Experience an exciting single player storyline where you thwart Loki and his minions from bringing Ragnarok to Midgard.
Data de lançamento: 18/nov/2001
Assistir a todos os 2 trailers

Comprar Rune Classic

$9.99

Análises

“If there was ever a civilization screaming for a game, it's the Vikings.”
8/10 – IGN

“...fun is really the best way to describe Rune.”
"A-" – Game Revolution

“A nice title that offers at least 20 hours of solid game-play.”
8.9/10 – Gamershell.com

Sobre o jogo

The classic Viking third-person hack-and-slash melee action game is now available on Steam. This release, known as Rune Classic, contains the original Rune content, plus the multiplayer expansion pack Halls of Valhalla. Experience an exciting single player storyline where you thwart Loki and his minions from bringing Ragnarok to Midgard that will keep you entertained for hours. Eat meat and lizards, drink mead, as survival food. Call upon the power of the gods to enchant your weapon with Rune powers.

Key Features

  • New enemies added
  • Some levels have been redesigned for more enjoyable play
  • Experience multiplayer in vicious, fun "up close and personal" melee action with swords, maces, hammers and axes (or your opponent's head or arm)
  • Includes Deathmatch, Team Deathmatch, Arena and Headball
  • Over 35 multiplayer and singleplayer levels
  • All the music tracks from the game and the original audio CD will be available as part of this release in OGG format

Requisitos de sistema

    Minimum:

    • OS: Windows XP
    • Processor: 1 GHz
    • Memory: 512 MB RAM
    • Graphics: DirectX 7.0 capable card
    • DirectX®: 7.0
    • Hard Drive: 1 GB HD space

    Recommended:

    • OS: Windows Vista
    • Processor: 2 GHz
    • Memory: 512 MB RAM
    • Graphics: DirectX 7.0 capable card
    • Hard Drive: 1 GB HD space
    • Other Requirements: Broadband Internet connection
Análises úteis de usuários
1 de 1 pessoas (100%) acharam esta análise útil
8.0 hrs registradas
Sobre
Rune retrata muito bem a mitologia nórdica e leva o jogador a locais inimagináveis, cenários de sonho e a aventuras de cortar a respiração. Transportando o jogador a idade medieval, onde os Vikings eram os conquistadores, Rune combina na perfeição o combate corpo a corpo e exploração com uma história fantástica, recriando na perfeição um período da história caracterizado pela conquista do poder. Com efeitos especiais de grande qualidade e um balanço perfeito entre armas e guerreiros, possibilidade de jogo em modo jogador único, Multijogador, Deathmatch entre outros, 15 armas variadas desde martelos a toda a variedade de espadas, inimigos diversos, evoluído sistema de combate corpo a corpo onde o jogador pode aproveitar as armas de seus inimigos, inventário simples e muito dinâmico.

Introdução
Prepare-se, de agora em diante seu nome é Ragnar, um jovem viking e majestoso guerreiro de uma era distante. Numa terra onde a justiça fala pela espada. Com uma perigosa missão. Loki, a ovelha negras dos Deuses, estava abusando de seus poderes em todos os nove mundos, até que um dia ele chegou longe de mais fazendo com que Hodr, o filho cego de Odin matasse seu próprio irmão Balder com uma flecha feita de um ramo de visco, que por sua vez fora enganado por Loki. Odin, o maior dos deuses juntamente com seu filho Thor, deus do trovão, decidiram prende-lo com correntes a centenas de quilômetros abaixo da superfície da terra, e ao redor dele foi colocada uma cobra gigantesca com um veneno ácido extremamente mortal, a tortura é imensa, o veneno corria pelo corpo de Loki corroendo seus órgãos até chegar à coluna vertebral, mas devido ser um deus, ele também é imortal, e seus poderes agiam de forma a curar lentamente os estragos feitos pelo veneno da cobra. A cobra era infalível, como também eram os poderes de cura de Loki. A agonia era imensa e interminável. Devido Thor ter acorrentado Loki, Odin proclamou que Loki permaneceria lá, com a imensa dor do veneno da cobra até o dia que em que o Ragnarök chegasse e começasse a maior de todas as batalhas já feitas, envolvendo deuses, (Aesires e Vanires, liderado por Odin), os Jotuns (gigantes de fogo, entre outros monstros, liderados por Loki), homens e todos os seres vivos, mudando o destino de tudo que virá a existir, e só então Loki seria libertado. Naquela batalha entre deuses e monstros, foi assumido que Loki teria uma missão que lhe foi imposta, mas Loki era a ovelha negra lembram? Bom, Loki mudou um pouco os planos... Bom agora cabe há você de impedir as forças sombrias de Loki e adiantar o temível ragnarök que levará ao fim do Mundo.

