Inicie a sessão para adicionar este jogo à sua lista de desejos ou dispensá-lo

Comprar The Witcher: Enhanced Edition Director's Cut

Pacotes que incluem este jogo

Comprar The Witcher Trilogy Pack na pré-venda

Inclui 3 itens: The Witcher: Enhanced Edition Director's Cut, The Witcher 2: Assassins of Kings Enhanced Edition, The Witcher® 3: Wild Hunt

 

Sobre este jogo

NO GOOD AND NO EVIL - ONLY CHOICES AND CONSEQUENCES

Become The Witcher, Geralt of Rivia, a legendary monster slayer caught in a web of intrigue woven by forces vying for control of the world. Make difficult decisions and live with the consequences in an game that will immerse you in an extraordinary tale like no other. Representing the pinnacle of storytelling in role-playing games, The Witcher shatters the line between good and evil in a world where moral ambiguity reigns. The Witcher emphasizes story and character development in a vibrant world while incorporating tactically-deep real-time combat like no game before it.

ABOUT THE WITCHER: ENHANCED EDITION

The RPG of the Year (PC Gamer, GameSpy, IGN) is back in a Premium Edition packed with powerful extras!
The Witcher: Enhanced Edition takes all of the acclaimed gameplay that garnered the original game more than 90 awards, and perfects it with a number of gameplay and technical improvements.

  • Superior dialogue and cutscenes - The developers have re-recorded and rewritten more than 5000 lines of dialogue in English and redone the entire German edition to create more a more consistent experience, while adding more than 200 gesture animations to make characters behave more believably in dialogue and cutscenes.
  • Enhanced inventory - The new inventory system makes item use and organization less complicated by introducing a separate sack for any alchemical ingredients, as well as a simple sort-and-stack function.
  • Technical improvements - The enhancements made to the technical side of the game are too numerous to list, but a few of the highlights include greatly reduced loading times, greater stability, improved combat responsiveness, faster inventory loading, the option to turn autosave on or off, and more.
  • Character differentiation system - To add more variety to NPC and monster appearances, we've added a new character differentiation system that randomizes the appearance and colors of dozens of in-game models.
  • In your download you'll also get: Interactive Comic Book, D'jinni Adventure Editor, Two new adventures offering 5+ hours of gameplay, Official Soundtrack, Music Inspired by The Witcher album, Making-of videos, Official Game Guide, Two Maps of The Witcher's world
Key features:
  • Geralt of Rivia: a one-of-a-kind protagonist
    • A charismatic and unique character, Geralt is a mutant swordmaster and professional monster slayer.
    • Choose from over 250 special abilities correlated to attributes, combat skills and magical powers to build the character in a way best suited to tactical needs and style of play.
  • Original fantasy world drawn from literature
    • Inspired by the writings of renowned Polish author Andrzej Sapkowski.
    • Featuring adult themes, less fairy-tale than typical fantasy, with mature social issues like racism, political intrigue and genocide.
    • It is a harsh world where nothing is black or white, right or wrong, often forcing players to choose between the lesser of two evils to advance.
  • Non-linear and captivating storyline
    • Full of turns, twists and ambiguous moral decisions which have real impact on the storyline.
    • All quests can be accomplished in several ways and the game has three different endings depending on the player's actions and choices throughout the adventure.
  • Stunning tactical action
    • Engage in complex yet intuitive real-time combat based on real medieval sword-fighting techniques.
    • Motion capture performed by medieval fighting experts at Frankfurt's renowned Metric Minds studio, resulting in 600 spectacular and authentic in-game combat animations.
    • Six combat styles, dozens of potions, complex alchemy system, modifiable weapons and powerful magic add tactical depth to the fluid real-time experience.

