pesquisada na internet e ver alguns vídeos.

Se optar por jogá-lo, recomendo jogar com controle, fica bem mais interessante.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
8 de 8 pessoas (100%) acharam esta análise útil
1 pessoa achou esta análise engraçada
Recomendado
157.4 horas registradas
Publicada: 28 de fevereiro de 2015
Excelente jogo para quem gosta de um bom JRPG. Batalhas em turnos com muitos personagens.
A maioria das skills todos os personagens tem, porém algums são exclusivas de certos personagens.
A história principal é curta e pouco elaborada, mas as side quests são muito boas e explicam melhor a história do jogo.
Os gráficos são bonitos e tem uma boa variedade de inimigos.
Para quem curte RPG vale a pena, além disso o jogo é bem longo (fazendo as sidequests) e tem um new game+
Recomendo, nota 9.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
9 de 10 pessoas (90%) acharam esta análise útil
Recomendado
4.7 horas registradas
Publicada: 22 de dezembro de 2013
Só gostaria que houvesse + desses para PC.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
9 de 12 pessoas (75%) acharam esta análise útil
Recomendado
641.6 horas registradas
Publicada: 27 de outubro de 2014
Sistema de batalhas muito bom, história razoável e possibilidades infinitas.

Excelente jogo.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
5 de 5 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
0.4 horas registradas
Publicada: 27 de maio
Um dos RPGs mais "underrated" de todos os tempos. Quem tiver sem um bom rpg pra jogar dê uma chance a esse game. Sistema de batalha inteligente, personagens carismáticos, uma história que de início parece meio clichê mas se torna um pouco complexa ao longo do jogo, gráficos bacanas, mesmo pros dias de hoje (o game sofre um pouco de "delay de render" mas nada que estrague o gameplay).
Uma coisa legal que na minha opnião vale a pena comentar é da possibilidade de poder escolher o áudio do jogo entre inglês/japonês.
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
4 de 4 pessoas (100%) acharam esta análise útil
Recomendado
34.6 horas registradas
Publicada: 21 de dezembro de 2013
Bom RPG, estilo japones das antigas, para quem procura um pouco de nostalgia e uma excelente historia para se acompanhar, muitas quests e um bom nivel de desafio !
Você achou esta análise útil? Sim Não Engraçada
Últimas análises
ieltonluna
69.3 h
Publicada: 11 de setembro
muito bom o jogo, não tinha jogado rpg com esse sistema de grupo. Foi estranho no começo para pega a manha do jogo mais depois q a pessoa se acostuma torna-se muito legal.
Potato-dono
80.7 h
Publicada: 26 de agosto
Se eu pudesse recomendar esse jogo mais do que uma vez, ainda seria pouco. O jogo inicia assim:
O jogo abre com Rush atravessando uma floresta, tentando encontrar sua irmã Irina, que mais tarde é sequestrada. Ele se depara com um exército liderado por David Nassau batalhando contra um exército de monstros, e na conclusão da batalha, Rush corre para a linha de frente pensando erroneamente ter visto sua irmã no meio da multidão. Depois de gerar um poderoso escudo com seu pingente Remnant (sem saber como), ele é interrogado por David e os seus generais, que decidem ajudá-lo a encontrar Irina.
A partir dai, temos um rpg strategy por turnos com barra de moral e batalha dividida entre magia, combate, heal e buff. A veia da square está estampada nos traços,no enredo e nas referencias de FF que predominam o cenario. O vilão é ótimo, suas aparições as vezes cansativa, já que o que tentou no final teve muitas oportunidades de fazer durante a jornada, mas isso não diminui seu brilho. O JOGO, É MARAVILHOSO. Square, eu te amo!
diegosaraiva99
63.7 h
Publicada: 21 de agosto
Excelente jogo. Vale cada centavo.
ConanTnT
28.0 h
Publicada: 16 de julho
Grande jogo.
gustavo1net
3.7 h
Publicada: 3 de julho
Nao gostei do game e falta opçoes para o PC, a falta de um v-sync incomoda bastante...
Doutor Treta
17.8 h
Publicada: 4 de maio
Um ótimo RPG mas...

O sistema de batalhas não agradou a maioria, nele você comanda os Chars em grupo e não individualmente, as características individuais e formação do "esquadrão interferem diretamente no grupo, então uma troca de integrante, de formação ou upgrade de arma faz TODA diferença, e até descobrir o que esta errado na sua party/tropa (principalmente aqueles que não falam inglês) muita gente passa raiva, mesmo quem pra quem fala o jogo é complicado e isso rendeu notas baixas pra eles, mas a história é boa, os cenário são lindos, as músicas são tão boas que foram plagiadas por outro jogo que não vou falar o nome (cof.. cof... " Legend Online") e os gráficos estão de acordo com a época que ele foi lançado

É um dos meus RPG's favoritos apesar de tudo, recomendo no geral dá 7/10
christmas armadillo
32.1 h
Publicada: 16 de abril
O jogo é muito bom, eu achei ele otimo em todos os aspectos,e realmente recomendo, o unico problema pra mim é a extrema dificuldade. Normalmente esse não é um problema, já que varios jogos são dificeis, mas nesse jogo a dificuldade chega a ser injusta, fazendo você depender só da sorte pra passar de um boss. mas tirando isso, o jogo é 10/10
Advatre
59.7 h
Publicada: 25 de março
Irina! Irina!! Irina!!!11 Simulator.

Excelente game, ótima história, as possibilidades de estratégia são gigantescas, depois de um certo level o jogo fica bem difícil, o que pode ser bom ou ruim, dependendo de como você leva o desafio.

Tive uma péssima experiência com controle genérico e teclado + mouse, ou seja, controle de xbox lhe traz uma melhor experiência.
Mal otimizado ( não sei se é problema da AMD ), mesmo tendo configurações muito melhores que o recomendado ainda assim não consegui manter em 60FPS full HD, e os drops de frames são constantes.
RPG por turno = Ahhhh que delícia, era isso que eu queria cara!!1

Ou você ama, ou você odeia, simples assim.