Jogabilidade
No estilo (ação em 3ª pessoa, com a mesma visão de Tommy Vercetti no consagrado Grand Theft Auto: Vice City, mas com inúmeras qualidades a mais, começando pelo número de armas e acessórios, o jogador terá o controle de uma simples espada a poderosos machados e martelos gigantes, cada qual com sua característica, sendo que com certa espada, por exemplo, será mais fácil de matar certo tipo de inimigo e assim sucessivamente com todas as outras armas. Também há a possibilidade "encantar" sua arma com Runas, que estão espalhados por todas as fases do jogo, ou seja, quando estiver muito pressionado, com um grande número de inimigos, e se estiver com barra de Runas com certa quantia cheia, é só usar, deixando sua espada cheia de fogo tornando muito mais mortífera ou pegando um super machado que estraçalha seus inimigos com apenas um ataque, além de muitos outros poderes, pois cada arma possui um poder diferente. Outro sistema muito bem feito é o Berserk, pois seu personagem entra em estado de frenesi, nesse estado é possível deixar em pedaços seus inimigos com apenas um ataque, você pode entrar em Frenesi por duas formas, usando uma runa ou cortando as cabeças de seus inimigos, aos dissépalos irá aumentar uma barra de "raiva", pois quando essa barra chegar ao máximo você entra em Frenesi, seus olhos ficam vermelhos, sua respiração fica acelerada, e sua voz muda, seus ataques mais ferozes. Os detalhes da jogabilidade são incríveis, muito bem estudados, como as partes onde o personagem precisa subir por cordas ou cipós, fazendo os movimentos perfeitos do corpo, ou quando ele precisa pular sobre elásticos para subir em lugares mais altos, fazendo dele um jogo sem igual. Mas não pense que é só ir matando tudo o que passa pela frente, por que apenas isso não adiantará, muitas fases requerem um grande raciocínio do jogador para seguir adiante, um exemplo é o labirinto de Loki, onde uma vez que você errar o caminho você volta ao inicio, as lendárias construções dos anões onde haverá muitos desafios e sem falar nas inúmeras cavernas aquáticas cheias de túneis e um mortífero Leviatã te perseguindo, esses são apenas um dos problemas que o jogador encontrará.

Gráficos
Rune conseguiu consagrar sua época em que foi lançado, e mostrou que a engine do Unreal Tournament é uma das melhores já criadas, mas tudo muito mesmo esta realista, desde o jeito de mover-se, atacar e usar Runas, Rune suporta altas resoluções desde que sua placa tenha essas opções API's, Direct 3D, Glide, OpenGL, MeTal, e como se não fosse o bastante ele não fica carregado de mais rodando em altas resoluções e com tudo ativado. Os personagens estão bem trabalhados como podem ver nas screenshots, dando um ótimo realismo ao jogo. Mas infelizmente ao mudar a visão do jogador para a 1º pessoa você percebe que os detalhes gráficos de seus inimigos não estão tão bons assim, comparado aos jogos da atualidade. Suas armas também ganharam cuidados especiais, parecendo reais, como por exemplo, apos uma sangrenta batalha sua roupa e armas ficarão completamente banhadas de sangue, mas se você é daquele tipo de pessoa que não suporta ver sangue não se preocupe, pois e só você ir ao rio mais próximo e se molhar, pois o sangue de sua roupa e suas armas irmão embora junto com a correnteza. Você ainda pode "brincar" com os pedaços do corpo de seus inimigos, como uma perna, braço ou ate mesmo a cabeça deles, você pode arremessar ou usar como arma. Outra coisa muito interessante é o modo em que você mata seus inimigos, pois alguns só morrem se você dissépalos, outros somente se você cortar suas garras, e claro, ao lutar contra algum inimigo do tipo humano, há uma chance de você arranca o braço dele fora, fazendo-o fugir de você e espalhando sangue por toda parte.

Áudio
A parte de áudio esta excelente, principalmente quando o Ragnar esta em combate, ele rosna como se estivesse muito furioso e gastando energia nos golpes. Ouvir o som dos escudos se quebrando, o brandir das espadas e os gritos de sofrimento e dor que seus inimigos fazem ao serem mortos só contribui ainda mais para o envolvimento do jogador ao fantástico mundo viking. As músicas também estão muito boas, dando ainda mais emoção e empolgação ao jogador. As vozes dos dubladores estão impecáveis principalmente a sombria voz de Loki e sua risada extremamente maligna.