Requisitos de sistema

PC
Mac
    Minimum:
    • Supported OS: Microsoft® Windows® /XP/Vista
    • DirectX Version: DirectX 9.0c (included) or higher
    • Processor: Intel Pentium 4 2.4 GHz or Athlon 64 +2800 (Intel Pentium 4 3.0 GHz or AMD Athlon 64 +3000 recommended). Athlon XP series, such as the Athlon XP +2400, is not supported
    • Graphics: NVIDIA GeForce 6600 or ATI Radeon 9800 or better (NVIDIA GeForce 7800 GTX or ATI Radeon X1950 XT or better recommended)
    • Memory: 1 GB RAM (2 GB RAM recommended)
    • Sound: DirectX version 9.0c-compatible sound card
    • Hard Drive: 15 GB Free
    Minimum:
    • OS: OS X version 10.6.8 or later.
    • Processor: Intel Core 2 Duo (any)
    • Memory: 2GB RAM
    • Graphics: Graphics card nVidia GeForce 320M (or better), AMD Radeon HD 6750M (or better) or Intel HD Graphics 3000
    • Hard Drive: 10.5 GB free space on HDD
    Recommended:
    • OS: OS X version 10.6.8 or later.
    • Processor: Intel Core i5 or Core i7 (any)
    • Memory: 4GB RAM
    • Graphics: Graphics card with at least 512 MB VRAM
    • Hard Drive: 10.5 GB free space on HDD
Análises úteis de usuários
64 de 66 pessoas (97%) acharam esta análise útil
49.4 hrs registradas
É difícil a gente escrever sobre um game antigo. Principalmente quando o game foi, e ainda é, aclamado como um dos melhores RPGs de todos os tempos. Apesar de ser visivelmente datado, The Witcher é game que foi minuciosamente desenvolvido para que dure além de sua época. Te garanto, você não estará jogando Watch_Dogs daqui 7 anos...

Então, incumbido dessa responsabilidade, preciso antes fazer um paralelo justo. Não podemos comparar The Witcher, por exemplo, com Dragon's Age, lançado em 2009 ou com Skyrim, de 2011. Na mesma época de lançamento de Witcher a gente estava jogando já fazia 1 ano o Elder Scrolls Oblivion, lançado em 2006. Ainda assim, The Witcher teve que brigar com grandes lançamentos de 2007, como os primeiros capítulos de Assassin's Creed, Portal e Bioshock, sem falar no lançamento do blockbuster Call of Duty: Modern Warfare.

Ok, agora que estamos todos contextualizados, podemos começar a falar do game.

The Witcher é um RPG com todos os elementos e mecânicas clássicas que se espera de um game do gênero. O jogo é baseado na série de livros do escritor polonês Andrzej Sapkowski e conta a história de Geralt of Rivia, um caçador de monstros e um dos últimos remanescentes da classe de Witchers.

Pode parecer besteira citar que o game é baseado numa série de livros, mas o escritor Andrzej Sapkowski fez um belíssimo trabalho em criar toda uma ambientação que dá muita credibilidade ao conceito do game. Já que o jogo foi feito em parceria com o escritor e também com sua consultoria, é possível perceber que todos os elementos possuem descrições detalhadas que fazem sentido e que se conectam entre si. Todos os monstros possuem uma história, pontos fortes e fracos. As poções dão atributos relacionados a cada um dos ingredientes com qual foram feitas. As raças, as províncias e seus relacionamentos são baseados em centenas de anos de história. Ou seja, não é um game com uma história simplória a la Assasssin's Creed. Não pegaram um escritor de obituários pra fazer a história do game baseada numa mecânica "legal". The Witcher vem de uma série escrita com seriedade que vem agradando seu público desde 1992.

O que mais me impressionou em The Witcher foi a possibilidade gigantesca de decisões que você pode tomar durante o desenrolar de sua campanha. Mas olha, não é aquela decisão do tipo, "mata ou não mata", "sigo a trilha da direita ou da esquerda". Muitas de suas decisões são sutis e menos diretas. Responder uma pergunta de forma mais elegante ou mais ríspida pode mudar o fluxo da história. E se você tá pensando em salvar pra ver o que vai acontecer e depois voltar e tomar a melhor decisão, meu caro, pode ir tirando o cavalinho da chuva. Algumas decisões só trarão resultados depois de muitas horas de gameplay. Ah, e o mais legal, acabei de descobrir que algumas dessas decisões (e itens também!) são levadas para o Witcher 2. Isso dá uma continuidade na trama e expande o universo do game aumentando ainda mais a imersão proposta pelos desenvolvedores.

Outro ponto bastante completo e complexo do game é a criação de poções. Os Witchers são experts na criação de substâncias que alteram seu metabolismo. Mas não é tão simples assim. Para colher ervas ou partes de monstros e de animais você precisa conhecê-los antes, e para isso é necessário adquirir livros sobre determinados assuntos para então assim você colher corretamente os ingredientes. Além disso, poções só podem ser produzidas durante seu estado de meditação e para isso você precisa de um local apropriado (uma fogueira ou um quarto de hóspede). Witchers também podem criar óleos, com atributos próprios para melhorar a eficiência de espadas e bombas com diversos efeitos.

Witchers também são dotados de poderes sobre-humanos que são chamados de Signs. São 5 no total que são destravados ao longo do game ao serem encontrados de acordo com a história. Cada um deles ajudam no sistema de combate do game de várias formas, desde controlar a mente do inimigo, plantar armadilhas ou atacar com fogo.

E por falar em sistema de combate, chegamos provavelmente no ponto principal que fez todo mundo que eu conheço desistir do jogo. The Witcher possui uma forma de combate um tanto confusa, pois ela funde mecânicas de um Dragon's Age (pausa e clique para atacar) com uma câmera OTS (sobre os ombros) e QTE's (quicktime events). É muita sigla pra cabeça né? Vou tentar simplificar: você clica no inimigo que deseja atacar assim que o ícone do seu cursor se tornar uma espada. Você deve clicar UMA ÚNICA VEZ e após o ataque você só deve clicar novamente quando o ícone do cursor se tornar uma espada de fogo. Se você clicar antes, a sequência de golpes é interrompida. Além disso você tem duas espadas, uma de aço, para humanos e animais e outra de prata, para seres de composição mágica, como monstros e espectros. Para cada uma das espadas você possui 3 estilos de luta: forte e pesado, leve e rápido e luta em grupo. Você deve escolher a espada e o estilo para cada tipo de situação.

Complexo? Sim. Fácil de entender? Não. Vou pegar o jeito? Sim, em 1 ou 2 horas de gameplay o sistema se torna bastante intuitivo. É difícil no começo, mas depois se torna natural.

Um ponto que não considero como negativo, pois acredito ser uma característica do jogo, mas que é importante salientar: The Witcher não é um game open world. O game possui extensos mapas que são divididos em capítulos, ou seja, você irá acessar determinada parte do mapa quando estiver em determinado capítulo do game. Caso você passe para outro capítulo (e normalmente isso acontece sem te avisarem com antecedência), você não terá mais acesso àquela parte anterior do mapa. Quests relacionadas também serão canceladas.

É evidente que The Witcher possui gráficos ultrapassados. As animações são mesmo de 2007, portanto não espere nada espetacular. Ele está bem, mas bem bem bem longe do Wicther 2 que foi lançado em 2011. Então é necessário rodar esse game com uma certa tolerância.

Agora um alerta. O game possui uma história e quests bem complexos. Muitas vezes não aparece no mapa uma bolinha pra onde você tem que ir, nem uma flechinha na cabeça do cara que você precisa conversar. Então se você não domina o idioma inglês, terá grandes dificuldades em descobrir o que precisa fazer, exceto é claro que você pesquise uma tradução PT-BR no Google da vida.

E por falar no idioma, uma curiosidade: Witcher é uma palavra inventada, uma neologia criada ao traduzir a palavra original "wiedźmin". Pois "witch" em inglês significa bruxa e o masculino seria "warlock". Mas os desenvolvedores da CD Projekt Red chegaram num acordo com o autor e acharam que o nome Witcher descreve de forma única a profissão de Geralt of Rivia. :)

Pra fechar: The Witcher foi um dos mais complexos games de RPG que já joguei com uma história que faz você se sentir como um real protagonista responsável por suas decisões pronto para assumir suas consequências. As quests se entrelaçam. As missões são interessantes de verdade. Os temas discutidos são adultos. Se você jogar o game ou ler o livro, tenha certeza que está tendo contato com um belíssimo e bem estruturado conteúdo.