MultiPlayer
O Multiplayer dele é muito bom, mas se jogado por várias pessoas, o motivo é que no Rune as armas não são de tiro, e ai os combates se limitam mais no corpo a corpo, ou seja, pancadaria um na frente do outro, até tem opção de jogar as armas, mas nada como uma sniper.

Conclusão
Rune é um dos melhores jogos que eu já joguei, de repente não para quem é fanático por multiplayer, mas para quem gosta de single player e de cumprir os objetivos do jogo até o final, vai vidrar no Rune, pois o jogo é muito extenso e garante horas e horas de muita ação e adrenalina, a parte gráfica mesmo é inacreditável, até melhor que alguns jogos da atualidade, pois rune foi feito em 2000 e este release (Rune Classic) só aperfeiçoou o jogo.
Concluindo, RUNE e daqueles jogos que não saem da cabeça, jogue e fique viciado!
Publicada: 26 de junho
Você achou esta análise útil? Sim Não
19 de 21 pessoas (90%) acharam esta análise útil
16.6 hrs registradas
This game came out in 2001 around the same time i was in 1st grade. I remember it being the Greatest game as a kid, id come home everyday and play it and even have lan partys for it from time to time. But enough about me.The game has a great story line/Campaign and super fun 3rd person Multiplayer slasher with Tdm modes etc. much like Quake. The maps are sweet to there's so many of them and you can MOD the ♥♥♥♥ out of them. So go play it 10/10

ps. if you eat a snake it re-fills your health !
Publicada: 24 de agosto
Você achou esta análise útil? Sim Não
15 de 18 pessoas (83%) acharam esta análise útil
10.4 hrs registradas
Chug Mead
Eat Lizards
Hail Odin
Publicada: 8 de julho
Você achou esta análise útil? Sim Não
11 de 11 pessoas (100%) acharam esta análise útil
15.9 hrs registradas
As I kick off my slightly longer, more detailed reviews on some of my Steam games, it's only appropriate that I start with a game that was part of my youth.

Rune is, surprisingly enough, one of the few games focusing on Norse mythology that made it into history. Not many good and consistent ones out there, and this one brings its own identity in terms of gameplay, aesthetics, and character development. It creates its own accounting of Norse cultural and religious topoi in fiction, and that does more good than harm as the storyline goes. You play as Ragnar, a young man whose responsibilities escalate with the killing of his kinsfolk and the dooming of his birthplace, Wotankeld. Simple name for a protagonist, simple purpose for his endeavour. Vengeance couldn't be more bitter and more expected.

But that's where things get sharp in Rune. You're introduced to fluent combat mechanics, advanced graphics for the time (the first Unreal Engine was just starting its brilliant run), and the grandeur of the game's environmental variety. This is a videogame epic tale, with all its classic characteristics, as the protagonist rises through the image of the savior and avenger of his clan and descends into the dark realms of Helgrind, imprisoned, assuming the figure of bare life and shamanistic sacrifice - true to the Norse notion of the Cosmogonic death in order to attain the knowledge of the Runes; Wotan speared onto Yggdrasil -, to then rise again as the ultimate Berserk who transcends revenge and defies material existence. Ragnar is ready to put it on the line at every moment. And that motif is auxiliary to the development of the game's combat system, a hack-n'-slash which is as smooth as it gets, and a map configuration that challenges the player's reasoning as well as it puts them under the pressure of claustrophobia and constant darkness.

This is an atmospheric game, and a grim one as it is. The double ending is up to you, and that's a bonus coming from an action game with tacit storytelling elements. Rune scores high in both single-player and multiplayer - which is still active, and resembles heavily the fun and flow of the Unreal deathmatches -, and the variety of weapons, as well as the distinct styles and contrast in movement swiftness that each one of them brings up, enrich the game even further.

A must-have for hack-n'-slash fans, as well as fans of games that dialogue with the epic genre.
Publicada: 8 de abril
Você achou esta análise útil? Sim Não
9 de 10 pessoas (90%) acharam esta análise útil
2.8 hrs registradas
Great Hack & Slash using the old Unreal engine, more players = more fun
Publicada: 21 de junho
Você achou esta análise útil? Sim Não