Veja os screenshots tirados durante a jogatina:
http://steamcommunity.com/id/salvego/screenshots/?appid=20900

» Siga meu perfil de Curador do Steam e leia em primeira mão minha próxima análise!

Aviso Legal: Textos, fotos, artes e vídeos desta análise estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização expressa do autor.
Publicada: 17 de julho
Você achou esta análise útil? Sim Não
40 de 40 pessoas (100%) acharam esta análise útil
71.9 hrs registradas
Quem não desistir até chegar no Capítulo I com certeza fechará o game. O início (Prólogo) é um pouco complicado porque é linear. A história é única e fenomenal, mas a jogabilidade não é tão excepcional assim, embora você se acostume. Ao final, usar todo o tipo de recurso do game (poções, magias, bombas etc) faz o game ficar muito desafiador. Depois e fechar é só partir para o Witcher 2 e futuramente para o Witcher 3.
Publicada: 19 de junho
Você achou esta análise útil? Sim Não
25 de 25 pessoas (100%) acharam esta análise útil
47.1 hrs registradas
Reviravoltas, intrigas, lendas, traiçoes e escolhas a serem feitas que afetam o desenrolar da história esse é The Wicher um rpg que vale a pena ser jogado.

Já tinha zerado ele antes mas resolvi jogar de novo só para dar uma relembrada na história.
Publicada: 6 de maio
Você achou esta análise útil? Sim Não
24 de 25 pessoas (96%) acharam esta análise útil
44.5 hrs registradas
The Witcher... Amigos, terminei este titulo duas vezes e ainda tenho vontade de jogar novamente. Assim como a maioria, na primeira vez que joguei achei um pouco estranho. O visual era grosseiro, a jogabilidade difícil e ate a historia não chamava atenção. No HUD aparecem vários detalhes e você não tem a mínima ideia de para que serve, e fácil assim você se perde no próprio HUD do jogo. E é exatamente nesse ponto, onde você está estressado quase apertando Esc para sair, que eu lhe peço uma coisa: Paciência. Simplesmente paciência. Mas antes de tudo que uma coisa fique clara. Toda a historia do jogo é baseada em diálogos, conversações, e é você quem vai escolher o caminho dessas conversas. E dependendo da conversa escolhida, o destino do jogo pode ser alterado. E são nesses momentos onde você precisa saber o que está dizendo/fazendo. Então se você tem uma noção boa de inglês, parabéns. Vai tirar de letra. Mas se você não sabe nada de inglês, ou ate sabe, mas sempre fica em dúvida... Aconselho baixar uma tradução. Porque você vai precisar Muito!
Passado o prologo do jogo, as coisas melhoram gradativamente. Tanto no visual, como também na quantidade de detalhes. Você vai se adaptando ao HUD, e vai entendendo como tudo funciona, e pouco a pouco você vai percebendo a grandeza deste jogo.

Diferente da maioria dos jogos, as missões alternativas não aparecem simplesmente no seu mapa. Primeiro você precisa encontrar a pessoa certa, fazer a conversa certa (ou entregar o item certo), e só então você consegue a missão. Você pode também procurar por murais, que geralmente ficam perto das tabernas. No mural vão ter os contratos. E apenas depois de Ler os contratos, é que as missões são adicionadas no seu jornal. E mais um detalhe, quando terminada a missão, você precisa voltar para quem te deu a missão. O mesmo para os contratos. Bom... Algumas pessoas podem achar isso uma perda de tempo, e realmente você gasta muito tempo andando, mas é essa a ideia deste jogo. Colocar você na pele de um matador de monstros, e na boa... A caminhada de volta faz parte.

O jogo começa com uma animação que mostra a luta de Geralt com a Striga, e para quem leu o livro, basta bater o olho e vai reconhecer toda cena e simplesmente achar incrível. Para quem não leu, basta procurar por 'O Ultimo Desejo - A saga do Bruxo Geralt de Rivia'. É uma ótima leitura, que mistura ação, mistério, monstros e uma boa pitada de humor. Ótimo livro, recomendadíssimo. Neste jogo você assume o papel do Bruxo Geralt, e a historia principal gira em torno do roubo dos segredos dos bruxos, que ficavam guardados na fortaleza Kaer Morhen (é uma historia completamente diferente do livro). E você simplesmente ruma em uma investigação sangrenta para descobrir o esconderijo dos 'Salamandras', autores do crime. A historia desse jogo é fantástica! E a medida que você vai desvendando os mistérios e entendendo o 'por que' de tudo, cara, é incrível.

O visual do jogo é muito bem desenhado, e mesmo possuindo uma engine antiga, impressiona bastante. O nível de detalhes é simplesmente incrível, e a medida que você presta atenção nesses detalhes, você percebe a grandiosidade deste jogo.
The Witcher é totalmente temporal, o que para mim é fascinante. E este detalhe realmente deixa suas aventuras bem mais bonitas. É tanto que você pode meditar em fogueiras e escolher se quer sair a noite para uma aventura mais perigosa, ou se prefere seguir caminho de dia, livre dos perigos da noite... E cara... na boa... Me diga outro jogo onde pensaram nisso.
A edição de áudio do jogo não deixa a desejar em momento algum, e a trilha sonora sempre vai estar presente, deixando tudo mais emocionante.

Além de tudo isso, você pode também jogar dados e realizar apostas para fazer um pouco de dinheiro, se embriagar para conseguir a confiança das pessoas, se envolver em brigas de bar, você pode ate paquerar com belas moças para conseguir favores. Serio, é um jogo tão bem trabalhado e detalhado, que não entendo como pode existir pessoas que não gostam deste titulo.
Bom... The Witcher é basicamente isso. Eu queria falar muito mais, acreditem. Mas sei que se vocês se permitirem, vão encontrar nesse jogo aquilo que encontrei. Que é uma das aventuras mais épicas que já joguei ate hoje.

Ultimas recomendações: Inglês básico obrigatório.
Paciência, pois nem tudo acontece quando você quer.
Determinação, para alcançar seus objetivos.
Curiosidade, para explorar mesmo sabendo que não vai ganhar nada.
E bom senso.

Como diria meu velho amigo Barney Stinson, este jogo é Legen... Wait for it... Dary!!! Legendary!
The Witcher - 10/10
Publicada: 25 de julho
Você achou esta análise útil? Sim Não
14 de 14 pessoas (100%) acharam esta análise útil
61.3 hrs registradas
=====ANÁLISE THE WITCHER : ENHANCED EDITION=====

O que eu gostei:

* Gráficos satisfatórios (considerando que esta versão do game foi lançada em 2008)
* História muito boa e com temática adulta (pelo que notei as escolhas durante a jogatina podem mudar os rumos da trama)
* Bastante missões (esteja preparado para muitas horas de gameplay)
* Trilha sonora e ambientação que ajudam bastante na imersão do game
* Dificuldade aceitável (no modo normal o jogo já proporciona um bom desafio)

O que eu não gostei:

* A jogabilidade é um pouco travada (é preciso paciência no começo do game para se acostumar com os comandos)
* O rosto dos personagens das missões secundárias se repete demais (não atrapalha a trama mas incomoda, até parece falta de capricho na criação dos "atores coadjuvantes" do jogo)

Minha Nota: 9,0

The Witcher: Enhanced Edition foi o primeiro jogo que comprei assim que fiz minha conta no Steam. Como eu já imaginava que ele exigiria certa dedicação, por se tratar de um RPG, acabei priorizando outros jogos. Contudo, assim que dei a primeira oportunidade para o game notei que não deveria ter protelado a jogatina por tanto tempo. Apesar de ser um jogo lançado a vários anos ele possui qualidades que estão ausentes em muitos games modernos. Enfim, gostei bastante de matar monstros, conquistar várias mulheres (e levar fora de muitas outras também) e ficar explorando o mapa durante as missões secundárias. Recomendo!
Publicada: 2 de setembro
Você achou esta análise útil? Sim Não